Como página inicial

Sistema de Representação Comercial para Representantes Comerciais

Adicionar a Favoritos

.

JORNAL De REPRESENTAÇÃO comercial sdr - EDIÇÃO Nº 182 - 22.03.2003

.

SDR - SISTEMA DE REPRESENTAÇÃO E VENDAS

MIGUEL PEDRO TERRA VELAZCO

EDITOR DO JORNAL SDR

fone: 51 3019 2817.

.

Funções do Sistema de Representação Comercial e Vendas - SDR

Testes do Sistema de Representação Comercial e Vendas - SDR

Solcite seu Orçamento

Manual do Sistema de Representação Comercial e Vendas - SDR

Biblioteca dos Jonais de Representação Comercial SDR

Assinatura livre e gratuita do Jornal de Representação Comercial

Contrate os melhores e mais capacitados Representantes Comerciais

Contato com a Equipe do SDR Sistema de Representação

As melhores Dicas sobre softwares livres, Bibliotecas, Links...

FUNÇÕES

TESTE

ORÇAMENTO

MANUAL

JORNAIS

ASSINe

saiba

contato

dicas

.

.

.

LENDA COLOMBIANA

.

" A ORIGEM DAS RAÇAS ".

.

.
Os nativos contam que existia um rio de leite e que todos os seres humanos eram negros. 
.

Um primeiro grupo se acercou ao rio e se banhou nele. Ao sair, sua pele tinha perdido a cor original e se mostrava branca; daí saiu a raça branca. Ao retirar-se, as águas do rio tinham perdido sua cor original.

.

Mais tarde, outro grupo se acercou e se banhou nele e saíram os orientais, da raça amarela, que ficaram dessa cor porque a água tinha ficado um pouco descolorada. Ao retirar-se, a água se encontrava já num tom bem diferente do branco original.

.

Chegou outro grupo e se banharam no rio de leite e daí que surgiu a raça indígena; já com a cor de pele mais escura porque não alcançaram a branquear-se totalmente, devido aos banhos dos outros grupos.

.

Depois desses grupos terem se banhado, ficou muito pouca leite branca e o último grupo somente alcançou a submergir a planta dos pés e as palmas das mãos e desse grupo saiu a raça negra.
.

.

Teatro de performances na praÇa Simon BolIvar - Bogotá - Colômbia

AUTOR ANÔNIMO.

.

..

PESQUISA, DESIGN E ADAPTAÇÃO DA EQUIPE DO SDR

..

.

.

 

.

MENU DO JORNAL "DICAS DA SEMANA" nº182

.

...

.DICA DA SEMANA DA EQUIPE DO SDR - "A ORIGEM DAS RAÇAS - LENDA COLOMBIANA"

 CARTAS DE AGRADECIMENTO

ARTIGO I - "A ESSÊNCIA DA INOVAÇÃO"- SR. PROF. RICARDO JORDÃO MAGALHÃES

 DICAS E CURIOSIDADES DA EQUIPE DO SDR

 ARTIGO II - A ESTRUTURA CORPORATIVA DO FUTURO...SR. PROF. CLÁUDIO GOLDBERG

 REFLEXÃO - "A PRINCESA E O EMPREENDEDOR" - EDUCADOR EUGÊNIO MUSSAK

 ARTIGO III - "NEGOCIAÇÃO - UMA HABILIDADE FUNDAMENTAL... - PROF. MÁRCIO MIRANDA

 PIADAS DA EQUIPE DO SDR

 ARTIGO IV - "ERRANDO E APRENDENDO" - SR. PROF. L. A. COSTACURTA

 FUTURO - TENDÊNCIAS - IDÉIAS - PENSAMENTOS DA EQUIPE DO SDR

......

.

.

.

.

.

.

.

 

" CARTAS DO JORNAL 181"

EDILENE CONTINI - ÂNCORA CONSÓRCIOS
Parabéns pelo belo e proveitoso trabalho!

MARILENE CÂNDIDO DA SILVA   
Bom dia,
Este jornal é de suma importância para o profissional que desejar manter-se informado sobre mercado / negociação / marketing e afins.
Parabéns a todos que colaboram com as excelentes matérias e fazem deste jornal o melhor.

MARLI MESQUITA CARNEIRO - ESCOLA MUNICIPAL ROBERTO BRZEZINSKI E. F.
Adorei ter encontrado todos esses assuntos pois é muito útil para mim que sou professora. 

Obrigada.

PEDRO JOSÉ MAJEAU NETO

Estou conhecendo o jornal agora !! Os temas de foco me interessam !!

ROBERTO RAMOS DE OLIVEIRA
O jornal esta de parabéns tem boas informações!

IVONE MIRIAM FELDENS
O cliente deve estar sempre focado,satisfeito e surpreendido.

JOSÉ LUIZ DOS SANTOS
No complexo mundo das negociações, sai na frente quem está atualizando-se a cada dia.                      

Eis uma grande ferramenta vamos usá-lo.

ILSON GOMES DE LIMA
Prezados Senhores, 

Meus cordiais cumprimentos, pela boa qualidade das matérias publicadas neste site.

CLAUDIO MURADÁS STUMPF - MARTINELLI ADVOCACIA EMPRESARIAL
Bom dia,
Tomei conhecimento deste Jornal por meio das palestras do Dr. Lair Ribeiro, razão pela qual ficarei muito grato em receber seus artigos via e-mail.
Muito Obrigado,
MALHARIA ZANATTA
As dicas da semana são ótimas.

.

..

.

DEDICADO AOS NOVOS E VELHOS ASSINANTES

..

.

ZEUS E A MACACA MÃE

.OS VIAJANTES E O URSO

Zeus fez uma proclamação à todos os animais prometendo uma recompensa aquele que, seu filho fosse julgado o mais belo. 


Veio então a senhora macaca junto com os demais animais, com toda a ternura de mãe, com um macaquinho de nariz chato, sem pelo e doentio, como seu candidato para ganhar o prêmio. Foi um riso geral como resposta à sua apresentação.


E ela orgulhosamente lhes disse: - Eu não sei se Zeus colocará o seu prêmio sobre o meu filho, mas sei muito bem que, ao menos em meus olhos, os olhos de sua mãe, ele é o mais querido, e o mais belo de todos.


.

MORAL: "Devemos estar sempre orgulhosos daquilo que amamos, e não ter vergonha em dizer isto em público!"

.

ESOPO

.

 COM CARINHO DA EQUIPE DO SDR

.

..

.

.

.

.

.

.

.

 

..

.

. "  A ESSÊNCIA DA INOVAÇÃO "
..

.

.PROF. RICARDO JORDÃO

.

PRESIDENTE, FUNDADOR E SEU AMIGO

BIZREVOLUTION CONSULTORIA DE MARKETING

..

http://www.bizrevolution.com.br    -    ricardom@bizrevolution.com.br 
.

..

"Tudo que pode ser inventado já foi inventado"

.

Essa célebre frase foi publicada em 1899 pelo escritório de patentes dos EUA. Se esses "experts" tivessem o poder de conduzir o mundo, estaríamos ainda vivendo no escuro. Agora pare para pensar um pouco sobre a sua empresa:

  • Será que você às vezes não faz o mesmo papel de tolo ? 

  • Você realmente ouve as sugestões de seus funcionários ? 

  • Ou melhor, você ainda recebe sugestões de seus funcionários ?

  • Ou melhor ainda, você já parou para pensar porque você não recebe mais sugestões de seus funcionários ? 

 

  • Ok, você acredita que não terá tempo, dinheiro, recursos para implantar tais sugestões; 

  • Ok, você acredita que essas sugestões não trarão resultado nenhum (você já viu o seu concorrente implementá-las e quebrar a cara); 

  • Ok, você acredita que tais sugestões podem trazer riscos sérios para o seu negócio atual, afinal do jeito que as coisas estão, o seu negócio tem obtido o mesmo volume de vendas todos os meses, e os seus clientes parecem satisfeitos. Porquê mudar ? 

.

Lembre-se: O ótimo líder é aquele que não se preocupa com sua própria carreira, mas com a daqueles que trabalham para ele. É seu dever como líder provocar esse tipo de pensamento estratégico dentro da sua empresa, criar oportunidades para seus funcionários, dar liberdade para a criação de idéias, e abrir espaços para suas carreiras. 

Responda a essas perguntas: 

  • Quem é o Visionário dentro da sua empresa ? 

  • Quem tem permissão para pensar diferente ? 

  • Quem é responsável por pensar em como seria o futuro da sua empresa ? 

  • Ninguém ? 

  • Você não provoca tais questionamentos dentro da sua empresa com uma certa frequência ? 

  • Não ? 

Não se preocupe, a sua sorte é que você não está sozinho. Provavelmente o seu concorrente também não tem esse tipo de Atitude!. E por isso mesmo, você tem aqui uma oportunidade enorme para se diferenciar, inovar e liderar o seu mercado. 

Qual é a Essência da Inovação ? Idéias ! As Idéias são responsáveis por gerar Motivação, Agilidade, Produtividade e redução de custos na sua empresa. Se você quer inovar, você precisa criar e cultivar um ambiente que permita que as pessoas possam gerar idéias sem medo de não ser ouvidas ou compreendidas. Não existe nada mais motivador do que uma idéia. 
.

.

A criação faz parte da essência de todo ser humano. 

.

Somos todos criadores, e podemos fabricar hoje o mundo no qual viveremos amanhã. 

.

Afinal, A melhor maneira de prever o futuro, é criá-lo. 
.

.

Idéias... Nada menos que isso interessa. 
.

.
QUEBRA TUDO!    Foi para isso que eu vim e vocês?   
.
..

.

PROF. RICARDO JORDÃO
.
PRESIDENTE, FUNDADOR E SEU AMIGO

BIZREVOLUTION CONSULTORIA DE MARKETING
..
http://www.bizrevolution.com.br    -     ricardom@bizrevolution.com.br  

.

.

.

.

.

.

.

.

 

DICAS DA SEMANA Nº181 DO WWW.SDR.COM.BR

.

.

Liderar uma empresa é afrontar um problema atrás do outro. 

.

o modo como se encara, estabelece a diferença entre o fracasso e o êxito

..

.
Dr. Lair Ribeiro

.

www.lairribeiro.com.br   -   sintoniagrupo@uol.com.br 

.

.
Aquele que esquece o passado, está condenado a repeti-lo

.

Lembra-se daqueles erros que você cometeu ? Como evita-los no futuro ? 

Não se esqueça deles e de suas conseqüências. Veja alguns: 
;

Subestimar a concorrência. É claro que nós éramos melhor que a concorrência. Nós temos muito mais a oferecer. nós estamos no mercado a tanto tempo. ERRADO. Nós acabamos nos acomodando com a nossa situação e deixamos de colocar agressividade em nossos esforços de continuar a inovar e crescer. Nunca pense que um cliente é seu só porque você já efetuou várias vendas para ele. 
;
Agradeça a pessoa certa. As vezes nós deixamos de perguntar quem era o verdadeiro chefe. Gastamos tempo agradecendo a pessoa errada. E acabamos por descobri-lo quando ele deixou de ficar satisfeito com o nosso produto ou serviço. Não assuma que você conhece o cliente. Vá atrás dele. E quando descobri-lo peça constantes feedbacks. 
;
Ignorando problemas. É mais fácil virar o rosto para problemas que estão acontecendo com a esperança que as coisas irão melhorar com o tempo. Não acredite nisso. Determine um prazo (agressivo) para as coisas melhorarem. Se não acontecer, faça mudanças. 
;
Não cante vitória antes do tempo. Comemora apenas depois de ter entregue o produto ou serviço e ter recebido o pagamento por isso. Não comemora vitórias no momento em que o pedido chega até você. Entre o tempo em que o pedido está na mão e está sendo entregue, muita coisa pode acontecer. 
;

Não se esqueça do passado. Jamais. 

.

;

PROF. RICARDO JORDÃO MAGALHÃES - CONSULTORIA DE MARKETING 'BIZREVOLUTION"

..

www.bizrevolution.com.br   -  ricardom@bizrevolution.com.br

.

.

"Liberdade significa responsabilidade. É por isso que tanta gente tem medo dela". 

George Bernard Shaw

.

.

“restaurant”

.

significava, ate o século XVIII, “caldo reconfortante”, “restaurador”, que dava energia. 
.

Gastronomia era o termo usado na grande época da cozinha francesa do Século XIX devido as obras de Grimod da Reynière (1758-1838) famoso gourmet, anfitrião excêntrico, advogado, deputado e crítico implacável, que nesses dias organizava suntuosos banquetes em sua opulenta casa parisiense em Champs Elysees - Paris, (hoje ocupada pela Embaixada dos Estados Unidos.), que foi o primeiro a lançar uma revista de cozinha. Os gourmets foram os primeiros que começaram a escrever comercialmente a sabedoria do comer, do saber de vinhos e quais deveriam acompanhar as comidas.

.

Quando Napoleão chegou ao poder, não dava importância a arte da mesa, mas os seus ministros Talleyrand e Cambaceres compensaram a falha do Imperador. Talleyrand dizia que um bom cozinheiro era mais importante no momento das negociações que os melhores diplomáticos. Talleyrand tinha a seu serviço um dos cozinheiros mais brilhantes de sua época: Carême. Aqui nasce a indústria alimentícia: o açúcar de cana é substituído pelo açúcar de beterraba. Por logísticas militares, Nicolas Appert (vide jornal nº 177 - curiosidades) aprimora os meios de conservar os alimentos e o sistema de conservação utilizando o calor em vidro fechado, sistema logo aproveitado pelos americanos e os ingleses. 

.
.

.
.

.

Grimod de Reynière publica em 1803 “L’almanach des Gourmands”. Acaba de conceber-se a palavra “gastronomia”. Estas foram as conseqüências que na época da Revolução tiveram lugar ao redor do conceito da alimentação. Os términos "gourmand" e "gourmet" são comuns e são usados quase como sinônimos, ainda que segue-se dando ao segundo uma maior respeitabilidade. Como alguém se torna um "gourmet"? Não há uma carreira para isto e só a experiência pode outorgar o conhecimento que tal definição exige. Uma forma de iniciar-se, não obstante, é recorrer a livros de gastronomia, que não é o mesmo que os de receitas, tão em moda atualmente.
..

.

.

.
.

De Brillat Savarin, alto cargo jurídico, temos o livro que escreveu em 1825 “La physiologie du gout” e que segue sendo a bíblia de numerosos gourmets. Os menus tradicionais começam sempre com uma sopa: foi para ressaltar a sua importância que Grimod de La Reynière, experto na arte culinária da França, disse: -  "A sopa é para a comida, como a fachada é para o edifício; não é só o primeiro que se toma, senão o que deve sugerir o caráter do banquete; é igual á abertura no teatro, que anuncia o tema da ópera.
.

.

.
O costume da sopa nasceu há muito tempo, depois que Prometeo ganhou o ódio dos deuses por presentear o fogo aos mortais. Até que fabricaram os primeiros vasilhames, nossos engenhosos antepassados preparavam os seus caldos em cascas de frutos, conchas ou em buracos forrados com pele, onde junto com a água, iam as raízes e os vegetais favoritos e enchiam de pedras quentes para dar a temperatura ideal. A sopa foi o prato principal, e às vezes o único, da população rural em quase todo o mundo. Se pendurava um caldeirão no qual se enchia de verduras que se tinha no momento e acrescentava-se água, e a fervura seguia por conta própria, cozinhando a fogo lento durante horas. Também é muito usual colocar um pedaço de pão em um prato, sobre o qual se colocava a sopa quente, como segue sendo costume, por exemplo na "bouillabaisse", que é a comida cotidiana dos pescadores.

Seu nome em distintos países: - Em inglês "soup" vem de uma antiga palavra: "sop" que era uma rodela de pão embebida em molho de carne. - As raízes árabes, da clássica sopa espanhola "gazpacho", significam "pão embebido", que é simples por ser uma comida de camponeses, ou seja, uma mistura sem cozinhar de tomates frescos, pepinos e cebolas, pimentões vermelhos e verdes, alho, suco de tomate, azeite de oliva, tudo misturado com pão, para absorver o sabor das verduras. Os franceses chamaram "souper" a comida que tomavam ao entardecer, uma sopa em que se molhava o pão. A nova burguesia cidadã não desejavam lembrar do seu passado de escassez e nem tampouco queriam esquecer das frugais "soupes" e nem renunciar aos benesses e conforto que estas traziam, por isso eles tomavam "potages" cujos ingredientes precediam do jardim "potager", (horta). Assim a sopa se converteu na entrada diária de todas as casas.

Sempre presente nos momentos que implicaram grandes mudanças para a humanidade, no século XIX a industrialização também passou pela sopa, assim nasceu os cubos e o macarrão para as sopas. Em 1883, o Sr. A. Goodman, padeiro da Filadélfia que havia se estabelecido em Manhatam, começou a comercializar junto com seu filho, sopas desidratadas e macarrão para as sopas, mas suas especialidades não alcançaram boa performance. (Quem sabe por não terem os Professores de Marketing que a comunidade do SDR tem e por não contratarem Profissionais da Venda que nem nos, assinantes. (risos)). - Durante a Grande Depressão, um bom prato quente era a única coisa que pediam os grandes magnatas de Wall Street. - Sempre está quando faz falta calor e consolo. - Entre seus fanáticos se encontram muitos famosos: - "Lewis Carroll, Giusseppe Verdi, Voltaire, e até a rainha Vitória da Inglaterra que a tomava antes do café da manhã". - Contam que Marilyn Monroe era muito afeta às sopas e que antes de servi-las era costume que repetisse este versinho para seus amigos: - 
"Sete virtudes tem as sopas:/ tiram a fome/ e dão pouca sede,/fazem dormir/ e digerir,/nunca enjoam,/sempre agradam e tornam a cara colorada".

Mas foi sem dúvida alguma, Julius Michaël Johannes Maggi, que vaticinou a sopa para todos, de forma industrial e rápida de ser cozinhada. Nascido em 1846 no cantão suíço de Turgovia onde seu pai Michael, de origem italiana e nacionalizado Suíço, se estabelece como moleiro (dono de moinho, que trabalha com a moagem) em 1839. - Quando Julius tinha 15 anos o seu Pai comprou um moinho no Vale de Kempt. Muito inclinado para a ação, Julius demonstrou ser um homem de negócios, imaginativo e capaz. Era muito receptivo ao que acontecia no mundo em que vivia e graças às suas viagens e ao seu sentido de observação, deu-se conta da enorme transformação que estava experimentando a economia européia.
.

Nas fábricas, a mão de obra feminina encontrava múltiplas oportunidades de emprego. Em conseqüência, as mulheres dispunham de menos tempo para as atividades domésticas, uma delas a cozinha, que na época era muito demorada. Devido a isto, a alimentação das famílias começou a ressentir-se e o próprio rendimento laboral acusava estas falhas alimentares. O problema chegou a ser tão inquietante que as autoridades da Sociedade Suíça e em particular um de seus conselheiros, o Dr. Schuler, médico e inspetor de fábricas, que se dedicava a estudar as condições de vida das pessoas que trabalhavam nas industrias, grande amigo de Julius, abraçou a idéia de produzir uma sopa de cereais moídos, de rápido cozimento e alto poder nutricional, oferecida por Julius, aproveitando o potencial do moinho. 

Em 19 de novembro de 1884 foi firmado um convênio entre "Julius Michaël Johannes Maggi" e a Sociedade Suíça", pelo qual esta patrocinaria durante três anos o novo produto e o lançaria ao conhecimento público. Em janeiro de 1885 começou a fabricação em grande escala da farinha de legumes "MAGGI". Em finais de 1888 a Maggi estabeleceu armazéns em Paris, Berlim, Viena, Londres e entrou em contato com uma empresa nos Estados Unidos. Por esta época já tinha três farinhas de legumes, um sortido de sopas já extenso e lançava a publico um condimento: - O "aroma Maggi" que ainda hoje é conhecido por esse nome.

Foi em 1908 quando lançou o famoso "caldo em cubinhos", foi reconhecido mundialmente ao longo da história. Nessa época já vivia em Paris onde se havia dedicado a um novo segmento: -  O leite fresco. - Sua grande generosidade se concentrou na construção de vivendas para os seus funcionários, efetivou um seguro médico na empresa, incorporou a pausa ao meio dia e outorgou a seus colaboradores o sábado a tarde livre. Em 1912, faleceu na Suíça estando em plena atividade. O desaparecimento deste homem deixava um grande vazio, mas os seus colaboradores já estavam familiarizados com o negócio há muito tempo antes. Apesar da morte de seu inspirador, inventor e homem chave, a sociedade aumentou seu capital duas vezes. A empresa que seguiu sendo familiar, se fundiu com a Nestlé em 1947.
.

.

.

"Podemos nos defender de um ataque, mas somos indefesos a um elogio." 

Sigmund Freud

.

. .

.

“Vamos criar as condições para que todas as pessoas no nosso país possam comer decentemente três vezes ao dia, todos os dias, sem precisar de doações de ninguém. O Brasil não pode mais continuar convivendo com tanta desigualdade. Precisamos vencer a fome, a miséria e a exclusão social. Nossa guerra não é para matar ninguém – é para salvar vidas.”
.

Presidente da República
Luiz Inácio Lula da Silva 

.

.

" ESTAMOS EM PLENA MUDANÇA DE CONCEITOS E PROVAMOS ISSO:" 

O MELHOR RAPEIRO É BRANCO

O MELHOR GOLFISTA É NEGRO

OS SUÍÇOS GANHAM A COPA AMÉRICA DE VELA

FRANÇA ACUSA EUA DE ARROGÂNCIA E

OS ALEMÃES NÃO QUEREM IR A GUERRA

.

 

..

.

.

.

.

.

.

.

 

.

" A ESTRUTURA CORPORATIVA DO FUTURO E O RELACIONAMENTO "

.

.
SR. PROF. CLÁUDIO GOLDBERG

.

CONSULTOR

Instituto MVC  M. Vianna Costacurta Estratégia e Humanismo

.

Tão importante quanto saber de onde viemos é descobrir para onde vamos!
.

.

Há 20 anos atrás, a lógica das empresas era competir pela ótica da redução de custos, isto é, fazer mais barato que seus concorrentes. Neste sentido, observamos que toda a ciência administrativa do Marketing tratou de produzir as teorias globais que conquistaram os executivos e o mundo empresarial como a Reengenharia, Downsizing, Just-in-Time, Kanban, etc.

Na década passada, passou a produzir internamente somente aquilo que lhe proporcionava uma vantagem competitiva. No século XXI, o processo tende a radicalizar no sentido de preocupar-se somente com o que efetivamente acrescentar valor na cadeia de processo, ou seja, a capacidade de criar o produto e administrar os recursos. Isto quer dizer que as empresas serão basicamente fluxos financeiros e de conhecimento. 

 

A assertiva acima se comprova com alguns exemplos que passamos a observar no cenário de negócios atual como, por exemplo, a Dell Computadores que tem, hoje em dia, uma função de caráter eminentemente de distribuição e administração. Também a Nike dá forma a este contexto ao terceirizar suas fábricas, restando em suas mãos o Design, a gestão da marca, o fluxo financeiro e o processo logístico.

Estas mudanças, na forma de estrutura de negócios, criam uma nova ética na forma dos profissionais trabalharem, onde terão de substituir antigos métodos de comando por maior eficiência na orientação e coordenação dos processos com parceiros, fornecedores e clientes. A palavra chave no novo ambiente é relacionamento e confiança. Com isso, é possível especular que haverá uma substituição dos administradores repetitivos por profissionais do conhecimento, que tenham como elementos a mobilidade e a conectividade, características básicas que estarão presentes na próxima geração tecnológica.

Estes novos profissionais terão de estar preparados para organizar e implementar processos de relacionamento capazes de atender consumidores que, cada vez mais, estarão buscando dispositivos de comunicação móveis que possam acessar, a qualquer hora e de qualquer lugar, organizações com as quais tenham relações comerciais. Somando-se a este fato a questão da falta de tempo e a busca da personalização do atendimento, podemos inferir que as empresas necessitarão adquirir competências de presença e imediatibilidade, um neologismo que significa estar sempre próximo ao cliente para lhe dar uma resposta rápida.

Ocorre que, a capacidade de prover tempos de respostas mais ágeis aos clientes conquistada com as ferramentas tecnológicas disponíveis, embora possa ser eficiente, nem sempre é eficaz. Em verdade, as informações obtidas no front-office (onde ocorre a interface com o cliente) devem ser examinadas para dar suporte à transformação dos processos e, assim, criar condições para a implementação de um conceito bastante festejado nas empresas atualmente:
O Empowerment

  • Mas o que significa isto? 

  • Delegar poder? 

  • Encantar o Cliente?

Não meu caro leitor, é tudo isto junto analisado sob o ponto de vista da busca da fidelidade do cliente. A idéia nasce com o conceito de conhecer efetivamente seus clientes, classificando-os por valor e necessidade (o que dentro das empresas chamam de identificar o cliente, saber com quem estão tratando). 

 

Após esta etapa, é importante ter uma arquitetura de fluxo de informações capaz de levar todas as informações relevantes, da retaguarda até o ponto de contato, a fim de que se possa iniciar ou dar continuidade a um diálogo que será uma estória sem fim (o que dentro das empresas chamam de interação). 

 

Somente de posse das informações é que nossos colaboradores poderão encantar o cliente, sem que haja incursão em custos que podem não compensar e nem trazer o retorno esperado, resolvendo de forma rápida os problemas dos clientes, surpreendendo-o e obtendo o encantamento do mesmo. Assim podemos, continuamente, monitorar os hábitos de compra de nossos clientes, pavimentar e criar um sólido canal de relacionamento bidirecional com ação e resposta imediatas.

Aos cientistas e executivos mais visionários que se arriscam a prever o futuro, podemos afirmar que: a organização que conseguir alinhar seu posicionamento estratégico, sua prática de gestão comercial com o perfeito entendimento das novas tendências de serviços voltadas às características do consumidor, conciliando a utilização racional e bem planejada dos seus recursos tecnológicos, estará dando um importante passo para alcançar ou permanecer líder em seu mercado. 

 

Como mensagem final, e parafraseando Bill Gates no prefácio de seu livro A estrada do futuro, 

.

.

"Tudo aquilo que eu tiver dito de certo será considerado óbvio. 

.

O que estiver errado será considerado cômico".
.
.

.

SR. PROF. CLÁUDIO LENGA DE GOLDBERG

..
CONSULTOR 
.
Instituto MVC  M. Vianna Costacurta Estratégia e Humanismo

.

Consultor do Instituto MVC em Estruturação e Treinamento da Força de Venda. Pós-graduado em Marketing/Varejo pela Fundação Getulio Vargas e Bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Especialista em software de Gestão Empresarial, Enterprise Resource Plannig , da Sap e Oracle. Atualmente está desenvolvendo soluções para o mercado de internet sem fio - Wireless – e consultoria em implementações de softwares de CRM – Costumer Relationship Management. Têm artigos publicados em jornais e revistas como Internet Business, Gazeta Mercantil, Jornal do Brasil etc. Em sua experiência profissional inclui ser Professor dos cursos de Pós-graduação da FGV nos MBA de Marketing e Gestão Empresarial. Diretor de Empresas tais como Temper Roupas, DBA Engenharia de Serviços, C'Plus Consultoria de Informática.

.

Telefones: 11 3171-1645 / 3285-2438 - costacurta@institutomvc.com.br  (Luiz Augusto Costacurta / Angélica Stein (SP) - www.institutomvc.com.br 

.

.

.

.

.

.

.

.

 

..

" A PRINCESA E O EMPRENDEDOR "

..
SR. PROF. EUGÊNIO MUSSAK

.

DIRETOR

SAPIENS - INTELIGÊNCIA ORGANIZACIONAL.

.

CONHEÇA OS AUTORES DAS PINTURAS NO FINAL DO TEXTO 

.

Um dos livros de maior sucesso de Júlio Verne, conta a história do lorde inglês Fíleas Fogg que, respondendo a uma aposta com os colegas do Clube Reformador de Londres, partiu para uma “Volta ao Mundo em Oitenta Dias”, levando como auxiliar apenas seu mordomo, chamado Fura-Vidas. 

Em uma das passagens mais empolgantes, os dois estavam atravessando uma região selvagem da Índia, acompanhados por um guia da seita Parse e do general britânico de nome Francis Cromarty, quando viram, sem serem vistos, um sutty, ou seja, um sacrifício humano oferecido a Cali, a deusa do amor e da morte. A vítima era uma linda princesa, chamada Aouda, que estava para ser queimada viva junto com o falecido marido, o rei do local. Lorde Fíleas resolveu salvá-la, e encomendou ao grupo um plano de ação.

O general Cromarty, como a maior autoridade militar presente, imediatamente colou-se a elaborar um plano que parecia infalível. Quando apresentou a Fíleas, todos perceberam que o plano era realmente bom, com estratégia perfeita. Com certeza daria o resultado desejado, ou seja, salvar a princesa sem colocar em risco nenhum dos membros da expedição. Só tinha um pequeno defeito: exigia a utilização de uma força-tarefa composta por pelo menos quatro patrulhas bem armadas, cada qual comandada por um sargento experiente em batalhas e por um guia nativo conhecedor do terreno. Ou seja, era inviável.

Enquanto o general e o lorde conversavam, procurando uma solução para buscar os soldados e os armamentos necessários, o mordomo Fura-Vidas, que não conseguia se fazer ouvir, esgueirou-se até o local do sacrifício, retirou o corpo do rei morto, e colocou-se no lugar dele. De repente levantou-se, como se estivesse ressuscitando, e saiu carregando a princesa desfalecida, passando pelo meio do povo que considerava o acontecido como um milagre, deixando os dois em paz, permitindo a fuga.

Essa passagem do livro, muito bem explorada no filme, é um ótimo exemplo de um comportamento muito desejado atualmente nas empresas: fazer mais com menos. Enquanto a equipe gerencial estava discutindo como aumentar os recursos necessários para resolver o problema, o estagiário novato encontrou uma solução e o resolveu sem aumentar os recursos, apenas usando a criatividade e a ousadia.

Isso casa perfeitamente com o conceito moderno de competência, que pode ser equacionado da seguinte maneira: competência é diretamente proporcional ao resultado obtido, mas é inversamente proporcional ao tempo consumido e ao volume de recursos ou de esforços empregados. Ou seja, para avaliar competência, não basta considerar o resultado. É importante levar em consideração a relação custo-benefício.

É por isso que apenas conhecimento, como sinônimo de capacitação técnica já não é o determinante único da competência, devendo estar acompanhado pela habilidade para usar esse conhecimento e pela atitude mental adequada e desejável para cada situação. 

Iniciativa, criatividade, ousadia, responsabilidade. Quatro qualidades humanas cada vez mais desejadas, que quando em conjunto são identificadas pelo nome de “empreendedorismo”. 

Importante lembrar que, ainda que esse assunto seja cada vez mais considerado, não recebe espaço nas escolas, a ponto de virar disciplina na formação dos futuros administradores. Empreendedorismo é uma qualidade dos empresários, mas não só deles. Qualquer atividade, por simples que seja, pode vir acompanhada desse produto, que, se comparado a um tempero, é o que vai fazer a diferença no prato final. 

Ser empreendedor é fazer o que ninguém fez, encontrar novas soluções para antigos problemas, antecipar respostas a perguntas ainda não formuladas, agilizar processos, facilitar trâmites, acelerar resultados, colocar o sorriso antes do motivo para sorrir. Empreender é gerar riqueza, patrocinar progresso, criar vida. O empreendedor não é apenas útil, é necessário, ou mais, imprescindível. 

Todos os avanços da sociedade ou da própria humanidade deveram-se a empreendedores. E é importante lembrar que todos nós somos empreendedores, pois essa é uma característica humana. Quando não o somos, estamos boicotando nossa essência, e a culpa é, com certeza, do modelo que nos orientou. Por isso proponho que façamos, todos, um exercício de voltar à nossa origem de gametas vitoriosos. O momento é bom para isso no Brasil atual. 

Nascemos para reinventar o mundo. E isso tanto pode significar salvar a vida de uma princesa, como criar uma maneira mais eficiente de atender ao usuário do protocolo de uma repartição pública, não importa. O que importa é a sensação de estar vivo, reinventando-se permanentemente! 

Em tempo: A salvação da princesa aparece, no livro “A Volta ao Mundo em Oitenta Dias”, no capítulo chamado “A fortuna sorri aos audaciosos”.

.

.

SR. PROF. EUGÊNIO MUSSAK

EDUCADOR

..
Consultor de empresas na área de educação corporativa e desenvolvimento humano. Professor de biologia e fisiologia humana desde 1971. Docente da Universidade do Professor do Paraná. Professor colaborador do MBA de RH da Universidade de São Paulo–USP. Colunista do portal da revista Você S/A, da revista Vencer! e colaborador da revista Superinteressante. Considerado pela imprensa (revistas Veja e T&D) um dos palestrantes mais influentes da atualidade. Formado em Medicina pela UFPR, especialista pela Universidade da Califórnia (UCLA) e pelo Instituto Biosystem da Argentina, dedicou-se à Fisiologia , modalidade da medicina que aplicada ao esporte, estuda o desenvolvimento de competências críticas à prática de uma determinada atividade esportiva. Ao lado do Doutor Keneth Cooper, em Dallas (EUA), iniciou a migração desse conceito para atender às necessidades profissionais em empresas.

.

.

.

PINTURAS

As imagens apresentadas no texto são da Associação dos Pintores com a Boca e os Pés, fundada em 1956 por Erich Stegmann, que tem providenciado, por mais de 45 anos, uma vida independente para artistas que não têm o uso de suas mãos. Todos os membros dessa sociedade internacional são incapacitados de pintar usando suas mãos, e todos são beneficiados com a satisfação em poder ganhar seu próprio sustento, independente de caridade.

.
Independência, Amor e Arte

.
Os artistas associados recusam caridade, preferindo reter seu respeito próprio competindo em termos iguais com artistas normais; eles fazem de tudo para assegurar que sua Associação seja entendida como um trabalho, um negócio, e que não seja confundida com entidades filantrópicas, colorindo assim a apreciação pela sua arte por sentimento. A renda das vendas também provê bolsas para pintores com a boca ou com os pés, que primeiramente não podem atingir os padrões exigidos de um " membro", assim suas habilidades podem ser desenvolvidas e encorajadas. Além disso, subvenções são feitas para equipamentos especiais e tratamento em algumas circunstâncias.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

.

" NEGOCIAÇÃO "

.

uma habilidade fundamental para a sobrevivência em vendas

.

.
PROF. MÁRCIO MIRANDA


PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NEGOCIADORES

.

Todo profissional de vendas, mais ou cedo ou mais tarde, vai encontrar-se na situação de precisar de, pelo menos, um entendimento rudimentar da arte da negociação. Antes que você diga “eu não consigo controlar os preços”, pense a respeito do planejamento de entregas, garantias, termos ou qualquer outra coisa sobre a qual você tem controle direta ou indiretamente. Os fatos são claros:

.

  bons profissionais de vendas são bons negociadores. 

.

E assim também são os compradores!

.

Livros e mais livros têm sido escritos sobre essa arte essencial. Entretanto, a exemplo de outras competências relacionadas às vendas, muitas vezes mais é menos. O que isso significa? Simplesmente isto – vamos olhar com atenção para os seis princípios ou habilidades mais fundamentais para uma negociação de sucesso:

Esteja preparado para desistir. Na falta desse comprometimento crítico, será muito fácil para você acabar cedendo demais. A idéia aqui é: se você não está querendo desistir de sua negociação porque você não está emocionalmente capaz de dizer “está bem, eu buscarei uma outra situação mais aceitável amanhã”, você perderá. Eu garanto isso.


Fuja da primeira oferta. Negociadores chamam isso de “mostrar medo” diante a primeira oferta. Isso simplesmente significa mostrar alguma surpresa, insatisfação ou desconforto frente à primeira proposta. Aceite a primeira oferta e você provavelmente vai deixar montes de dinheiro sobre a mesa.

Não seja o primeiro a se oferecer para “rachar a diferença” ou não esteja disposto a aceitar isso. Esse é um caminho fácil para seu adversário alcançar mais rapidamente os números ou termos que ele está buscando. É também, uma tática que realmente não dá a vitória a nenhum dos lados e deixa um ou ambos com a sensação de que o “melhor negócio” não foi fechado.

Diminua o ritmo da negociação. Existe uma verdade interessante segundo a qual as pessoas geralmente querem aquilo que elas não podem ter. Esteja disposto a encontrar razões justificáveis para deixar as coisas se acalmarem. Não se apresse em nada ou não concorde com alguma coisa com a qual você terá problemas futuramente.

Sempre tente negociar pequenos detalhes que, cumulativamente, fazem uma diferença significativa na habilidade da outra parte de usar seu produto ou serviço mais fácil, eficiente ou efetivamente. Em última instância, valorize seu preço! Lembre-se sempre da sensação excessivamente pobre que a redução nos preços dá. Considere mudanças de termos – nunca de preços!

Mantenha suas emoções fora do processo. Raiva ou sentimentalismo podem levar a um pensamento confuso, decisões falhas ou arrependimentos no final. Arrependimentos sobre ser agressivo demais (ou agressivo de menos), ceder demais (ou de menos), lutar por um mau negócio (ou mesmo por um no qual você sente que ganhou muito em função da sua posição mais favorável). Em qualquer um desses casos, você pode ser levado a fazer alguma coisa que você teria evitado se estivesse mais calmo e relaxado.
.

.

Os fatos reais são esses:

.

Você pode minimizar a estresse da negociação das cinco maneiras a seguir:
.

.
1) Planejamento prévio bem feito. Conheça em detalhes seu futuro cliente bem antes de encontrá-lo. Compreenda seu negócio, perfil de lucros, pontos fracos, tendências, concorrentes e tudo mais. Esse conhecimento lhe permitirá antecipar precisamente como seu cliente em potencial responderá às suas ações.

2) Temas relacionados a qualidade. Aprenda exatamente como melhor posicionar seu produto ou serviço de modo a maximizar valor dele em relação às necessidades do cliente e mostrar o que ele pode fazer.

3) Apresente os preços e os termos no modo e momento mais apropriados. Não fuja de seu preço, termos ou condições. Não se desculpe por seu preço... não seja hesitante para declará-lo... mostre o preço somente depois de ter exposto os méritos do produto ou serviço.

4) Apresente claramente seu preço em termos que se relacionam com os benefícios que seu cliente receberá – não mostre simplesmente valores, características ou termos isolados. 

5) Confie em sua habilidade de escutar para determinar precisamente como apresentar seu produto ou serviço de maneira que isso gere um forte desejo emocional por ele – lembre-se, o medo de perder é realmente tão poderoso quanto a alegria de ganhar.

Seu futuro cliente certamente lhe fará perguntas sobre preços, termos, entrega ou outros detalhes, não importa o que você faça. Por que isso acontece? Simplesmente porque eles imaginam que isso faz parte do papel deles. Não erre. Você será testado, empurrado e puxado!

O que isso tudo significa? Que você nunca poderá evitar o processo de negociação. Entretanto, com habilidades e apresentação adequadas, você pode fazer a balança pender a seu favor. 

.

.

Não era tudo isso que você estava procurando afinal?.

.

.

PROF. MÁRCIO MIRANDA

PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NEGOCIADORES

 

Márcio Miranda é o presidente da Associação Brasileira de Negociadores e autor de diversos livros e vídeos sobre o tema. Seu livro "Negociando Para Ganhar" já está na quarta edição e é leitura obrigatória quando o tema for negociação. - Negociar bem é uma mistura de arte e ciência. Saber negociar é fundamental para o seu sucesso, tanto profissional quanto pessoal. 

 

Iniciou sua carreira, ainda jovem, nos Estados Unidos, onde residiu sete anos e graduou-se em Engenharia Eletrônica, pela Columbia Pacific University na Califórnia. Cursou, também, Marketing e Administração de Empresas na Louisiana State University, University of Houston e University of Wisconsin.

.

.

A Workshop tem o objetivo de ajudar os seus clientes a procurarem caminhos que os levem a aumentar a lucratividade e produtividade, sem esquecer que tudo isso só será possível através do comprometimento dos seus profissionais e colaboradores. 
.

Rua Adib Auada 41 - Centro Empresarial Granja Viana - Cep: 06710-700

Cotia (SP) - Tel: 11 4612-6054 ou 3871-3124  fax: 11 4612-6056 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

  .

.

PIADAS DA SEMANA DO WWW.SDR.COM.BR

.;;.

.

..

PIADAS  DE  COR AZUL = LINDINHAS 

PIADAS DE  COR  ROXA = PICANTES   

PIADAS DE COR VERMELHO = PAHHH

PIADAS DE COR VERDE = QUE NOJO!

PIADAS DE COR PRETO = PRECISA?

 

.

"Vendo gato "angorá", amanhã será muito tarde."

.

.

As melhores coisas para se dizer se você for pego dormindo no trabalho:
.

"Me disseram no banco de sangue que isto poderia acontecer."
.

"Isto é só um cochilo de 15 minutos para recuperar as energias, como foi ensinado naquele curso de gerenciamento do tempo que vocês me mandaram fazer."
.

"Eu estava imaginando como é a vida de um cego."
.
"Eu estava verificando se meu teclado é resistente a baba."
.
"Eu estava fazendo um exercício altamente específico de Yoga para aliviar o stress do trabalho. Vocês descriminam pessoas que praticam Yoga?"
.
"... e em nome de Jesus. Amém." 

.

.

Era um boiola que sempre passava por uma rua onde havia um grupo de operários trabalhando em uma obra e quando passava lhe gritavam: - tchau maricão!

E o boiola respondia: - tchau pedreiros.

Até que um dia o boiola ia passando na obra e uma gostosa ia atrás dele e os obreiros gritam: - Adeus gostosona!

E o boiola responde: - Bom dia Engenheiros!

.

.

Um casal estava dormindo profundamente como uns inocentes bebês. De repente lá pelas três horas da manhã escutam uns ruídos fora do quarto. A mulher se sobressalta e totalmente espantada diz para o homem:

- Aaaaaiiiiiii, deve ser o meu marido!!!!

O cara se levanta espantadíssimo e peladão, pula como pode pela janela e cai em cima de uma planta com espinhos. Em poucos segundos volta e diz: - Desgraçada.... se teu marido sou eu!!!.

.

.

Em um convento a Madre Superiora, enquanto se espreguiça pela manhã e murmura: - Que noite fabulosa, hoje não vou não vou amolar as pobres freiras, vou trata-las bem.
Se levanta e começa a percorrer as celas.

- Bom dia, irmã Fulana, vejo que está muito bem o suéter que esta tecendo...
- Obrigada Madre, a senhora também se vê que está muito bem, mas parece que se levantou pelo lado errado da cama hoje, não?

Não gostou nada do comentário final e continuou. No quarto seguinte repetiu: - Bom dia irmã Mengana, que bem que a vejo hoje e que lindo está ficando o seu bordado. 

- Obrigada Madre, também se vê que estás muito bem, mas parece que se levantou pelo lado errado da cama, não?

A superiora se mordeu  e seguiu o seu caminho. Mas todas as internas lhe respondiam o mesmo. Assim quando chegou na quinta já estava que tremia de raiva. 

- Bom dia irmã Sultana, seja sincera: -  Me vês como se tivesse levantado pelo lado errado da cama?

- Sim Madre...

- E o que a faz pensar isto?

- É que calçou as sandálias do padre Fulano!!!

.

.

- Que faz um leproso tocando o violão?

- Carne moída.

.

.

"Um senhor que não tinha suas duas pernas e nem os seus dois braços, caiu da cama e foi levado pelas formigas."

..

.

.

.

.

.

.

.

.

 

.

.

.

" ERRANDO E APRENDENDO "
..

.

L. A. COSTACURTA JUNQUEIRA
.

VICE - PRESIDENTE 
.

Instituto MVC  M. Vianna Costacurta Estratégia e Humanismo

 
.
.

.

"Se pudesse viver minha vida outra vez, trataria de cometer mais erros"

.
JORGE LUIS BORGES, Escritor e poeta argentino (1899-1986)

..

.

MANFRED KETS DE VRIES, Professor do INSEAD, mencionando os atributos do executivo do futuro, colocou entre suas responsabilidades a criação de um clima organizacional que permitisse ao subordinado cometer erros. Mais ainda, acrescentou que quanto mais cedo na carreira de um Gerente erros forem cometidos, menor será o custo desses erros.

Cometer erros é inerente ao processo de aprendizagem; cometer erros e assumir riscos é atributo fundamental para o exercício da função gerencial.

Em tempos em que as organizações precisam entender tanto de seu negócio, quanto de mudança, os erros são o caminho mais curto para tornar o processo de mudança mais permanente e auto-sustentado. A seguir algumas considerações sobre a importância do erro no processo de desenvolvimento gerencial:

Começamos a ter medo do erro em nossa infância, quando nossos pais só recriminavam nossas ações, diziam o que estava errado, mas não discutiam conosco alternativas para consertar os erros.
(ênfase na crítica e não no processo educacional).

 
Quando um erro é cometido, sempre se torna importante questionar o porquê; o problema pode estar com o subordinado (falta de preparação, competência etc) ou com seu superior (erro na definição do que deve ser feito, indefinição dos limites de decisão etc). Nossos superiores tendem a achar que o erro é mais problema nosso do que deles! 


Como se cria um clima de "liberação para erros"? Eis algumas frases que podem ajudar: 

  • "Na dúvida, erre por ação e não por omissão"

  • "Não espere eu retornar, decida se a situação o exigir"

  • "Você tem direito a errar 5% de suas ações, minha expectativa é que você acerte 95%".

Ainda dentro do "clima de liberação para erros", a realização de uma reunião mensal em que cada um faz uma auto-análise dos erros e acertos (iniciando-se pela apresentação do superior hierárquico), pode se constituir num excelente instrumento para que o grupo evite erros já cometidos. 


Se o subordinado cometeu um erro, use esse momento como uma oportunidade de aprendizado seja para redefinição de políticas, margens de decisão, necessidade de mais informações de sua parte etc. 


A aproximação do superior/subordinado através de uma relação mútua de confiança é um ótimo antídoto para erros. Como construí-la? Respeitando-se os quatro elementos geradores de confiança: 
Credibilidade: cumprir o que promete, fazer o que diz

  • Confiança: dizer o que pensa e sente, não dissimular

  • Abertura: dividir com o outro as informações de que dispõe, não escondendo o jogo

  • Aceitação: aceitar as diferenças individuais, conviver bem com elas

O erro não deve ser transformado num problema pessoal; julgar alguém por um erro cometido é abrir caminho para que todos na organização evitem ousar. 


O erro é uma excelente oportunidade para se aplicar o conceito de "momentos da verdade". Na medida em que erros se repetem na interação com clientes internos ou externos, é importante definir-se "respostas/comportamentos padrão para solução do problema". Trata-se de uma situação típica onde o erro se transforme em oportunidade de melhor relacionamento com o cliente. 


A eliminação de um erro tem mais a ver com a análise e correção de suas "causas" do que com ações sobre seus "efeitos". - Erros às vezes são conseqüências da utilização de apenas um dos hemisférios cerebrais (lado racional ou lado criativo). A utilização simultânea e equilibrada de ambos, no processo decisório, aperfeiçoará a qualidade do output, minimizando a possibilidade de enganos.

 
O perfeccionista reduz o número de erros, mas tende a prejudicar a velocidade das respostas. Estas são apenas algumas idéias para nos ajudar a usar o erro como oportunidade para desenvolvimento gerencial; não se trata de uma apologia do erro, mas de um convite para que todos ousem mais.
.

Que tal reunir superior/colaborador/pares e fazer avaliação do grupo tendo por base esse texto ?
.

.

L. A. COSTACURTA JUNQUEIRA
.
VICE - PRESIDENTE 
.

Instituto MVC  M. Vianna Costacurta Estratégia e Humanismo

...

Vice-Presidente do MVC - Instituto Vianna Costacurta Estratégia e Humanismo. Administrador pela FGV. Coordenador dos projetos de Educação Corporativa e Consultoria em Desenvolvimento de Talentos Humanos. Seminários e Palestras nos EUA, Portugal, Uruguai, Aruba e Paraguai. Autor dos livros Negociação: Tecnologia e Comportamento (27ª Edição – 180.000 exemplares), Sr. Presidente: A Culpa é Sua: Desenvolvendo Talentos Humanos (4ª Edição), Administração do Tempo: Um programa de Autodesenvolvimento (7ª edição), Tempo do Executivo: Problemas e Soluções (8ª edição). Co-autor, com Eunice Mendes, dos livros Falar em Público: Prazer ou Ameaça? – (4ª edição) e Comunicação Sem Medo (5ª Edição). Co-autor com Marco Aurélio Vianna em Gerente Total: Administrando com Eficácia a Empresa do Século XXI, (5ª edição). Seu livro mais recente é Cada Empresa Tem o Consultor que Merece – Como Otimizar as Relações entre Clientes e Consultores (co-autoria Célia Marchioni). 
.

Telefones: 11 3171-1645 / 3285-2438 - costacurta@institutomvc.com.br  (Luiz Augusto Costacurta / Angélica Stein (SP) - www.institutomvc.com.br 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 .

FUTURO - TENDÊNCIAS   IDÉIAS - PENSAMENTOS

 ..

.

A PARTIR DE HOJE PUBLICAREMOS A HISTÓRIA DE UMA MARCA NESTE CADERNO... - BOA LEITURA

.

EQUIPE DO SDR

.

.

.

Reconhecendo os seus clientes mais importantes
.

Quanto custa para a sua empresa conquistar novos clientes? Caro, muito caro, certo? Então o que a sua empresa faz para reconhecer a fidelidade dos seus principais clientes? 

Você oferece alguma coisa diferente para eles? Com que freqüência? Somente no Natal? Pois então comece a fazer algo com uma certa regularidade. Saia do lugar comum. Presentes no Natal todo mundo dá. Faça o que ninguém faz. 

Organize, por exemplo, um jantar e reúna os mais importantes clientes da empresa e os seus principais funcionários. (Mas não faça isso apenas uma vez, faça com uma certa regularidade. Sugestão: uma vez por trimestre), compre entradas para peças de teatro, eventos esportivos, viagens de finais de semana e entregue a eles em momentos em que eles não esperam. De preferência, vá junto com eles. 

Quer que os seus melhores clientes lembrem de você pelo menos uma vez por mês ? Pense em comprar para eles uma assinatura anual de sua revista profissional preferida. Ao receber cada edição da revista, você tem grandes chances de ser lembrado. É um pequeno valor frente a futuros negócios que você pode conseguir. 

Não reconheça a fidelidade do seu cliente após ele comprar de você como todo mundo faz. Pense na regra:
.

"Dar para Receber" 
.

Manter clientes importantes é uma tarefa difícil. Se você tem um, assegure-se que você fez algo HOJE para solidificar esse relacionamento.

.

PROF. RICARDO JORDÃO MAGALHÃES - CONSULTORIA DE MARKETING 'BIZREVOLUTION"

.

www.bizrevolution.com.br   -  ricardom@bizrevolution.com.br

.

.

 

LEMBRAM DA PIADA... - QUANTAS PESSOAS SÃO NECESSÁRIAS PARA TROCAR UMA LÂMPADA?

.

Podem esquecer dela porque estão mudando os conceitos de iluminação.  A iluminação de estado sólido é uma tecnologia emergente que mudará radicalmente a forma em que iluminaremos nossas casas, o escritório ou as instalações industriais.

A conhecida lâmpada de tungsteno, e inclusive as novas alternativas de baixo consumo, fluorescentes e outros dispositivos luminosos, ficarão praticamente obsoletos. As fontes térmicas convencionais serão substituídas por estranhas mas interessantes películas delgadas feitas de materiais orgânicos e inorgânicos.


A investigação está em desenvolvimento no Pacific Northwest National Laboratory  e esta tecnologia tem sido batizada como OLED (Organic Light Emitting Diodes, o diodos orgânicos emissores de luz).

Em sua forma mais simples, um OLED consistirá em uma capa de material orgânico luminoso situado entre dois eletrodos. Sua fabricação em forma de película permitirá sua aplicação sobre as paredes ou janelas como se fosse papel pintado. Mas as moléculas orgânicas emissoras de luz também poderão ser aplicadas sobre qualquer superfície em forma de tinta.


A tecnologia, dotada de automatismos adequados, possibilitará uma notável liberação de energia, um menor custo e uma maior comodidade. Sempre disporemos da luz justa para as necessidades que tenhamos, seja qual for o lugar fechado em que nos movamos.

.

..

PROCURE SEMPRE A RESPOSTA PARA TUDO - É UM BOM EXERCÍCIO ...

.

No ano de 1951, Sir Hugh Beaver, Diretor da "Cervecería Guinness - fundada em 1780" compareceu a uma festa de tiro e se envolveu em uma discussão com os amigos. O motivo era saber qual o pássaro mais rápido, dentre as aves conhecidas para poder distinguir se a "Tarambola" que tinham ido caçar essa tarde, levaria esse título. -  Esta curiosidade de Hugh Beaver, veio ao encontro do trabalho que realizavam os irmãos "Norris and Ross Mc Whirter", mais curiosos ainda que Hugh Beaver e que se dedicavam já a algúm tempo, a coletar dados e feitos bizarros e incríveis. Após algumas conversas e negociações, os irmãos Mc Whirter compilaram os resumos e os dados do  que hoje conhecemos como o livro "Guiness dos Records" . A primeira edição foi lançada em 27 de agosto de 1955 e logo passou a fazer parte da lista de "best sellers" (mais vendidos) para o Natal daquele ano.


Desde então o livro Guinness dos recordes mundiais se converteu em nome doméstico e quase líder nos recordes do mundo.  Stewart Newport, responsável por levar estes records, indica que sua missão é  manter a supervisão e  vigilância para garantir a exatidão e relevância  de cada Record Mundial Guinness. Sua equipe de investigadores opera com absoluta imparcialidade e comprometido com a veracidade, de maneira que ninguém, uma vez que se tenha verificado e provado a autenticidade do record, possa levantar a mínima suspeita de fraude. O livro dos records mundiais Guinness, com 7 categorias principais, já tem vendido mais de 94 milhões de cópias em 100 países diferentes e 37 idiomas.  Cada ano, vendem-se mais de 4 milhões de cópias e para o ano 2003 (a edição número 49), se incluirão mais de 1,000 novos records. - Na edição do ano 2002 esteve por mais de 20 semanas na lista de livros com maior venda do jornal New York Times. Onde o Jornal "Dicas da Semana" do SDR, é desconhecido ainda (risos)...

A empresa que ostenta os direitos desta desta publicação e de compilar estes dados é a  HIT Entertainment (anteriormente conhecida como a Henson Internacional Television), subsidiária da Henson Associates, cuja especialidade é a produção de programas de conteúdo infantil e para toda a família. Espaços como Muppet Show e o dinossauro Barney entre outros. 

Para ser um “quebrador de recordes” se requer submeter uma aplicação a instituição indicando o record que quer romper e em que categoria o mesmo se encontra. A organização lhe responderá depois de umas 4 a 6 semanas, com o guia dos demais requisitos. Deve indicar se está interessado em romper um novo record ou se deseja fazer algo que nunca tenha sido realizado anteriormente. A organização recebe anualmente cerca de 65.000 solicitações de novos records para romper ou para estabelecer pela primeira vez.

Se finalmente o consegue, o rompedor de records recebe um certificado que o credita como tal. Para fazer a tentativa de rompe-lo não é necessário pagar nenhuma taxa para a organização à menos que se requeira juízes do Guiness para que dêem crédito a façanha. São cobradas umas taxa mínimas para cópias de certificados. Ademais quem tenta romper um record não precisa pagar nada. Da mesma maneira a organização não paga nada a quem rompe um record, tão pouco cobre os gastos que se requeiram para consegui-lo. Entende-se que o reconhecimento mundial e o prestígio obtido são suficientes. Um dos rumores (hoax) que circulam na internet, via e-mail é o correio em cadeia, que se conseguir fazer o maior reenvio do mundo teu nome aparecerá no livro. É uma mentira e o e-mail não deve ser passado para à lista de amigos. Guinness World Records é uma da  marcas mais reconhecidas do mundo. O livro The Guiness Book of World Records
tem sido publicado por mais de cinqüenta anos e já tem vendido mais de 90 milhões de cópias qualificado como o livro mais lido do mundo depois da Bíblia e o Corã. O programa de televisão The Guinness World Records é vendido para 43 países, onde tem chegado a mais de 100 milhões de espectadores. Guinness World Records, Ltd. é propriedade de Diageo, cujas principais propriedades incluem "Burger King, Pillsbury e Guinness UDV, a maior companhia de bebidas alcoólicas do mundo".

Em 1999, a companhia formou a www.guinnessworldrecords.com  para complementar sua tradicional publicação de livros e canais de licenças para televisão. "Vimos uma oportunidade para criar um site de entretenimento de classe mundial respaldado por uma das maiores corporações, que aproveitava a singular marca Guinness World Records e sua propriedade, acompanhante intelectual, para produzir ingressos de publicidade significativos", afirma Stephen Nelson, diretor executivo. "Nosso conteúdo é propagável porque as pessoas estão sempre enviando novos recordes e categorias e a terminação e classificação que acompanha estes records cria comunidades naturais, um elemento chave para que as pessoas voltem para o site.

.

.

NANÔMETRO =  MILÉSIMA PARTE DO MICRO = QUE É A MILÉSIMA PARTE DO MILÍMETRO

.

Um nanômetro é umas 10.000 vezes menor que a grossura de um cabelo humano. - A palavra deriva-se de ‘nano’, medida 1.000 vezes menor que a micra que é mil vez menor que o milímetro. 

.

Já se trabalha para desenvolver tipos de naves nanometricas que permitam a viagem pelo fluxo sanguíneo, permitindo a medicina acabar com algumas células doentes ou com as modificações em alguns corpos específicos.

.

Cientistas da "Purdue University e da "Katholieke Universiteit Leuven" tem desenvolvido uma película ultra delgada de partículas de argila, de apenas um nanômetro de espessura, que poderia utilizar-se para aplicações diversas nos campos da medicina, eletrônica e na engenharia. Um outro exemplo das conquistas são os  "NANOTUBOS" desenvolvidos para os "Chips".

..

.

.
Importação deve privilegiar países vizinhos
Daniel Rittner, De Brasília

.

..

Mario Mugnaini Jr, da Camex 

"Não estamos atrás de superávit. Estamos atrás de incremento de comércio" 
.

O forte desequilíbrio nas relações comerciais do Brasil com os países da América do Sul preocupa o governo brasileiro, que começou a adotar medidas para aumentar a importação desses países. Mesmo no período de real sobrevalorizado, o Brasil manteve robustos superávits com seus vizinhos da região. Com as seguidas desvalorizações, o saldo disparou.

Sem levar em conta a Argentina, a balança com o restante dos países sul-americanos registrou superávit de US$ 2,2 bilhões no ano passado. A decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de dar prioridade máxima à região, na sua política externa, terá implicações comerciais.

O governo pretende estimular a troca de importações americanas ou européias por fornecedores mais próximos. Ajudará a organizar missões de exportadores sul-americanos ao Brasil, articulará viagens de importadores brasileiros a esses países e determinará às companhias estatais que privilegiem, na medida do possível, as empresas da região.

Esse processo está sendo chamado pelo chanceler Celso Amorim de "substituição competitiva de importações". Os assessores do presidente Lula sabem que isso pode custar algumas dezenas de milhões de dólares à balança comercial. Mas acreditam que vale a pena abrir mão de um pouco do superávit comercial deste ano, que deve superar US$ 16 bilhões, para reforçar os laços políticos com a região.

"O Brasil deve utilizar o superávit para incrementar o comércio com o Mercosul e os países andinos", afirmou ao Valor o secretário-executivo da Câmara de Comércio Exterior (Camex), Mario Mugnaini Jr. Ele acredita que, fomentando importações da região, gera-se um ambiente para que também o Brasil possa exportar mais e todos saiam ganhando. "Não estamos atrás de superávit. Estamos atrás de incremento de comércio."

A partir da conclusão de um trecho de 128 quilômetros da rodovia Tarapoto-Puerto Maldonado, que dará uma saída brasileira ao Pacífico pelo Peru, o governo também pretende reduzir o déficit com o país vizinho. Com a integração da infra-estrutura, uma das idéias em voga é estimular a compra de matérias-primas minerais (fosfóricas) da reserva peruana de Bayóvar.

Hoje as empresas brasileiras trazem esse tipo de insumo, utilizado na fabricação de fertilizantes, de países como Rússia e Marrocos. "Existe a possibilidade de usarmos essa matéria-prima, que está a 1,2 mil quilômetros da fronteira brasileira, enquanto estamos importando de 12 mil quilômetros de distância", exemplifica Mugnaini.

O governo Lula avalia que uma das necessidades, para fortalecer a integração sul-americana, é desfazer a imagem que algumas nações da região têm do Brasil como um país protecionista. Relatório do Ministério da Economia do Chile, por exemplo, aponta que o governo brasileiro adota 20 tipos de barreiras não-tarifárias contra os produtos do país andino.

Uma das estratégias adotadas é a organização de missões de empresários brasileiros, com apoio do Itamaraty, para identificar oportunidades de importação nos países sul-americanos. "O presidente Lula quer mudar essa imagem e transformar o país em um grande mercado", diz o embaixador Mário Vilalva, diretor-geral do Departamento de Promoção Comercial do Itamaraty.

No início de abril, uma delegação de executivos brasileiros de supermercados viajou a Lima para fazer uma seleção de produtos peruanos que poderiam ser importados. A aproximação pode culminar na criação de uma "aliança estratégica" com o Grupo Wong, maior do setor varejista no Peru, para intercâmbio de produtos.

Outra iniciativa é a vinda de companhias sul-americanas para tentar exportar ao Brasil. Até julho, um grupo de empresários equatorianos chegará ao país para identificar possibilidades de parcerias em 18 pequenos e médios projetos de infra-estrutura no Equador, com investimentos brasileiros. Também vão sondar as oportunidades de vender mais atum, sardinha e frutas.

"Queremos ser mais eqüânimes nas relações com os nossos vizinhos", afirma Vilalva. No ano passado, o Brasil exportou US$ 388 milhões ao Equador. Importou US$ 15 milhões. O embaixador do país andino em Brasília, Diego Ribadeneira, lembra que o desequilíbrio comercial é histórico e se acentuou com a dolarização no Equador, em janeiro de 2000, que tornou seus produtos pouco competitivos.

Ribadeneira diz, porém, que a chegada de Lula à presidência renovou as esperanças de que a integração política na América do Sul seja estendida para o campo econômico. O embaixador afirma ter sentido uma grande disposição do novo governo de aumentar as importações do Equador. "O governo brasileiro tem a maior boa vontade em facilitar a entrada dos nossos produtos pesqueiros e facilitar os entraves fitossanitários", conclui ele, que prepara uma provável visita do presidente Lucio Gutiérrez ao Brasil, até o fim de maio.

.

www.valoronline.com.br

Sistema de Representação para Representantes Comerciais

.

SISTEMA DE REPRESENTAÇÃO, VENDAS E SERVIÇOS SDR

.

o sistema sdr já inclui NO PREÇO o uso em rede ilimitado sem custos extras E não tem taxa de manutenção mensal. a única taxa que o sistema sdr tem, é a anuidade de R$:120,00 para efeitos de suporte e atualização, com vencimento em março de cada ano (2007 bonificada).

.

 

.

.

caso deseje alterar ou cancelar sua assinatura, clique no link a seguir:

ALTERAR ASSINATURA

.

.

ÓTIMO TRABALHO E ATÉ A PRÓXIMA EDIÇÃO!

.

SDR - SISTEMA DE REPRESENTAÇÃO E VENDAS

MIGUEL PEDRO TERRA VELAZCO

EDITOR DO JORNAL SDR

fone: 51 3019 2817.

.

Clique aqui para nós enviar um e-mail

.

INDIQUE SEU TEMA  ..-  ENVIE-NOS SUA OPINIÃO

.

Av. Caçapava 425 - sala 03 - Petrópolis -  Porto Alegre (RS) - BRASIL cep: 90460-130

 FONES: 51 -  3019 2817  -  FAX 51 3333 3553

.

.

Sistema de Representação para Representantes Comerciais

Como página inicial  Adicionar a Favoritos

Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2007 - SDR