Como página inicial

Sistema de Representação Comercial para Representantes Comerciais

Adicionar a Favoritos

.

JORNAL De REPRESENTAÇÃO comercial sdr - EDIÇÃO Nº 159 - 17.01.2003

.

SDR - SISTEMA DE REPRESENTAÇÃO E VENDAS

MIGUEL PEDRO TERRA VELAZCO

EDITOR DO JORNAL SDR

fone: 51 3019 2817.

.

Funções do Sistema de Representação Comercial e Vendas - SDR

Testes do Sistema de Representação Comercial e Vendas - SDR

Solcite seu Orçamento

Manual do Sistema de Representação Comercial e Vendas - SDR

Biblioteca dos Jonais de Representação Comercial SDR

Assinatura livre e gratuita do Jornal de Representação Comercial

Contrate os melhores e mais capacitados Representantes Comerciais

Contato com a Equipe do SDR Sistema de Representação

As melhores Dicas sobre softwares livres, Bibliotecas, Links...

FUNÇÕES

TESTE

ORÇAMENTO

MANUAL

JORNAIS

ASSINe

saiba

contato

dicas

.

.

.

"QUEBRA TUDO "

SR. PROF. RICARDO JORDÃO

.

SE VOCÊ QUER QUE ALGUÉM FAÇA UM BOM TRABALHO, DÊ A ELE UM BOM TRABALHO PARA FAZER. 
...

ENCARE DE FRENTE: - se já faz algum tempo que os seus funcionários realizam tarefas repetitivas dia após dia, prepare-se: - em pouco tempo você irá começar a sentir uma queda sensível na qualidade e produtividade do trabalho realizado e na qualidade do Atendimento a seus Clientes. É fato. 

.

Os seus funcionários precisam de novos desafios. Se você quer produtividade, você precisa fazê-los sentir aquela emoção do "primeiro dia de trabalho", onde a excitação e o entusiasmo em realizar algo  novo geravam resultados incríveis. 

Todo funcionário - independente da sua área de atuação - precisa que uma parte do seu trabalho seja muito interessante para ele. Descubra qual a parte do trabalho de seus funcionários que mais interessa a eles, e FOCO nisso. 

Existe muitas maneiras de você criar novos desafios para os seus funcionários sem necessariamente colocá-los em novas posições de trabalho. 

 

Por exemplo, envolvê-los em: 

 

Projetos que requer aprender novas habilidades, 

Projetos que requer trabalhar sob pressão de tempo, 

Projetos que requer contato com novos grupos de pessoas, 

Projetos que requer contato com a alta gerência, 

Projetos que requer o desenvolvimento de apresentações e análise de novos projetos, e ainda: 

 

Incentivo a tomar parte em cursos de desenvolvimento pessoal, 

Incentivo a participação em atividades individuais que requer habilidades de liderança e comunicação. 

Em outras palavras, para desafiar os seus funcionários basta envolvê-los em projetos que podem ser desenvolvidos em paralelo a sua atual atividade de trabalho, tais como : 


Participar em uma força tarefa para resolver um determinado problema da empresa, 
Envolver-se no desenvolvimento de um evento, encontro ou conferência, 
Participar de negociações com clientes, 
Fazer e apresentar uma proposta de negócio para a alta gerência, 
Participar em eventos fora da empresa, 
Participar do projeto de lançamento de um novo produto, serviço ou programa, 
Desenvolver e apresentar uma análise da concorrência, 
Pesquisar e analisar as necessidades dos clientes da empresa, 
Escrever um cenário de contingência para um determinado problema da empresa, 
Desenvolver e aplicar programas de treinamentos, 
Participar de programas de treinamento e cursos de desenvolvimento pessoal, 
Participar como Voluntário de Organizações Comunitárias, 
E muita, muitas outras. 

Alguém poderia perguntar a você: O que DESAFIAR funcionários tem a ver com Liderança, Estratégia de Negócios ou Marketing ? - TUDO! A Excelência na Execução é fundamental para o sucesso de qualquer estratégia de negócios. E os seus funcionários são 99% responsáveis por isso. 

As pessoas querem ser desafiadas! Dinheiro não é tudo. O trabalho pode e deve fornecer - além de crescimento financeiro - uma oportunidade de crescimento pessoal e espiritual para as pessoas. Senão, estamos desperdiçando muito tempo das nossas vidas. 

"Faça da sua vida e da vida dos outros uma vida interessante. Sempre !" 

QUEBRA TUDO ! 

Ricardo Jordão Magalhães 
Fundador

 

.

.

 

 AS CARTAS DE AGRADECIMENTO

 ARTIGO I - " QUEM TEM MEDO DA CONCORRÊNCIA?" - SR. PROF. PAULO R. SILVA FERREIRA 

 RESUMO DE NOTÍCIAS DO 14.01.2003 AO 17.01.2003

 ARTIGO II - " O CEGO GUIANDO O MANCO " - SR. PROF. EDUARDO BOTELHO - INSTITUTO IPEB

 DICAS DA SEMANA

 ARTIGO III - "CONSTRUINDO APTIDÕES" - EQUIPE DO SDR.

 REFLEXÃO DO SDR

 PIADAS

 

 

.

 

.

.

CARTAS DO JORNAL 158

.

Podem continuar a mandar suas cartas, já que cada uma delas, está sendo lida em voz alta para toda a equipe do SDR, e nem precisa dizer que suas palavras, são a energia que nossos marca-passos precisam, para funcionar por muito, muito tempo...  
.

DORI ALIMENTOS LTDA
LISANDRA PAVARA - Quero me manter bem informada!
FRANCISCO JOSE ALVES DE LIMA - Gostei muito de seus artigos e gostaria de recebê-los.

(Muito boas as balas de vocês, aquelas de goma (jujuba), são demais!!!!!!!! - Agora, que é jujuba ?) Como fazem essas balas ? podem nos contar para repassar aos demais ?

 

ANTONIO RICARDO TAVARES LEAL
Tenho lido diariamente as mensagens deste excelente jornal, mensagens que nos motivam muito e nos deixam entusiasmados para um novo dia de trabalho. Sou representante comercial há 20 anos. Gosto muito dos livros escritos por Napoleon Hill,Ex: A Lei do Triunfo. Poderíamos enriquecer ainda mais as nossas mensagens do dia-a-dia do nosso jornal, extraindo algumas mensagens do mesmo. 
Parabéns! Continuem firmes neste ótimo trabalho.

M2 INFORMÁTICA
Li seu jornal na Empresa de um colega e achei muito interessante, por isso estou aqui, fazendo assinatura. Espero que continuem sempre assim, cada vez mais e mais sucesso em seu jornal.
Marco Antonio - Diretor

 

LUIS CARLOS BUENO ( METALÚRGICA SANTA RITA )
Obrigado pelas dicas, e ensinamentos , e parabéns pelo material usado. - Estarei divulgando entre meus amigos e conhecidos. - Colocarei no mural da empresa, (Caso seja autorizado) os assuntos mencionados neste jornal.
Obrigado. Saudações..

.

JOSE ALEXANDRE TAVARES
Acho importantíssimo considerar o lado humano, abrangendo aspectos como família, religião, sociedade. O profissional é fruto do seu desenvolvimento pessoal, sua visão abrangente depende da maneira de enxergar a vida, ser um generalista é fundamental , o ser humano atual esta buscando se especializar, e entendo que por este motivo não consegue enxergar caminhos novos ficando preso as dificuldades do percurso, fruto da visão estreita, ao contrário do generalista, que consegue enxergar caminhos em várias direções. 

Aos que apontam o caminho generalista no crescimento do ser humano , meus parabéns.

ANTONIO MARCOS BUZATO BORGES ( LABORATÓRIO FARMASA )
Recebi um e-mail com um artigo do Jornal SDR, achei-o interessante e resolvi cadastrar-me.

SANDRA PORTO ( LETTEL COMUNICAÇÕES. INTELIGENTES )
Recebi a mensagem da semana, da minha gerente e achei muito interessante.

MARÍLIA DE DIRCEU ARAÚJO ( VCI BRASIL )
Considero muito importante estes relatos feitos como \"dicas\". São momentos para reflexão que dizem muito. Utilizo-os para trabalhar vários aspectos comportamentais em nossa empresa.
Parabéns,

MARIA ZULEIDE DIAS CORDEIRO ( EMPAX EMBALAGENS FLEXÍVEIS )
Agradeço o envio. Tenho recebido essas mensagens no momento certo.

DULCILENE DA SILVA DOURADO
Sou estudante de Tele-marketing e trabalho em venda externa. Gostaria de receber esse jornal o qual tomei conhecimento através da indústria na qual trabalho, que sempre manda material de mkt e motivacional.

ALLEKSANDRO FABER - RS QUEIROZ
Recebi um e-mail gostei muito do artigo. Bem feito e de muito bom gosto.

ROSANA APARECIDA CAVENAGHI ( DATERRA COFFE)
Bom dia, gosto muito dos artigos do Prof. Gretz.

JOSE G. FERREIRA DA SILVA ( GRADIENTE )
Acabei de tomar conhecimento, através de um texto retransmitido para mim, achei interessante e penso que tenham outros conteúdos que serão bastante útil para mim.

MARIA DO SOCORRO LIMA ( FICAMP IND. TÊXTIL )
Estou curiosa p/ conhecer de perto o jornal sdr.

ARTEX - GRUPO COTEMINAS
MARLI MORESCO FARIAS - Acho muito interessante e inteligente, precisamos sempre ler algo assim para despertar nossa sensibilidade.
HEDVIG MARIA SCHRAMP JUNG.

GEANE CARLA ARAUJO (GERALDO ARAUJO TECIDOS LTDA)
Achei bastante interessantes e úteis os artigos deste jornal. Pois sei que vou poder utilizá-los, tanto para minha empresa como também para minha vida pessoal. A alma do negócio estar sempre atualizado, no entanto esse jornal nos dá a condição de aprimorarmos nosso conhecimentos. 

XALINGO BRINQUEDOS LTDA
Desirée Goettems de Almeida - Gostaria de passar a receber as notícias do jornal. Recebo alguns artigos que considero bastante atrativos.
DANIEL FERNANDES - GOSTARIA DE RECEBER GRATUITAMENTE O JORNAL SDR

LEONARDO DINIZ DOS SANTOS FONSÊCA
Muito grato fico eu, pois com essas mensagens semanais tenho muito aprendido e me dedicado a praticar o que tenho lido, espero que o mesmo esteja acontecendo com os nossos colegas, por que de nada adianta ler e não praticar. Que este Jornal continue clareando e expandindo nossas visões.

Vocês são maravilhosos em nos dar esta oportunidade, e queremos que sempre, nossa humilde contribuição os motive, enriqueça e ilumine no dia a dia, porque essa é nossa recompensa.

Equipe do SDR 2003

.

.

.

" QUEM TEM MEDO DA CONCORRÊNCIA ? "
.

SR. PROF. PAULO RICARDO FERREIRA

Diretor da Eckart Consultorias
.

.

Em algumas empresas, dizer o nome dos concorrentes é quase um sacrilégio. Fala-se baixinho, batendo na madeira, ou se usa uma expressão de desprezo. Lidar com concorrentes ainda é tabu em muitas organizações. Por incompetência ou insegurança, muitas instituições preferem nem falar no assunto. Afinal, os outros são os outros. 

Já foi o tempo em que empresas do mesmo ramo tratavam-se como exércitos adversários em tempo de guerra. Do estafeta ao presidente, todos odiavam até as cores usadas pelo rival. Não se perdia oportunidade para malhar, com e sem razão, todas ações do adversário. Até ajudas humanitárias a instituições sociais eram consideradas estratégias demagógicas.

Estagnadas num passado isolacionista, muitas instituições ainda adotam práticas envelhecidas no trato com seus concorrentes. Não se dão conta de que o concorrente é um tipo de irmão. Tem os objetivos idênticos, trabalha no mesmo ramo, procura inovações tecnológicas, busca alternativas para superar obstáculos e passa por dificuldades semelhantes. Além do mais, amanhã poderá se tornar parceiro para o ingresso em novos mercados.

Na Espanha, a expressão utilizada para denominar concorrência é la competencia. Mais do que um reconhecimento ao valor do outro, a palavra espanhola é reflexiva e respeitosa. Primeiro, porque faz pensar na importância de ter bons concorrentes, caso contrário, a empresa será no máximo a "menos ruim".

Segundo, porque os clientes devem ser conquistados pelos méritos da instituição e não pela desqualificação dos concorrentes. Assim, a empresa está adotando uma conduta que a distinguirá no mercado.

ADVERSÁRIOS ÉTICOS:
Mais do que possível, construir uma relação de amizade entre empresas concorrentes pode ser fundamental. É a única forma de criar barreiras que impeçam a entrada no mercado de pessoas que não possuem conhecimento, técnica ou ética. Em resumo: competência.

É preciso compreender que a concorrência só é desleal se atuar no mercado tendo privilégios ou descumprindo a legislação. Fora disso, as variáveis na composição de preços e qualidade dos produtos e serviços dependem do talento de cada empreendedor. As dificuldades da empresa freqüentemente tem origem na própria organização e não na concorrência.

Empresas concorrentes têm um importante elo de ligação: o cliente. É ele a razão de ser do setor. Mais do que cliente da empresa, ele é um consumidor do produto ou serviço, independente de quem é o fornecedor. E, para preservá-lo e conservar a demanda, é preciso não atacar o produto ou serviço. Pior do que perder o cliente para a concorrência é saber que ele deixou de consumir este tipo de bem.

TROCAR EXPERIÊNCIAS:
Por mais absurdo que possa parecer, empresas concorrentes devem manter vínculos para trocar experiências. Até a utilização de serviços compartilhados pode ajudar as organizações a diminuírem custos e adquirirem vantagens com petitivas. Um exemplo está na área da segurança. Todas as partes lucram ao compartilharem informações sobre quadrilhas de assaltantes, ação de estelionatários, segurança do patrimônio, etc.

As empresas precisam dos concorrentes muito mais do que imaginam. Experiências de sucesso tendem a ser copiadas e aperfeiçoadas melhorando o desempenho de todo o setor. Fracassos também têm reflexos que respingam nos produtos concorrentes.

As ações cotidianas determinam a avaliação constante do produto, promoção, preço e distribuição. Observando o mercado e não o próprio umbigo, descobre-se que a harmonia e o relacionamento ético entre concorrentes competentes é imprescindível. É assim que os custos diminuem, a rotatividade de estoques aumenta e, principalmente, se oferece ao cliente o melhor serviço ou produto disponível, construído a partir de um processo de Qualidade Integral, utilizando tudo o que todos tem de melhor.

Ter medo do concorrente ou agir com agressividade é uma atitude infantil. A concorrência deve ser tratada com respeito e maturidade. Ingnorá-la ou difamá-la é desviar os olhos dos problemas reais da empresa e deixar de aprender com quem tem objetivos iguais. Apenas os mediocres têm medo dos concorrentes.


SR. PROF. PAULO RICARDO FERREIRA

Diretor da Eckart Consultorias

.

Administrador, consultor, doutorando em Ciências Empresariais pela Universidade de Leon/Espanha e professor universitário. - http://www.eckart.com.br - paulo@eckart.com.br  - MATRIZ - Av. Otto Niemeyer, 2314 - Sala 306 - CEP 91910-001 - Tristeza - Fone (51) 3247-2336 - Fax (51) 3249-4735

 

 

 

RESUMO  DE  NOTICIAS  "
14.01.2003    AO    17.01.2003


ECONOMIA
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Na semana que vem, começam a entrar no país os recursos dos primeiros empréstimos externos sindicalizados que têm a participação de vários bancos comerciais- da era Lula. A maior parte dos US$ 500 milhões de operações em andamento começou a ser montada no final de 2002, mas os bancos preferiram deixar para fechá-las agora em janeiro, com orçamentos novos e sem a necessidade de "limpeza" dos balanços para a fotografia no final de ano.

Os conflitos políticos e a crise econômica em Buenos Aires fizeram com que a cidade saísse do grupo das mais caras do mundo para figurar entre uma das cinco mais baratas do planeta. A cidade só ganha de Mumbai (antes Bombaim), Manila, Tripoli e Pretória. 

A cadeia têxtil brasileira tem o seguintes números:
Número de empresas - 30 mil;
Número de empregos - 1,45 milhão;
Exportação em 2001 - US$ 1,306 bilhão;
Superávit em 2001 - US$ 73 milhões;
Faturamento do setor em 2001 - US$ 22 bilhões;
Investimentos até 2006 - US$ 12 bilhões;
Perspectivas de exportações em 2008 - US$ 4 bilhões.
Dados da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e Confecção - ABIT

C&A põe os pés no belo mercado de cosméticos. Varejista lança linha própria.
Depois da top Gisele Bündchen, a beleza dos cosméticos. A rede varejista C&A lança linha própria de cosméticos para competir num mercado que, nos últimos quatro anos, cresceu a taxas anuais de 9,3%. A linha da C&A, batizada de Very Up by C&A, conta com 148 itens e complementa estratégia de diversificação da empresa, que vem introduzindo variados produtos nas lojas, como aparelhos celulares, óculos de sol, bijuterias e relógios de pulso.
O início da atuação da C&A é marcado pela variedade de itens e preços competitivos. Very Up by C&A segue padrões internacionais, definidos após processo de seleção. Todos os produtos foram testados e aprovados. As embalagens exclusivas e a apresentação dos produtos nas lojas compõem o plano de marketing para a divulgação do material. - A linha é composta de produtos de maquiagem - batom, glosse, sombra, lápis e demaquilante, entre outros - e perfumes, com seis deo colônias femininas e duas masculinas.http://ultimosegundo.ig.com.br 

A venda da subsidiária do banco espanhol BBVA ao Bradesco pode tornar mais fácil para a controladora Intesa vender o banco Sudameris. O processo de negociação do banco foi suspenso no ano passado, depois de desacordo entre a controladora Intesa e o candidato a comprador Itaú. A Intesa anunciou que decidiu esperar até conseguir um preço melhor. Desde o início de 2002, os estrangeiros já venderam ativos correspondentes a R$ 32 bilhões (incluindo participações minoritárias).

As treze seguradoras de saúde do país tiveram um faturamento consolidado de R$ 5,522 bilhões entre janeiro e novembro de 2002, último dado disponível, de acordo com levantamento da Agência Nacional de Saúde (ANS). Esse valor já supera os cerca de R$ 4 bilhões em faturamento obtido pelo setor entre janeiro e dezembro de 2001, ano em que o seguro saúde foi transferido (em junho) da supervisão da Superintendência de Seguros Privados (Susep) para a ANS. Os dados de 2001 são estimados com base na soma dos valores de prêmios encontrados nas estatísticas da Susep e da ANS. - O índice de sinistralidade do setor, no entanto, continua elevado. Indicador que mede a relação entre eventos que geraram indenizações e faturamento em prêmios, em 2002 o índice de sinistralidade ficou em 81,93% segundo a ANS. Isso significa que de cada R$ 100 que estas companhias faturaram em prêmios, quase R$ 82 foram gastos no pagamento de indenizações de sinistros. Em 2001 o índice foi de 83,13%. 

O governo pode contar com o Supremo Tribunal Federal (STF) para mudar o regime de previdência dos servidores públicos da ativa. Os ministros do STF garantiram, em decisões anteriores, que o direito adquirido só vale para os servidores já aposentados e aos que reúnem condições legais para requerer a aposentadoria. Os da ativa estão sujeitos às mudanças de uma eventual reforma. Este entendimento já se transformou em súmula, ou seja, orienta decisões sobre assuntos semelhantes no tribunal.

MERCADO INTERNO

Os rumos tomados pelo programa Fome Zero começam a permitir projeções sobre seu impacto no setor de alimentos. Na medida em que são escolhidos os caminhos "de mercado", como cupons que possam ser trocados livremente por alimentos, as indústrias se animam com as oportunidades que virão a partir do aumento de demanda. "A dona de casa irá à feira comprar aquilo que está dentro do padrão de consumo dela", prevê Denis Ribeiro, diretor do departamento de economia da Associação Brasileira da Indústria de Alimentação (Abia). 

O Carrefour do Brasil está de presidente novo. Sai o francês Frank Witek e, em seu lugar, entra um outro francês, Eric Uzan. Um e outro são funcionários de carreira do grupo e têm experiências em importantes praças onde a rede varejista francesa opera. A diferença é que, ao contrário de Uzan - que assume o comando da subsidiária brasileira nos próximos dias - Witek deixa o grupo depois de quase três décadas de trabalho no grupo. 

MERCADO EXTERNO

Com a melhora do cenário macroeconômico, o crédito a exportação começa a voltar para as agroindústrias. As taxas de juros estão caindo e os prazos de pagamento aumentam. "O furacão já passou", diz Marco Aurélio Carvalho, gerente-financeiro da trading Coimex. As linhas de crédito mais comuns para os exportadores são os Adiantamentos de Contratos de Câmbio (ACCs). A redução do risco-país foi um dos principais motivos para a queda dos juros. O índice caiu 12,16% desde o início do ano, para 1.264 pontos ontem. Além disso, como há mais bancos ofertando as taxas de juro cobradas são menores. Outro fator favorável são as recentes captações de bancos, que aumentam o volume de crédito no mercado.

 
Graças a uma intensa campanha de e-mails do governo norte-americano a funcionários do Iraque para derrubar o chefe do país, Saddam Hussein decidiu cortar o acesso da população iraquiana à Internet . - A exemplo de outros países com governo ditatorial, como a China, o acesso à Internet no Iraque é restrito e censurado. O bloqueio, conforme informações de fontes estatais do Iraque, será mantido até um novo aviso.

GVT retomou a promoção “Férias em dobro” para o acesso à Internet em banda larga. A partir desta quarta-feira (15/01) e até 28/02 os usuários que assinarem o serviço Turbonet, à velocidade de 256 Kilobits por segundo (Kbps), ganham o acesso dobrado a 512 Kbps. 

Segundo o Ibope eRatings.com, a Internet residencial ativa no Brasil cresceu 3,7% em dezembro, sobre o mês anterior, para 7,4 milhões de usuários. O número deve-se ao aumento de sites de Ocasiões Especiais, e-commerce e e-Banking

BRFree investe US$ 3,2 mi em serviço corporativo = Embora mantenha-se firme na defesa do modelo de acesso gratuito à Internet, que lhe rendeu 1,2 milhão de usuários, o provedor de acesso BRFree, abre novas fontes de receita. - Até março, a empresa de Belo Horizonte (MG), que completa três anos este mês, oficializa seu novo serviço de hospedagem para operações online de empresas, batizado temporariamente de BRCorp. 

Em um caso que ressalta a crescente importância que as ferramentas de pesquisas online possui nas empresas, a Google Technologies, dona do serviço de buscas mais acessado no mundo, está brigando para se livrar de um processo no qual é acusada de desvalorizar, propositalmente, a rede de anúncios online Search King Inc. de seu rankings de pesquisas. 

Pop-ups perturbam mas funcionam - Quarta-feira, 15 de Janeiro de 2003 - 16h11 - WebWorld

Os anúncios eletrônicos em forma de pop-up que costumam saltar na tela dos internautas entre um site e outro, podem ser perturbadores mas revelam-se efetivos nas taxas de resposta. 
De acordo com um estudo conduzido pelo Gartner, 78% dos participantes consideram os pop-ups uma chateação, enquanto 49% pensam o mesmo a respeito dos banners em Web sites. Por outro lado, a pesquisa revela que o índice de cliques nos pop-ups é quase duas vezes superior aos acessos a banners. 
O AdRelevance, índice de propaganda online medido pela Nielsen/NetRatings, indica que os acessos a pop-ups na grande rede mundial saltaram de 1,2 bilhão para 4,9 bilhões de janeiro a setembro de 2002. 
Para o Gartner, a alta taxa de resposta pode ocorrer porque muitos internautas não têm a prática de fechar as janelas de anúncios que aparecem durante a navegação e acabam acessando o pop-up. 
A empresa de consultoria e pesquisas prevê que este índice de respostas tende a cair na medida em que os internautas aprendam como fechar as janelas de anúncio. 

Uma companhia de Nova Orleans, EUA, está desenvolvendo uma tecnologia capaz de fornecer detalhes precisos da origem de tiros - incluindo o tipo da arma utilizada, número de tiros disparados e a localização exata da origem das balas. A empresa Proxity Digital Networks Inc. disse que esse sistema de detecção utiliza uma rede de sensores acústicos wireless combinado com o recurso de Global Positioning System (GPS). 
Uma vez capturada pelo sistema, batizado de On Alert GDS, a informação sobre o tiro pode ser imediatamente transferida para centrais de segurança ou para a polícia via handhelds, permitindo que as autoridades respondam rapidamente ao incidente que envolveu o disparo. Segundo a Proxity, a tecnologia também pode ser utilizada para monitorar movimentos e sons nas estradas de ferro, portos e fronteiras nacionais, desde de que cada som, incluindo passos, movimentos na água ou vibrações no solo, sejam programados para serem detectados no sistema GDS. 
A empresa disse ainda que atualmente está conduzindo seu primeiro estágio de desenvolvimento da ferramenta, que está sendo testada em Oklahoma. Os protótipos de segunda geração estão programados para serem testados ainda neste trimestre. Uma vez que todos os testes de campo estiverem concluídos e o modelo de produção comercial lançado, o On Alert GDS estará disponível para os governos federal, estadual e municipal dos EUA, informou a companhia. Uma versão militar também vem sendo projetada, acrescentou. 
INFORMÁTICA

Gradiente sai do mercado de videogames = Nintendo procura um novo rumo para o mercado local, já que a parceria com a Gradiente acabou no ano passado.

Já começou. As empresas que fornecem software proprietários já estão tomando medidas para impedir que a conhecida simpatia do PT pelo software livre influencie nas licitações de órgãos e instituições públicas. A Camara-e.net, grupo de lobby e associação de negócios financiada por grandes empresas de tecnologia, como Microsoft e Intel, está trazendo para o Brasil a “Coalizão pela Livre Escolha de Software”. 

TELEFONIA

Reposição e novos modelos aquecem o mercado de aparelhos telefônicos
Patrícia Cornils, De São Paulo - www.valoronline.com.br 
Somente 1,4 milhão de novos acessos foram acrescentados à planta brasileira de telefones fixos em serviço em 2002, que encerrou o ano com 38,8 milhões de terminais, de acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). O mercado de venda de aparelhos telefônicos convencionais, no entanto, não está parado. No ano passado, vendeu-se entre 6,5 milhões - estimativa da Siemens - e 9 milhões - estimativa da Intelbrás - de telefones no Brasil. Um número maior do que o de aparelhos celulares, que ampliaram em 4,57 milhões sua base de clientes e venderam cerca de 7 milhões de novos aparelhos.
Muito mais baratos que os telefones celulares, os aparelhos fixos têm como principal mercado a reposição de produtos. A estimativa da Siemens é que em cada três aparelhos vendidos, um seja para reposição. O restante das vendas fica por conta da compra do segundo ou terceiro aparelho e de identificadores de chamadas. Os aparelhos fixos são fabricados tanto por grandes multinacionais quanto por pequenos fornecedores baseados na região da Santa Ifigênia, em São Paulo, onde há um grande comércio de equipamentos e peças eletroeletrônicos.
A Intelbrás, com uma venda estimada de 3 milhões de aparelhos em 2002, e a Siemens, que vendeu cerca de 2 milhões, respondem juntas por cerca de 60% do mercado nacional. Esse segmento é disputado, também, por empresas como a Ibratele (650 mil aparelhos vendidos em 2002) e a Klar (500 mil vendidos entre 2001 e 2002). Menores, apostam na venda de aparelhos na faixa de R$ 30,00, direcionados às classes C, D e E, principais compradores de telefones fixos nos últimos três anos.
A expectativa dessas empresas é que o mercado continue crescendo, independente da estabilidade no número de terminais colocados em serviço. Flávio Sardinha, diretor de marketing da Klar, tem como meta vender 700 mil aparelhos este ano. Direcionada ao mercado de baixo poder aquisitivo, a empresa anuncia na revista "Na Poltrona", que circula nos ônibus da Itapemirim. No ano passado, lançou um novo modelo de aparelho "padrão" - telefone especificado pela Telebrás no fim dos anos 70 - e um mini-identificador de chamadas de R$ 40,00.
Produtos de maior valor agregado, como identificadores de chamadas e telefones sem fio, são o foco das grandes empresas para ampliar as vendas. A Intelbrás consolidou, em 2002, sua posição neste segmento, que respondeu por cerca de 20% do total de unidades vendidas. Os telefones sem fio custam pelo menos R$ 130,00 e os identificadores, R$ 80,00. De acordo com Antônio José de Bonis, diretor comercial de terminais, a migração para esses produtos começou em 2002, ano em que o mercado despencou de 14 milhões de aparelhos para o patamar atual. 
Na Siemens essa mudança também acontece, mas de forma mais lenta e visando, além do mercado nacional, a exportação de produtos. No primeiro trimestre, a empresa, que tem fábrica em Manaus, vai lançar o primeiro telefone desenhado no Brasil e que será exportado. Dos 2,5 milhões de telefones fixos que a Siemens pretende vender este ano, um milhão serão enviados para o exterior, principalmente para os EUA, afirma Marcelo Borowski Gomes, diretor de telefonia fixa da empresa. Este lançamento e a entrada no segmento de modelos sem fio, também planejada para 2003, deverão levar a receita de aparelhos telefônicos do patamar de R$ 70 milhões, em 2002, para cerca de R$ 170 milhões, ao final de 2003.
A convivência entre os grandes fabricantes e os pequenos integradores não é exatamente pacífica. A própria Siemens e a Klar protagonizaram uma disputa. A Klar importou da China aparelhos com design igual ao 805 S, telefone mais vendido da Siemens, mas que não conta com patente local para seu desenho.
A forma dos grandes fabricantes para combater os aparelhos baratos é defender que todos tenham certificação da Anatel, concedida depois que os produtos passam por um processo de homologação que pode custar de R$ 30 mil a R$ 80 mil. Em agosto de 2002, a agência apreendeu aparelhos sem certificação das marcas Nos-Tel, da Santel, da Dynaphone, da Olivetti e da Panasonic. O selo da Anatel também é usado como arma de marketing pelos populares: a Ibratele tem todos os 16 produtos de sua linha certificados.

 

O "RESUMO DE NOTÍCIAS", é baseado em levantamentos realizados pela equipe do SDR, e apresenta os tópicos mais importantes para que você, fique por dentro dos principais acontecimentos que sua profissão exige. - Este serviço de CLIPPING (resenha de informações), é a metodologia utilizada para assessorar 100% das principais autoridades, desde Presidentes da República, Diretores, Gerências e agora VOCÊ, e queremos que possa estabelecer o vínculo entre os assuntos expostos e suas estratégias, como forma de prestigiar seu TEMPO. - Os endereços abaixo, representam as fontes que diariamente consultamos ou enviam noticias, e são ao nosso entendimento, as mais fidedignas e neutras, como a seguir:

.

" O  CEGO  GUIANDO  O  MANCO "

SR. PROF. EDUARDO BOTELHO

DIRETOR E CONSULTOR DO INSTITUTO 

IPEB

Um grande número de empresas não tem, ainda, uma administração de vendas que se poderia chamar de PROFISSIONAL. Nelas não há um só e único PROFISSIONAL DE VENDAS trabalhando; ou seja, lá ninguém entende realmente de vendas, e o resultado disso é que elas não conseguem entender também porque as coisas de vendas não funcionam e não acontecem como elas gostariam que funcionasse e acontecesse.


Por quê isto é verdade em tantas e tantas empresas ? A resposta é muito simples :
"Porque durante muitos anos elas não precisaram destes conhecimentos para fazer com que as vendas acontecessem e isto fez com que elas não corrigissem os seus próprios erros"; ao contrário, muitos dos erros que elas cometem hoje estão solidamente implantados e arraigados pois foram praticados durante muitos e muitos anos. Agora; corrigi-los ? É muito mais difícil.


Em outras palavras, durante todos os mais de
40 anos em que vender não passava de um simples jogo de números entre duas tabelas de preços - uma para hoje e outra para amanhã - o que nos levava ao simples e universal argumento de : "compra hoje que amanhã é mais caro"; todos os equívocos e maus desempenhos foram "jogados para debaixo do tapete", ou seja, eles não eram sequer reconhecidos; hoje eles estão aí - escancarados - na cara de todos nós.


A prática sistemática de qualquer procedimento durante muito tempo faz com que ele se torne muito mais enraizado e, portanto, muito mais difícil de ser erradicado quando isto se faz necessário, como agora.


Vamos analisar apenas
três destes procedimentos que - a nosso ver - têm que ser substituídos sob pena de não o fazendo, não haver a menor possibilidade de tornar a área comercial da empresa algo realmente profissional e, principalmente, profissionalizante.


1. O primeiro importante aspecto a ser corrigido é o apelido da função que há décadas chamamos de "Gerente de Vendas". Ela tem que ser substituída por outra, que é : "GERENTE DE VENDEDORES", ou de representantes, ou ...

Justificativa. Este - ou esta - profissional tem que estar voltado para as pessoas e os seus desempenhos e não para as coisas que já aconteceram. Não se justifica pagar um profissional para fazer apenas controle e cobrança; estas não são as suas principais responsabilidades, atribuições e áreas de eficácia. Este profissional tem que ser capaz de descobrir e desenvolver talentos de vendas; esta tem que ser a sua principal tarefa.

2. O segundo aspecto que precisa ser corrigido é definir clara e definitivamente o que a empresa entende como mais importante; os pedidos, ou os clientes
Justificativa. Os dois são importantes, mas toda as diretrizes e políticas têm que ser estabelecidas vis-a-vis o que ela prioriza. Se forem os pedidos, ela tomará determinadas decisões, mas se forem os clientes, ela tomará outras completa e totalmente diferentes. Se eu quero apenas os pedidos, não invisto em treinamento, por exemplo; já ... se quero clientes, passo a preparar o melhor possível os meus vendedores ou balconistas ou representantes;etc. E este é apenas um dos aspectos que será afetado assim que esta importantíssima decisão for tomada. - Por quê colocamos isto como o segundo mais importante aspecto a ser resolvido ? Porque a imensa maioria das nossas empresas - por não terem isto claramente resolvido - fica ora indo em uma direção ao tomar determinadas decisões e, logo em seguida, vai em outra direção totalmente oposta porque toma outras que invalidam as anteriores; ou seja, ficam perdidas quando precisam definir quais são as suas práticas comerciais. Quem "paga"essa conta ? São os vendedores que se sentem totalmente perdidos; é o cego guiando o manco.

3. O terceiro mais importante aspecto é o que diz respeito aos controles estatísticos da área comercial. 
Justificativa. Até hoje só controlamos os resultados obtidos, ou seja, o quanto vendemos, para quem e como. A partir de agora será absolutamente necessário controlar o trabalho que foi feito para se chegar ao resultado conseguido. Em outras palavras; as empresas têm que aprender a medir o quanto estão deixando de vender.

 

Em vendas não podemos nos contentar com as vendas pois é nas "não vendas"que estão todas as causas de todos os nossos problemas, tais como : turn-over; desmotivações; má qualidade das vendas; reclamações permanentes; devoluções; etc. 

 

Em vendas o que não tem NÚMERO não existe, pois se não tem número não se consegue controlar e, principalmente, mudar para melhor. - Quando digo isto em palestras e cursos, os dirigentes de vendas (e não de vendedores !) me dizem : "Ah; professor, não adianta cobrar relatórios; eles não fazem; já estou cansado de cobrar; é besteira".


Aí está mais uma vez o atestado da incompetência desses dirigentes e também destas empresas que, na prática e na realidade, só estão interessadas em uma única coisa que é saber :"
Quanto vendeu ? " E não em quanto deixou de vender. No fundo desta questão está o mesmo problema : 

 

"É o cego guiando o manco".

Desculpe o exemplo próprio, mas tenho que registrar que trabalhei durante mais de duas décadas em uma empresa em que tudo mas - TUDO MESMO - era registrado, medido e controlado. TUDO. Nada escapava. E até hoje me dizem que aquela empresa tinha o melhor quadro de vendedores do Brasil; e eu lhe digo o seguinte : "O segredo daquela empresa não eram os vendedores - nunca foram - mas sim, os controles estatísticos rigorosos que todos nós éramos OBRIGADOS A FAZER TODOS OS DIAS. - O segredo daquela empresa era a chefia e não os vendedores.


Para encerrar. Sem uma administração profissionalizada de vendas, não adianta absolutamente nada ficar gastando dinheiro com vendedores, pois estes serão sempre e apenas o reflexo do que está por trás deles, ou seja, das suas chefias. Na sua empresa o cego guia o manco ?

 

Eduardo Botelho
Consultor e diretor do IPEB - Instituto
Profissionalizante Eduardo Botelho
.

botelho@eduardobotelho.com.br - www.eduardobotelho.com.br

.

Consultor e diretor do IPEB - Instituto Profissionalizante Eduardo Botelho. - Professor e profissional de vendas há 44 anos; tendo já trabalhado como vendedor, supervisor, gerente de vendas, instrutor, gerente de treinamento e diretor comercial de empresas. - Há 13 anos é consultor comercial com absoluto sucesso no Brasil e no exterior para empresas pequenas, médias e grandes. - Palestrante e conferencista (Brasil,EUA,Portugal) com mais de 2000 atuações, sempre com grande sucesso. Já participou de mais de 1200 convenções de vendas, sendo sempre avaliado como ótimo/bom (100%). - Criador de vários cursos e palestras e autor de mais de 2000 artigos publicados em jornais e revistas no Brasil e no exterior. - Colunista do Jornal O Estado de S. Paulo durante 6 anos. - Articulista PERMANENTE das revistas Venda Mais , Business , Vencer , IOB, dentre outras e bolsista da Universidade de Nova York (EUA).

.

Para mais informações sobre palestras e cursos ligue para: (11) 3672-2124, 3672-7581 ou 3865-8003. Atendemos a todo o Brasil no horário comercial.

.

" DICAS    DO    SDR"

Transportai um punhado de terra todos os dias, e fareis uma montanha. 
Confúcio 

.

ESTRATÉGIAS MILENARES. 

( 5/6/7/8 DE 36 TOTAL )

.

Todos os exemplos apresentados, servem apenas como exemplos primários, e cada um de nós terá sua própria idéia se utilizando destas estratégias, sempre dentro dos preceitos da ética, que é fundamental." Miguel - SDR

.

ESTRATÉGIA V

Não devemos tomar ao pé da letra: - Saquear a casa em chamas...
O concorrente com problemas internos, está maduro para ser conquistado. - Os adversários que já têm problemas, são mais fáceis de vencer que os que não têm tais distrações e muitas vezes os concorrentes tendem a aumentar os problemas, para debilitar mais ainda o ponto frágil ou o ponto de investida..

. 

ESTRATÉGIA VI

Fingir ir para o leste, enquanto se entra pelo Oeste.
Os líderes que sabem quando atacar, fazem com que seus concorrentes não saibam quando defender-se. – O livro dos cinco anéis - Manuscrito do fogo - (Miyamoto Musashi).

Se produz uma falsa impressão para fazer o concorrente pensar que o ataque vem de um lado, quando na realidade está chegando de outro. O concorrente não deve descobrir as intenções dos falsos movimentos: - Se não se faz com inteligência, pode voltar-se contra si próprio.

Se os dois concorrentes tem potência similar, inclinar a situação à nosso favor, requer mais habilidade e maior complexidade na preparação delas. Estas estratégias se baseiam no sigilo e na astúcia (muito importante é conseguir com que o concorrente nos subestime), porque investidas no mercado, na retaguarda do nosso concorrente, infiltração nos negócios e aproveitamento dos pontos fracos dele, fazem a diferença para nosso lado.. 

.

ESTRATÉGIA VII

Produzir alguma coisa, a partir de nada!!!
Todo o universo tem sido criado da nada . Tao te King (Lao Tse). 
Se somos capazes de produzir alguma coisa a partir do nada, as circunstâncias mais insignificantes, podem conduzir ao êxito. – O boato repetido mil vezes, pode chegar a ser aceito como verdade... – Converter algo pequeno em grande, produzido a partir de atitudes pré-existentes para avivar os medos, aumentar os prejuízos ou desviar a percepção dos fatos. - 
Uma variante é fazer pensar aos demais, que não se tem nada, enquanto que na verdade, tem café no bule pra servir...
“Contam que uma cidade estava sitiada e seus defensores ficaram sem flechas. Os líderes ordenaram às pessoas para produzirem bonecos de tamanho natural, recheadas de palha e vestidas de preto, que os soldados desceram pela muralha ao cair da noite. As tropas sitiadoras perderam infinidade de flechas ao disparar contra os bonecos, que acreditavam serem os inimigos que escapavam. As flechas cravaram nos bonecos de palha, que foram erguidos novamente pelas cordas, e graças a isso conseguiram se munir de flechas, tantas quanto eram suficientes. Nesse momento se descobre o ardil montado a partir do nada, mas já era tarde, e já se tinha mudado a posição: desarmados, para bem armados e sem esforço. – Essa mesma noite, 500 soldados da elite da cidade sitiada, desceram pelo muro vestidos de preto, mas os inimigos acharam que eram os bonecos novamente, e não deram importância. – Os 500 homens entraram acampamento adentro e puseram a correr os sitiadores, que fugiram em debandada. 

.

ESTRATÉGIA VIII

Aparenta sempre tomar um caminho, e entra em silêncio e escondido por outro. - A investida tem êxito quando o concorrente descuida da defesa. A arte da Guerra ( Sun Tzu). – Devemos opor manobras abertas, previsíveis e públicas, a outras encobertas, surpresivas e secretas.
Significa atrair a atenção a um itinerário e desenvolver rotas alternativas. Muitas vezes o valor gasto numa investida falsa, para chamar a atenção de um concorrente, não se compara ao lucro que o êxito da investida real traz consigo.

.

COCA-COLA

A Coca-Cola é a marca mais valiosa e conhecida do mundo. - Produzida em 1886 por John Styth Pemberton, em Atlanta, começou por ser um "tônico para o cérebro e para os nervos" à base de folhas da planta de coca e extrato de caroço de cola (um fruto tropical de origem africana) misturados com água gaseificada e caramelo.
Seis anos mais tarde, Asa Candler compra os direitos do "xarope" e a sua fórmula secreta (por cerca de 1.200 dólares) e forma a Coca-Cola Company.  - Percebendo que os consumidores encaravam o produto como uma bebida e não como um medicamento, Candler desenvolveu uma estratégia de vendas e marketing agressiva. Em 1916 é fabricada a primeira garrafa de Coca-Cola com o contorno tradicional e que duraria ´por muitos, muitos anos. Em 1919, com os Estados Unidos em plena época da Lei Seca, as vendas dispararam e a empresa foi vendida por 12 milhões de dólares a um grupo liderado pelo banqueiro Ernst Woodruff.
Desde então, a internacionalização e a alteração das preferências dos consumidores fizeram com que a marca adaptasse novas características e novas embalagens, mas o seu sabor tradicional permaneceu praticamente inalterável, em 1985, uma tentativa de alteração, sob o comando de Roberto Goizueta, foi abortada perante a insatisfação dos consumidores.
A Coca-Cola continua a ser um excelente exemplo de marketing e desenvolvimento de marca com sucesso a nível mundial, que a empresa deverá continuar a explorar no futuro para enfrentar o desafio da concorrência de novas colas.

 

Somente dois tipos de pessoas podem conversar sem inibições: estranhos ou amantes. 

Os demais estão negociando. - James Grippando

 

NIKE
A Nike testemunha o verdadeiro poder da imagem das marcas globais. O seu logótipo é reconhecido em qualquer parte do mundo (Depois da super marca SDR claro...). O seu fundador, Phil Knight, era apenas um corredor esforçado da equipe de atletismo da Universidade de Oregon que, juntamente com o seu treinador, Bill Bowerman, fundou, em 1964, uma empresa importadora e distribuidora exclusiva dos tênis para atletismo Tiger. Mas a ameaça da concorrência fê-los criar o seu próprio produto, que designaram Nike, inspirados na deusa grega da vitória
A imagem desenvolvida para a marca fez com que ela se tornasse um símbolo de status, diferençável de tantos outros sapatos de tênis. A Nike não vendia sapatos desportivos, mas ideais atléticos, individualidade, auto-sacrifício e vitórias. A utilização de atletas famosos, como Michael Jordan e John McEnroe, nas campanhas publicitárias aumentou a sua notoriedade e ajudou-a a conquistar um valor de oito bilhões de dólares.

.

A Professora estava conversando com as crianças no museu, enquanto olhavam uma pintura familiar, que retratava duas crianças de cabelos bem diferentes, em cor e textura uma da outra.
Uma das suposições foi que as crianças eram adotadas. Uma criança interveio e disse que sabia tudo de adoção, porque ela era adotada. Mas nem bem terminou a frase, outra lhe perguntou: - Que significa ser adotado ?
A criança lhe respondeu: - Ser filho adotivo é crescer no coração dos teus pais, em vez de na barriga!!! 

.

Uma mulher entrou na sua casa e encontrou seu marido na ante sala da cozinha sacudindo estranhamente com o que parecia um cano elétrico enrolado em sua cintura e conectado a parede. Querendo retirar ele desse cabo, deu-lhe um golpe com uma tabua de madeira, quebrando-lhe o braço. Até esse momento, o homem estava tranqüilamente escutando um dos primeiros walkman surgidos no mercado!!!

.

"Tá bom, mas... para que serve?" - Engenheiro da Divisão de Sistemas de Computação Avançada da IBM, 

em 1968, comentando sobre o microchip.

.

111,111,111 X 111,111,111 = 12,345,678,987,654,321. 

.

A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos. - Autor Desconhecido
. . .

LASER: São as siglas de "Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation" (amplificação de luz estimulada por emissão de radiação em inglês).

.

.

" CONSTRUINDO APTIDÕES "
SR. PROF. PETER DRUCKER


É muito fácil aprender qual é a sua capacidade examinando os resultados. É preciso dizer que a maior parte de nós não sabe valorizar as aptidões. Nós as tomamos por coisas dadas. Temos facilidade em fazer as coisas para as quais temos aptidões, mas acreditamos que algo que não for difícil de fazer não pode ser bom. Não conhecemos a nossa capacidade nem aquilo de que necessitamos para melhorá-las. As pessoas instruídas deverão aprender a se conhecer melhor nos próximos 30 anos.

Temos de aprender onde nos situar e quais as nossas aptidões para extrair o máximo benefício disso. Devemos saber onde estão os nossos defeitos, quais as aptidões que não temos, onde estamos, quais são os nossos valores. 

 

Pela primeira vez da história da humanidade temos de aprender a assumir a responsabilidade de administrar a nós próprios. E, como já disse, provavelmente essa é uma mudança muito maior do que a traduzida por qualquer tecnologia - uma mudança na condição humana. Ninguém nos ensina isso - nenhuma escola, nenhuma universidade - e, provavelmente só daqui a uns 100 anos é que começaremos a fazê-los.

Enquanto isso, os realizadores (não estou falando de milionários, mas sim de pessoas que querem fazer uma contribuição para a humanidade), os que querem ter uma vida realizada e sentir que existe algum propósito para a sua passagem pelo planeta Terra, terão de aprender algo que, até há poucos anos, somente uns poucos super-realizadores sabiam: administrar a si próprios, reforçar a sua capacidade, construir seus valores.

Pela primeira vez, o mundo está cheio de opções. Quando ouço os meus netos falando das opções que têm, sinto-me muito assustado - até demais. Quando eu nasci, não havia opção alguma. E agora somos forçados a aprender que a nossa tarefa é decidir qual será a nossa opção. 

 

Mais que isso: por quê, qual é a que me serve melhor e onde me inspiro? Como eu já disse, retrospectivamente, historicamente, essa pode ser a maior transformação, o maior evento mais importante da época em que vivemos - mais importante do que a tecnologia.

 

SR. PROF. PETER DRUCKER

Trecho da Conferência Redefinindo Lideranças, Organizações e Comunidades, da Fundação Peter Drucker.

.

REFLEXÃO DO SDR

Numa viagem a Irai (RS) de um Representante Comercial em visita, como tantas outras, ele parou a beira da praça principal, para comprar um cesto artesanal, produzido e pintado pela tribo dos Caigangues, para dar de presente à esposa. (Nesta cidade está uma das reservas indígenas dos Índios Caingangues.)

Conversador como todo bom Vendedor, este mestre das palavras, esticou a língua do grupo de índios, a fim de poder aprender mais alguma coisa valiosa, e consegue uma lenda, relacionada à compra que estava fazendo e que fala do amor...

A lenda contava que um dos jovens índios da aldeia e a filha do Cacique, foram até a maloca do Pajé. Chegaram de mãos dadas e falaram para ele: -

Nós nos amamos...e vamos nos juntar para sempre, e é tanto o amor que sentimos um pelo outro que gostaríamos que nos desse uma simpatia ou alguma coisa, que nos garanta que sempre iremos ficar juntos e unidos, até que a morte nos separe. 

Que você poderia fazer pela gente ? 

O Pajé emocionado ao vê-los tão jovens, tão apaixonados e tão ansiosos por uma palavra de carinho e apoio, lhes diz: - Tem uma coisa que pode ser feita, mas é uma tarefa muito difícil e sacrificada...

Tu Naipi (o nome da moça), deves trazer uma noite depois da lua cheia, uma coruja branca, mas tem que estar viva e sem machucados, que é o mais importante, e deves usar este cocar até finalizada a tarefa.

Tu, Tarubá, deves ir rio acima, sempre a favor do vento e trazer um Cardeal adulto, macho, sem machucar e conseguir isso uma noite após a Luca cheia. Serviu-lhes um gotas de cauim e mandou realizar a tarefa...

Uma noite após a lua cheia, os jovens se apresentaram com a coruja e o cardeal. O Pajé, pediu para os namorados que entregassem seus colares e amarrou uma ponta na outra, e entregou para que eles amarrassem as outras pontas, cada uma, na pata de cada ave...

Depois mandou que os soltassem para voar. Os pássaros não conseguiam, se debatiam, se batiam, porque obedeciam diferentes sentidos e se assustavam com as asas do outro. Após algumas tentativas eles começaram a se bicar e quase quando começavam a se machucar, o Pajé liberou os pássaros, que voaram livremente para seu lares.

O Pajé abraçou os dois, enquanto caminhava com eles pela mata rumo ao rio, e lhes disse: - Jamais esqueçam o que viram hoje. Esta é minha simpatia. Vocês são como esses dois pássaros, se estiverem amarrados um ao outro, ainda que por amor, não somente viverão se arrastando, como também, cedo ou tarde, começarão a machucar-se um ao outro... - Voem juntos, mas nunca amarrados...



PRECISAMOS NOS CONSCIENTIZAR, QUE DE NADA VALE ERGUER MUSEUS, IGREJAS, TEMPLOS, PALÁCIOS, CONGRESSOS, SE NÃO RESPEITAMOS A QUEM DE DIREITO LHE CORRESPONDE ESTA TERRA E O DINHEIRO QUE HÁ NELA. - APENAS COMO UMA PEQUENA DEMONSTRAÇÃO, QUE JULGAMOS IMPROCEDENTE AS ATITUDES DOS CONQUISTADORES, QUE CHEGARAM MATANDO E DESPOJANDO DOS BENS AOS SEUS VERDADEIROS DONOS... OS INDÍGENAS.  - MUITO MAIS ANTIGO E VALIOSO QUE OURO PRETO, QUE A CATEDRAL DA ZÉ, QUE O PELOURINHO, QUE TANTOS OUTROS MONUMENTOS QUE ERGUEMOS, CUIDAMOS E REMODELAMOS, É A VIDA DOS INDÍGENAS, POR SEREM AS ALMAS DESTA TERRA...

Em Tupã, no oeste paulista, a 600 quilômetros da capital, os índios Caigangues e Krenacs, querem que a pequena escola da reserva seja uma escola bilíngüe.
Assim, vão poder passar aos filhos o idioma e as tradições da tribo. Caigangues e Krenacs estão cada dia mais longe da própria cultura. 
Eles vivem numa reserva, mas moram em casas com fogão, televisão e geladeira. 
Muitos deles não falam mais a própria língua, não conhecem as danças da tribo, nem o artesanato. 
Com a escola bilíngüe eles pretendem recuperar a herança cultural para as novas gerações. 
Caingangues e Krenacs deixaram de lado a caça e a pesca para se tornarem pequenos agricultores que plantam mandioca, feijão e amendoim. A língua e a cultura da tribo, no entanto, eles querem preservar. 
É esse o desafio do Cacique Gerson e outros índios: convencer as autoridades a contratar professores bilíngües para a pequena escola da aldeia.
Lidiana, por exemplo, uma índia de 17 anos, aprendeu a língua com a mãe e agora quer ensinar às outras crianças. Junto com os índios mais velhos, Lidiana já ensina canções, danças e artesanato aos mais jovens. 
Uma educação completa, no entanto, tem que ir além disso. 
Para o Cacique Gerson, o ensino é importante, mesmo para quem vive em uma aldeia. 
"Nosso povo antigamente não estudava e vivia muito bem. Mas hoje não há mata sequer para se esconder", diz o Cacique Gerson. 
"Onde tem mata no estado de São Paulo? Eu não sei ler, não sei nada… Se me mandarem fazer uma conta, eu não sei. Eu não queria que meus filhos crescessem assim". 
O pedido da escola bilíngüe foi feito há dois anos, mas a resposta das autoridades de Tupã ainda não veio. - A mobilização de Caigangues e Krenacs, no entanto, continua.

 

 

ADAPTAÇÃO E DESIGNE DA EQUIPE DO SDR

 

.

" PIADAS  DO  SDR"

.

PIADAS DE COR AZUL = LINDINHAS  -  PIADAS DE COR ROXA = PICANTES  -  PIADAS DE COR VERMELHO = PAHHHH

. 

Que diz uma centopéia macho quando vê passar uma centopéia fêmea  muito linda ?
-Que belo par de coxas, que belo par de coxas, que belo par de coxas... 

O paciente recém internado, recebe a bandeja de almoço e contempla a pouca comida que tinham lhe trazido. Parsimoniosamente pega a pequena taça de consome, bebe, prepara as duas folhas de alface e as coloca sobre as 25 gramas de frango, e "manduca" (comer/engolir) de um bocado só!!! 
Ao terminar chama a enfermeira e pede: - Por favor um selo...poderia me trazer. 
-Um selo ? Porque ?
-É que gosto de ler um pouco depois de almoço...

-Atenção torre, atenção torre, estou com problemas, motores parados, fogo na cauda, despressurização da cabine!!! 
- OK...OK...  Diga-nos altura, posição e tarefa atual...
-Tenho 1,78, estou de joelhos e rezando muito!!!

-Sabes que estou voltando do Médico e me tirou os cigarros, as bebidas e as drogas...

-Voltas de onde ? - Da Aduana... ?

- Não sei por que você está passando esse sutiã. Você não tem nada para por nele.
E a mulher responde: - Eu passo suas cuecas, não passo?

A moça foi se confessar com o padre e disse que, estando junto do namorado naquela semana, ele passou-lhe a mão em seus seios. 

O padre, indignado, disse que aquilo era pecado e deu-lhe uma boa penitência, pedindo para que ela não repetisse o pecado.
Na outra semana a moça retornou e confessou ao padre que o namorado havia repetido o pecado e ainda enfiou-lhe a mão na calcinha. 

O padre, indignado, deu-lhe um sermão e outra penitência ainda maior, pedindo para que ela não repetisse mais aquilo.
Na outra semana a moça voltou e disse que o namorado levou-a para passear de fusca. 

Colocou-a no banco de trás, repetiu todos os pecados das semanas anteriores e ainda posicionou-a de pernas bem abertas, enfiando os pés da garota naquelas alças da lateral interna do fusca. Finalmente, completou o serviço.
O padre ouviu toda a confissão e não disse nada. A moça estranhou e perguntou ao padre se ele havia ouvido, e qual seria a penitência. O padre continuou calado, a moça insistiu, questionando. O padre finalmente explodiu dizendo: - Faz 20 anos que eu tenho um fusca e não sabia para que servia aquelas alcinhas!

Quatro enfermeiras resolveram pregar uns trotes no estagiário de medicina. Depois se reuniram para contar o que fizeram: 
- Eu coloquei algodão no seu estetoscópio - disse a primeira, caindo na risada. 
- Eu troquei as fichas dos seus pacientes! contou a segunda. 
- Eu fui mais malvada! - exclamou a terceira. - Encontrei uma caixa de preservativos no bolso do seu jaleco e furei todinhos com uma agulha! 
A quarta enfermeira desmaiou.

Uma noviça vai pelo convento e ao descer as escadas, resvala e leva aquele tombo magistral, e na queda abre o bocão e grita: - Puta que pariu, escada de merda!!!

Nisso aparece a freira encarregada e a toma pelo nariz e lhe diz: - As noviças que utilizam palavras de baixo calão, não vão para o céu...

E a noviça retruca: - E as que tem cheiro a pinto nas mãos também não...

.

Sistema de Representação para Representantes Comerciais

.

SISTEMA DE REPRESENTAÇÃO, VENDAS E SERVIÇOS SDR

.

o sistema sdr já inclui NO PREÇO o uso em rede ilimitado sem custos extras E não tem taxa de manutenção mensal. a única taxa que o sistema sdr tem, é a anuidade de R$:120,00 para efeitos de suporte e atualização, com vencimento em março de cada ano (2007 bonificada).

.

SISTEMA sdr ORIGINAL: R$:350,00

.

..a: A VISTA com desconto especial = r$:350,00

..b: entrada e 30 dias com desconto = r$:375,00

..c: em 3 parcelas de r$:133,33 ... (0,30,60 dias) = r$:400,00

..d: em 4 parcelas de R$:100,00 ... (0,30,60,90 dias) = r$:400,00

..e: em 5 parcelas de R$:80,00 (0,30,60,90,120 dias) = r$:400,00

..f: em 10 parcelas de R$:40,00 (1ª A VISTA e 9 mensais) = r$:400,00

.

 

.

.

caso deseje alterar ou cancelar sua assinatura, clique no link a seguir:

ALTERAR ASSINATURA

.

.

ÓTIMO TRABALHO E ATÉ A PRÓXIMA EDIÇÃO!

.

SDR - SISTEMA DE REPRESENTAÇÃO E VENDAS

MIGUEL PEDRO TERRA VELAZCO

EDITOR DO JORNAL SDR

fone: 51 3019 2817.

.

Clique aqui para nós enviar um e-mail

.

INDIQUE SEU TEMA  ..-  ENVIE-NOS SUA OPINIÃO

.

Av. Caçapava 425 - sala 03 - Petrópolis -  Porto Alegre (RS) - BRASIL cep: 90460-130

 FONES: 51 -  3019 2817  -  FAX 51 3333 3553

.

.

Sistema de Representação para Representantes Comerciais

Como página inicial  Adicionar a Favoritos

Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2007 - SDR