Como página inicial

Sistema de Representação Comercial para Representantes Comerciais

Adicionar a Favoritos

.

JORNAL De REPRESENTAÇÃO comercial sdr - EDIÇÃO Nº 216 - 19.08.2003

.

SDR - SISTEMA DE REPRESENTAÇÃO E VENDAS

MIGUEL PEDRO TERRA VELAZCO

EDITOR DO JORNAL SDR

fone: 51 3019 2817.

.

Funções do Sistema de Representação Comercial e Vendas - SDR

Testes do Sistema de Representação Comercial e Vendas - SDR

Solcite seu Orçamento

Manual do Sistema de Representação Comercial e Vendas - SDR

Biblioteca dos Jonais de Representação Comercial SDR

Assinatura livre e gratuita do Jornal de Representação Comercial

Contrate os melhores e mais capacitados Representantes Comerciais

Contato com a Equipe do SDR Sistema de Representação

As melhores Dicas sobre softwares livres, Bibliotecas, Links...

FUNÇÕES

TESTE

ORÇAMENTO

MANUAL

JORNAIS

ASSINe

saiba

contato

dicas

.

.

.

.

. ÍNDICE DAS MATÉRIAS DO JORNAL .

.

..DICA DA SEMANA

..CARTAS DE AGRADECIMENTO

..ARTIGO DO PROF. MÁRCIO MIRANDA - "A LINGUAGEM DO CORPO"

..CURIOSIDADES, REPORTAGENS, FRASES E IDÉIAS

..ARTIGO DO PROF. ANTÔNIO B. DE PÁDUA - "SEJA IRRESISTÍVEL  FECHE MAIS VENDAS"

..REFLEXÃO DO PROF. EUGÊNIO MUSSAK - "UM ATO DE CORAGEM"

..ARTIGO DA PROF. PROF. ROBERTA CABRAL - "SUA MARCA NA INTERNET"

..PIADAS DA EQUIPE DO SDR

..ARTIGO DO PROF. LUIS MARINS - "QUEM MANDA ESTRANHOS A VINDIMA, NÃO TEM AMOR AS UVAS"

..FUTURO, HISTÓRIA DAS MARCAS, REPORTAGENS E TENDÊNCIAS.

..

.

.

.

.

.
.

. " FAÇA A SUA PARTE "

.

FOTO GANHADORA DE UM PULITZER - AUTORA lucia perkins

.

.

O homem morava numa cidade grande e trabalhava numa fábrica. Todos os dias ele pegava o ônibus das 6h15 e viajava cinqüenta minutos até o trabalho...À tardinha fazia a mesma coisa, voltando.

.

No ponto seguinte ao que homem subia, entrava uma velinha, que procurava sempre sentar na janela. Abria a bolsa tirava um pacotinho e passava a viagem toda jogando alguma coisa para fora do ônibus...
.
Um dia, o homem reparou na cena. Ficou curioso. - No dia seguinte, a mesma coisa. Certa vez sentou-se ao lado da velhinha e não resistiu: - Bom dia, desculpe a curiosidade, mas o que a senhora joga pela janela ?

.
Bom dia, respondeu a velhinha. - Jogo sementes...
Sementes?... Sementes de quê?
De flor. - É que eu viajo neste ônibus todos os dias. Olho para fora e a estrada é tão vazia. E gostaria de poder viajar vendo flores coloridas por todo o caminho.... Imagine como seria bom.

.
Mas a senhora não vê que as sementes caem no asfalto, são esmagadas pelos pneus, comidas pelos passarinhos... - A senhora acha que essas flores vão nascer aí, na beira do asfalto ?

Acho, meu filho. Mesmo que muitas sejam perdidas, algumas certamente acabam caindo na terra e com o tempo vão brotar.
Mesmo assim, demoram para crescer, precisam de água...
Ah, eu faço minha parte. Sempre há dias de chuva. Além disso, apesar da demora, se eu não jogar as sementes, as flores nunca vão nascer.

.
Dizendo isso, a velhinha virou-se para a janela aberta e recomeçou seu "trabalho". O homem desceu logo adiante, achando que a velhinha já estava meio "caduca".

O tempo passou. Um dia, no mesmo ônibus, sentado à janela, o homem levou um susto....- Olhou para fora e viu margaridas na beira da estrada, hortênsias azuis, rosas, cravos, dálias... A paisagem estava colorida, perfumada, linda. - O homem lembrou-se da velhinha, procurou-a no ônibus e...nada !

Acabou perguntando para o cobrador, que conhecia todo mundo... - A velhinha das sementes? Pois é, morreu de pneumonia, no mês passado.... - O homem voltou para o seu lugar e continuou olhando a paisagem florida pela janela, e sentiu uma lágrima correr pelo rosto, e um sorriso desabrochar em sua face...

"Quem diria, as flores brotaram mesmo..." - "Mas, pensando bem, de que adiantou o trabalho da velhinha? A coitada morreu, e não pode ver esta beleza toda que ela fora responsável..." - Nesse instante, o homem escutou atrás de si, uma gostosa risada de criança... - Uma garotinha apontava pela janela entusiasmada...

Olha mamãe, que lindo, quantas flores pela estrada... Como se chamam aquelas azuis ?....e as branquinhas ?
Então, o homem entendeu o que a velhinha tinha feito...

Mesmo não estando ali para contemplar as flores que tinha plantado, a velhinha devia estar feliz. Afinal, ela tinha dado um presente maravilhoso para as pessoas. - No dia seguinte, o homem entrou no ônibus, sentou-se numa janela e, com um sorriso maroto nos lábios, tirou um pacotinho do bolso...

.

AUTOR ANÔNIMO

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

 

" CARTAS DO JORNAL 215 "

ANTONIO EDUARDO MOREIRA CASSA 
OS ARTIGOS PUBLICADOS SÃO EXCELENTES
MIRA SANTOS DE JESUS - TECHSEAL VEDAÇÕES TÉCNICAS LTDA
PARABÉNS PELO JORNAL. BELO TRABALHO! QUERO SUGERIR ALGUMA MATÉRIA PARA  ÁREA DE SUPRIMENTOS. HOJE EXISTE MUITA AJUDA PARA VENDAS, MAS OS COMPRADORES FICAM UM POUCO ESQUECIDOS, PRECISAMOS DE AJUDA PARA SERMOS BEM SUCEDIDOS EM NOSSAS PROFISSÕES QUE ESTIMAMOS TANTO.
OBRIGADA
REGINA FERRARI - MAX PREMIUM SUPRIMENTOS PARA INFORMÁTICA
RECEBI UM E-MAIL DE UM AMIGO COM UMA MATÉRIA DE VCS,E O ENDEREÇO DO SITE, ENTREI E ADOREI,PRINCIPALMENTE A PARTE DE CURIOSIDADES. JÁ PASSEI PARA O MEU MARIDO E PARA TODOS COLEGAS DA EMPRESA.
BJS E MUITO SUCESSO,
WANDERLEY ALVES SANTOS - ATHALAIA GRÁFICA E EDITORA
GOSTARIA DE MELHORAR O MEU ATENDIMENTO AOS CLIENTES
SANDRA TRENNEPOHL - BRASIL PORTAL DAS CIDADES
GOSTEI MUITO DOS TEXTOS. PARABÉNS
ALEXANDRE VENTURA DE MEDEIROS - BRADESCO SEGUROS
GOSTARIA DE CONHECER MELHOR ESSE BENEFÍCIO.
OBRIGADO!!
HELIO RONALDO BATISTA CEZAR - CLARIANT Líder mundial em Especialidades Químicas
TENHO NECESSIDADE DE AMPLIAR MEUS CONHECIMENTOS, E ATRAVÉS DESTE, CREIO QUE ESTAREI NO CAMINHO.
ANTONIO MARTINS PESSOA
GOSTARIA RECEBER O SDR E-MAIL, POR APRESENTAR EXCELENTE CONTEÚDO
RONALDO NOGUEIRA DE PAULA
GOSTARIA DE RECEBER TAMBÉM AS FRASES QUE ANTERIORMENTE ERAM ENVIADAS.
DISTRIBUIDORA MÁXIMA LTDA
GOSTARÍAMOS de RECEBER O JORNAL, POIS FOMOS INFORMADOS QUE É DE ÓTIMA QUALIDADE .
AGRADECEMOS
CLÓVIS BLEICHVEL
LI O JORNAL E ACHEI EXCELENTE
ERCY BATISTA CLEMENTE - Danfab Distribuidora de Acessórios Ltda
EU GOSTARIA DE RECEBER O JORNAL.
CARLA VANDONI
ACHEI Os TEXTOs INTERESSantes.
ANTONIO MATTOS
PARECE INTERESSANTE, IREI AVALIAR COM MAIS CUIDADO ASSIM QUE RECEBER OS JORNAIS.
MANOEL SOARES DO COUTO NETO
GOSTARIA DE ASSINAR O JORNAL !!!
LUIZ CARLOS AYRÃO
QUERO RECEBER DICAS VIA E-MAiL

.

A VÍBORA E COBRA DE ÁGUA

.

.
Uma víbora estava acostumada a beber água de um manancial, e uma cobra de água que habitava nele tratava de impedi-la, indignada porque a víbora não contente de reinar em seu campo, também chegasse a molestar seu domínio.

.
A raiva chegou a tanto que concordaram em liberar em um combate: A que conseguisse a vitória teria a posse de tudo. - Marcaram o dia, e as rãs, que não queriam a cobra, foram para o lado da víbora, excitando-a e prometendo que a ajudariam.

.
Começou o combate e as rãs não podendo fazer outra coisa, só gritavam. - Ganhou a víbora e encheu de reprovações as rãs, pois em vez de ajuda-la na luta, não haviam feito mais que gritar. 

.

Responderam as rãs: - Mas companheira, nossa ajuda não está em nossos braços, sim em nossas vozes!
.

.

"Na luta diária tão importante é o estímulo como a ação!".  

.

ESOPO E SUA EQUIPE DO SDR

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

..

.

" A LINGUAGEM DO CORPO  "

..

.

.

..
PROF. MÁRCIO MIRANDA


PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NEGOCIADORES

.

.

Vamos conversar um pouco mais detalhadamente sobre este importante aspecto do processo de negociação, começando por duas verdades elementares sobre a linguagem corporal. 
.

...

1. A linguagem do corpo, assim como a verbal, não é universal: ela varia de povo para povo, entre as regiões de um mesmo país, de cultura para cultura e de uma época para outra. 

.
2. Não se deve generalizar ou levar ao pé da letra os sinais expressos pelo corpo e as significações atribuídas a eles pelos pseudoespecialistas: algumas pessoas podem reproduzi-los como um tique ou hábito peculiar por uma razão física ou patológica (uma doença) ou por puro acaso. 
.
O especialista Roger Dawson cita dois exemplos para ilustrar a primeira dessas verdades: o primeiro é o dos esquimós, que, ao contrário de quase todo mundo, usam um aceno de cabeça para os lados para dizer "sim" e um movimento de cabeça para cima e para baixo para indicar "
não".

. 
O segundo exemplo se deu durante a descida dos astronautas americanos na Lua, em 1969, como resposta à pergunta que mais de um bilhão de pessoas se fazia acompanhando pelo TV: "
Então como estão as coisas aí?" A resposta foi o clássico gesto de okay norte-americano - um círculo com o indicador e o polegar. Todo mundo entendeu nos Estados Unidos, ninguém entendeu no Japão, e a reação deve ter variado das gargalhadas à mais pura raiva nos países latinos. 

.
A segunda verdade também é muito importante, começando por um exemplo simples: é uma verdade quase universalmente aceita que uma pessoa, quando está mentindo, não tem coragem de olhar o interlocutor nos olhos. 

.

Contudo um negociador treinado na linguagem do corpo e consciente desse fato pode perfeitamente superar essa dificuldade. Todos acham que os fumantes fumam quando estão nervosos, mas as pesquisas indicam que, numa reunião, quando um fumante acende um cigarro, isso significa que ele se pôs em relaxamento. 

.

Outras "dicas" da linguagem do corpo: 

  • Piscar demais: indício de tensão, eventualmente de que a pessoa não fala a verdade; olhar fixamente o interlocutor sem piscar, estar aborrecido e distante, desatento do que se passa.

  • Tirar e colocar os óculos, limpá-los: o usuário está meditando e refletindo sobre o que você lhe diz e fixar o interlocutor por cima deles, duvidar de quem está falando, querer captar seus pensamentos reais.

  • Apertar as mãos calorosamente: sinal de cordialidade; acompanhar o aperto de mão com um tapinha no ombro de outro, com a mão esquerda, consideração e apreço pelo interlocutor.

  • Coçar a cabeça: dúvida, incompreensão, perplexidade, embaraço.

  • Desabotoar o colarinho ou o casaco e folgar o nó da gravata numa reunião: relaxamento, atitude à vontade.

  • Segurar o queixo entre o polegar e o dedo médio: atenção concentrada, interesse profundo; 

  • O mesmo gesto, com a cabeça inteiramente apoiada no punho e no antebraço: aborrecimento, cansaço e desinteresse. .

E não se esqueça

  • Piscadas excessivas podem apenas significar um, cacoete; 

  • Olhar por cima dos óculos pode apenas indicar que o usuário precisa passar numa ótica e fixar melhor os aros; 

  • Os políticos e advogados costumam apertar a mão com a direita e dar um tapinha no ombro com a esquerda de qualquer pessoa; 

  • Os piolhentos coçam a cabeça o tempo todo; 

  • O calor excessivo da sala, e não a distensão, pode ser a causa do afrouxar dos botões ou da gravata e assim por diante. 

Dois truques para você praticar a leitura da linguagem do corpo 
.
1. Assistir à TV sem volume de som. Observe as pessoas falando e tente compreender o que está se passando sem ouvir. Escolha inicialmente um programa familiar, como por exemplo um humorístico com quadros bem conhecidos. Depois passe para programas de entrevistas e telenoticiosos. Um bom procedimento consiste em gravar o programa em uma fita de vídeo, anotar suas impressões num papel à parte e depois compara-las com a gravação em volume normal de som.

. 
2. Observar cuidadosamente as pessoas que falam a uma distância à prova de som, quando estiver em um saguão de aeroporto, uma sala de espera ou qualquer local público onde seja obrigado a uma espera prolongada. Isso também vale para o lado de fora de uma cabine telefônica ou para os ocupantes de outras mesas em um restaurante. 

.

Observe a conversa das pessoas que você não ouve e tente deduzir pelo movimento dos lábios, mas principalmente pelo jogo de expressões faciais e pela linguagem do corpo em geral, o tema e os resultados da conversação. Você se surpreenderá como, em curto espaço de tempo, desenvolverá uma boa habilidade nesse sentido.
.

.

.

PROF. MÁRCIO MIRANDA

PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NEGOCIADORES

.

É o presidente da Associação Brasileira de Negociadores e autor de diversos livros e vídeos sobre o tema. Seu livro "Negociando Para Ganhar" já está na quarta edição e é leitura obrigatória quando o tema for negociação. - Negociar bem é uma mistura de arte e ciência. Saber negociar é fundamental para o seu sucesso, tanto profissional quanto pessoal. 

.

Iniciou sua carreira, ainda jovem, nos Estados Unidos, onde residiu sete anos e graduou-se em Engenharia Eletrônica, pela Columbia Pacific University na Califórnia. Cursou, também, Marketing e Administração de Empresas na Louisiana State University, University of Houston e University of Wisconsin.

.

.

A Workshop tem o objetivo de ajudar os seus clientes a procurarem caminhos que os levem a aumentar a lucratividade e produtividade, sem esquecer que tudo isso só será possível através do comprometimento dos seus profissionais e colaboradores. 
..

.

Rua Adib Auada 41 - Centro Empresarial Granja Viana - Cep: 06710-700

Cotia (SP) - Tel: 11 4612-6054 ou 3871-3124  fax: 11 4612-6056 

.

..

.

.

.

.

.

..

.

 

"DICAS E CURIOSIDADES" Nº216 DO WWW.SDR.COM.BR

.

.

..

..

CONSCIÊNCIA PROFISSIONAL: - uma necessidade mercadológica
.

O 5º Encontro Catarinense de Representantes Comerciais tem por objetivo propiciar ao representante comercial um tempo para congraçamento e confraternização, além de discutir questões relativas às demandas do mercado para a formação e qualificação dos profissionais da representação comercial, assim como apresentar iniciativas de sucesso, discutindo possibilidades de ampliação da atuação do representante comercial no mercado de trabalho.

Inclua entre seus compromissos para o 2º semestre de 2003, o 5º Encontro Catarinense de Representantes Comerciais, que acontecerá em Joaçaba nos dias 19 e 20 de setembro. O Encontro proporcionará aos Representantes Comerciais na manhã de sábado um debate onde serão tratados temas de interesse da profissão, além disto contaremos com a brilhante palestra do
professor Eduardo Botelho, os shows de Beto Sdrigotti, Nando Show e apresentação folclórica.

.

..

Os Seis Principais Erros dos Manuais de Vendas

.

.

A maioria das empresas investe os seus orçamentos de marketing gerando conhecimento da marca da empresa, dos seus produtos e dos seus serviços, mas investe muito pouco em equipar as suas equipes de vendas com os conhecimentos necessários para vender. E nos dias de hoje, vender é tudo menos fácil. 
.
Por essa razão, desenvolver um Manual de Vendas eficaz é fator crítico. Um bom Manual de Vendas educa a sua Força de Vendas em como se posicionar e vender as competências da empresa para os clientes que tem maior potencial para comprar. 
.
O Manual de Vendas funciona também como ferramenta de referência, organizando os detalhes que podem ser acessados pelos vendedores quando precisarem de ajuda para controlar o processo de vendas. 

Um Manual de Vendas eficaz ajuda a empresa a construir a confiança necessária para a equipe de vendas vender com conforto e enfrentar a concorrência e as dificuldades do mercado. 

Entretanto, infelizmente muitas empresas publicam um Manual de Vendas ineficaz que no final do dia não ajuda muito o vendedor, e na maioria dos casos até prejudica as vendas. Veja abaixo alguns dos erros mais comuns e algumas idéias para evitá-los. 

1º Erro. O erro de não envolver a Força de Vendas desde o início. 
Muitos departamentos de marketing desenvolvem manuais de vendas sem nenhuma ou quase nenhuma consulta ou opinião dos seus clientes – a força de vendas. O resultado é um documento totalmente desconectado da realidade de um vendedor e que só contribui para afastar ainda mais os departamentos de vendas e marketing. 

Para desenvolver um Manual de Vendas e ferramentas eficazes, o departamento de marketing precisa entender como o cliente compra e como a força de vendas vende. Ou seja, conversar com o cliente interno (força de vendas) antes de começar, e durante o processo, é crítico para o desenvolvimento de qualquer Manual de Vendas eficaz. 

  • Como o manual deve ser?

  • Qual informação deve conter? 

  • Quais manuais que você já usou e não funcionam? 

  • Qual manual você já usou e aprovou? 

São algumas das perguntas que o profissional de marketing deve fazer para o profissional de vendas antes de iniciar o trabalho. 

2º Erro. O erro de não colocar a informação adequada sobre a concorrência. 
A grande maioria dos manuais de vendas não traz informações atualizadas sobre os concorrentes da empresa, ou não faz nenhum comparativo entre as forças e fraquezas da empresa, produtos e concorrência. 

Seja honesto sobre como as fraquezas da sua empresa se comparam as forças dos seus concorrentes. Posicionar os seus serviços contra as fraquezas dos seus concorrentes é fácil. Posicionar as forças da sua concorrência em comparação a sua empresa é que é o grande desafio. 

3º Erro. O erro de não conseguir motivar ninguém. 
A força de vendas está constantemente sob uma tremenda pressão da empresa para atingir as metas determinadas. Os seus empregos estão sempre ameaçados, e por isso eles estão sempre à procura da maneira mais fácil e certa de conseguir atingir as suas metas. 

Entretanto, a maneira mais fácil de vender – é vender a linha de produto atual para um cliente freqüente e nas condições que ele pede, ao invés de tentar vender um produto novo em uma condição nova para um cliente novo ou até mesmo para o mesmo cliente. O seu desafio é conscientizar a sua força de vendas a vender nessas novas condições. 

Um Manual de Vendas eficaz consegue convencer uma equipe de vendas sobre a necessidade de trabalhar de uma nova maneira ao mostrar o potencial das vendas em clientes determinados e histórias de sucesso de vendedores e clientes que já compraram. 

4º Erro. O erro de não respeitar o tempo da Força de Vendas 
A força de vendas é constantemente bombardeada com informações sobre produtos, mudanças, ofertas, promoções, ofertas especiais, novas políticas de vendas etc. A última coisa que eles precisam é de um documento desorganizado que falha em ajudá-los a encontrar a informação que eles precisam. 

Ou seja, desenvolva um conciso e fácil de usar Manual de Vendas que traga apenas a informação que a equipe de vendas realmente precisa. Organize o conteúdo do Manual de Vendas ao pensar no fluxo natural das questões que um vendedor poderia perguntar sobre a empresa, produtos e serviços. 

Use gráficos e tabelas sempre que possível para condensar uma grande quantidade de informação e assegurar que o Manual de Vendas fique interessante para ler. 

5º - O erro de escolher o escritor errado. 
Mensagens genéricas e textos que falam apenas sobre os bilhões que a empresa fatura no mundo inteiro só funcionam para confundir os seus vendedores e por conseqüência afastar os seus clientes. 

A Força de Vendas precisa de informações objetivas, que realmente demonstre qual é o verdadeiro diferencial da empresa previamente desenvolvido com o consenso dos departamentos de marketing, vendas, engenharia, produção, comunicação e gerência. 

Se possível, desenvolva mensagens diferentes para compradores diferentes. Senão, a força de vendas irá encontrar dificuldade em entender os diferenciais da empresa na oferta dos seus produtos e serviços. 

A grande maioria dos manuais de vendas contem muita pouca informação realmente útil ao vendedor, ou às vezes muita informação técnica que não interesse nem para o cliente. 

Porque isso acontece? Quando escrito por um profissional de marketing, o manual de vendas fica sem os detalhes técnicos. Quando escrito por um profissional técnico, a mensagem de marketing é ignorada. Nenhum deles entende o processo de vendas. 

Um bom escritor de manual de vendas deve traduzir as informações técnicas em frases técnicas simples e familiares ao profissional de vendas sem deixar de lado o discurso de marketing da empresa. 

Evitar esses erros não é uma garantia de aumento de vendas, mas é uma garantia de que a sua Força de Vendas estará fazendo o que deve ser feito.

.

PROF. RICARDO JORDÃO MAGALHÃES
.
PRESIDENTE, FUNDADOR E SEU AMIGO

BIZREVOLUTION CONSULTORIA DE MARKETING
..
www.bizrevolution.com.br    -     ricardom@bizrevolution.com.br

.

.

"É importante para a obtenção de bons resultados que o primeiro passo seja dado, 

com grande determinação"

.

.
COMO UM SORRISO PODE SE TRANSFORMAR EM ALGO GRANDE
Augusto Monterroso

.

Um executivo de uma empresa de tecnologia estava em viagem de negócios em Tókio. Sempre muito humilde compartia com seus êxitos com seus funcionários. Sempre ao finalizar suas reuniões e tarefas de viagem, costumava ir comprar alguns chocolates e presentes para levar de lembrança aos seus funcionários. 

.

Nesse dia ele foi até um centro comercial dos arredores e se deparou com uma pequenina atendente muito sorridente, muito cálida na recepção e agradável dando a bem-vinda ao estabelecimento. Ele ficou tocado pelo bem que se sentiu com a recepção simples mas muito agradável. Enquanto ele comprava, prestava atenção na atendente baixinha que recebia a todos igualmente, com aquela sorriso cálido.

.

O homem estava intrigado demais com esse jeito de receber e atender as pessoas pela atendente, por iso foi até ela e perguntou: - Minha querida senhora, tendo prestado atenção que a todas as pessoas  que chegam você recebe com esse simpático sorriso e muita calidez para lhes atender; e queria lhe perguntar porque tanto carinho e se não cansava de receber assim as pessoas?

.

A mulher sorriu novamente e disse: - Não senhor, tenho trabalhado aqui por dez anos e gosto do que faço.

.

O executivo muito contente com a resposta volta a perguntar: - Mas como tem feito isto por dez anos, apenas porque gosta do seu trabalho?

.

A atendente novamente sorriu e reponde: - Senhor, sorrindo e sendo gentil com as pessoas que aqui chegam, estou servindo ao meu País.

.

O executivo não agüentou a resposta e perguntou: Serves ao teu país sorrindo, heim?

Sim senhor. Eu sorrio e todos os clientes se sentem bem, relaxados e a vontade. Compram mais, meu chefe está mais feliz e me paga melhor. E ganhando mais, posso dar mais atenção a minha família. E atendendo melhor a minha família, eles estão felizes.

.

Quando os clientes compram de nós, a demanda por produtos aumenta e ao faze-lo aumentam os pedidos, as indústrias e fábricas aumentam os empregos. Quando há mais empregos, a gente de nosso país está feliz. Como uma grande parte de nossos clientes são do estrangeiro, temos entrada de divisas, nosso país tem mais dinheiro e pode investir nas pessoas, se tornando cada vez mais rico a cada dia.

.

E gente contente como você, satisfeita com nosso serviço e atendimento, visita nosso país mais seguido, atraído pelo bem que lhe fizemos se sentir e até as vezes depois de contar-lhe a sua família, graças a estar contente com o atendimento, meu país consegue novos visitantes, mais dinheiro e mais gente feliz. Assim é que sirvo ao meu pais sorrindo...

.

Surpreso com tamanha atitude, o executivo se despede da amável e simpática atendente, agradecendo pela lição. Voltando para seu país, repassou a filosofia para seus funcionários, para que todos pudessem ter a mesma atitude com os clientes, e hoje essa empresa é mais uma que serve ao país sorrindo.

.

Augusto Monterroso - (1921-2003).

.

Nasceu em Tegucigalpa, capital de Honduras e desde 1944 sua residência habitual  era no México, país ao qual se mudou por motivos políticos.

.

Começa a publicar seus textos a partir de 1959, onde  prefiguram os rasgos fundamentais do que será sua personalíssima narrativa.

.

Uma prosa concisa, singela, acessível, onde sempre relata a consciência dos grandes mitos da literatura e uma aberta inclinação a paródia, a fábula e o ensaio.

.

Faleceu em 07 de fevereiro de 2003  como conseqüência de uma parada cardíaca.

.

 

"Por isto está escrito nos livros simbólicos e sagrados, que as pessoas serão julgadas, 

não conforme seus pensamentos e suas idéias, mas segundo suas obras. 

.

Para ser é preciso fazer..."

.

.

Treinar é diferente de adestrar

.

Com o enxugamento das equipes, a concorrência batendo firme e as metas cada vez mais ambiciosas, desista de fazer de cada vendedor um agente de relacionamento, apesar de eles serem potencialmente os mais indicados. Diante deste cenário vale a pena investir no pessoal do SAC para a realização desta importante atividade. Por favor não espere mais, pois quando você menos esperar pode ser tarde, pois quase tudo virou commodity e a diferença será o relacionamento.
.
Desculpe o mau jeito, mas chefe ( gestor?) dá ordens. Treinar é diferente de adestrar. Procedimentos comerciais, preenchimento de formulários, navegar pelas telas do computador isto é, aquilo que é certo ou errado sem meios termos, pode ser uma função do chefe e que muitas vezes é confundido com treinar. 
.
Treinar é provocar a dúvida, a discussão, o questionamento de posturas e paradigmas; é também, e principalmente, provocar conscientemente mudanças no sentido desejado, elevando a performance para patamares superiores, elevando a auto-estima dos alunos, estimulando as mudanças, dando-lhes confiança.
.

.

José Teófilo Neto 

é engº, consultor e educador. É diretor da Comunicação Direta. teofilo@comunicacaodireta.com.br  fone: 11 5044 5822

.

.

"É somente neste mundo que podemos rir.  No inferno, não será possível;  e no céu, não será correto."

. 
Jules Renard

.

.

UM CONSELHO

.

Não adianta pura e simplesmente aumentar a pressão sobre as suas equipes. A época da "cenoura e do chicote" já passou. O grande desafio daqui para a frente será capacitar suas equipes e você mesmo para entender a Cadeia de Valores de seus clientes e descobrir como sua oferta poderá ajudá-los a defender melhor o seu posicionamento competitivo.

. 

Se você tem dúvidas sobre o que é ou sobre como estudar a Cadeia de Valores de uma empresa ou se não tem certeza de compreender bem o conceito de posicionamento competitivo, não hesite: tenha a humildade de compreender suas limitações, estabeleça seu plano de auto-desenvolvimento sozinho ou com a ajuda do pessoal de RH e comece já a rever alguns conceitos.

.

Se já domina confortavelmente estes conceitos, ensine-os a sua equipe. Você vai se surpreender com os resultados. 
.

.

SR. PROF. JOÃO BAPTISTA  VILHENA

.
.VICE - PRESIDENTE 
.
Instituto MVC  M. Vianna Costacurta Estratégia e Humanismo

.

.Contatos: 11 3171-1645 / 3285-2438 - costacurta@institutomvc.com.br  (Luiz Augusto Costacurta) (SP) ou 21-2518-2321 - mvcmt@uninet.com.br  (Maria Teresa) (RJ) - www.institutomvc.com.br

.

.

"No meio de uma grande alegria, não prometas nada a ninguém.
No meio de uma grande fúria, não respondas a carta alguma."

.
Provérbio Chinês

.

 

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

SR. PROF. ANTÔNIO DE PÁDUA B. BRAGA

.

.
Consultor da SAGRA - Consultoria em Vendas

..

.

" SEJA IRRESISTÍVEL E FECHE MAIS VENDAS "

.

.
Numa recente entrevista de televisão me foi perguntado se existe vendedor irresistível. Essa pergunta é interessante porque geralmente a primeira idéia que as pessoas fazem do vendedor irresistível é daquele profissional que não deixa de fazer a venda logo no primeiro contato, que não dá viagem perdida. Aquele vendedor bom de papo, estilo camelô, capaz de dobrar qualquer pessoa.

.

Em resumo, pensa-se logo no vendedor de geladeira para esquimó. Na realidade esse profissional não é irresistível, mas sim um especialista em obter vantagens pressionando pessoas que não têm capacidade de resistir ao seu tamanho poder de persuasão (pressão mesmo).

..

Conhecido popularmente como 

ganhar no grito”. 

.
.

Então, existe o vendedor irresistível?

.

Não há dúvida de que existe. E ele é irresistível por ser exatamente o oposto do profissional acima. É o vendedor que age com competência, ética e muito profissionalismo. Que sabe que o cliente tem direitos e respeita esses direitos. Tem sempre em mente que o cliente tem necessidades a serem satisfeitas e por isso as satisfaz com os benefícios dos seus produtos e serviços e não, simplesmente, vendendo-lhe algo que atenda somente os próprios interesses.

.

É o profissional organizado, que se planeja, que faz pré-venda e pós-venda e conhece perfeitamente os seus clientes. Ao invés de substrair com as suas ações, está sempre somando, justamente por ser partidário das relações ganha-ganha. Torna-se irresistível a tal ponto que o cliente faz questão de comprar o seu produto/serviço por estar convicto de que as suas ações, sugestões e orientações são sempre valiosíssimas. Com isso ganha logo a condição de consultor de negócios dos seus clientes.
.
Para o vendedor irresistível não existe maré ruim, pois quando a onda está baixa para o outro é porque está alta para ele e, como acontece com os bons surfistas, está sempre pronto para aproveitar as oportunidades para boas surfadas. Enquanto o outro está reclamando, ele está usufruindo os resultados do seu trabalho, compartilhado com o seu fiel cliente e amigo. A sua irresistibilidade é uma conseqüência natural do seu trabalho, traduzido exatamente no que todo vendedor mais almeja – o fechamento de vendas.

.

Portanto, ele é um especialista em fechamento, característica atribuída somente aos profissionais que se diferenciam dos demais, fazendo parte da elite dos vendedores, dos grandes campeões. E o que esses profissionais fazem de diferente para se tornarem especialistas em fechamento de vendas, ao contrário de outros que vêem nessa tarefa um grande problema, que têm como conseqüência o bloqueio no momento da conclusão da venda?

.

.

Vejamos algumas ações positivas desses profissionais 

que os colocam num nível diferenciado.
.

.
1) São planejados e objetivos em todo o processo da venda. Nas entrevistas de vendas, conduzem o cliente a expor suas necessidades/problemas através de uma ordenada e inteligente sondagem, culminando com uma boa apresentação do produto/serviço, bastante rica em benefícios de interesse do cliente, o qual fica convicto do bom negócio que está fazendo.

2) São bastante decididos e têm iniciativa, ao contrário de outros profissionais que são tímidos em fechamentos. São conscientes de que a decisão de compra é do cliente, depois que este percebeu utilidade e valor no produto/serviço, mas que a iniciativa de fechar é do vendedor. Sabem também que existe o momento de compra, o qual não pode passar despercebido, como acontece com os não profissionais. Esse momento é importantíssimo e decisivo na venda. E o cliente percebe a falta de iniciativa do vendedor que o leva ao desinteresse pela continuidade da negociação.

3) São altamente protegidos contra rejeição, ao contrário dos outros, que já encaram a resistência do cliente, o “não”, altamente favorável para o fechamento, como uma questão pessoal. Os especialistas em fechamento sabem que se ocorreu alguma objeção durante a sua apresentação, isso faz parte da negociação e que só acontece com profissionais, pois os amadores desistem logo no início. Para tanto, estão aptos a supera-las e fazer o fechamento com maestria.

4) Os especialistas em fechamento nunca (mas nunca mesmo) fazem da objeção um objeto de confronto. Primeiro, porque são profissionais especializados em vendas. Segundo, porque são conscientes de que numa discussão sobre o seu produto/serviço o vendedor ganha do cliente, mas perde o mais importante - a venda e, talvez, até o cliente para sempre.

5) Os profissionais também nunca ficam de baixo astral, dando-se por vencido, por não ter conseguido fechar uma venda, pois sabem que isso é normal na vida do vendedor, mesmo do irresistível. Ao invés de ficarem se lamentando, perdendo tempo, como os outros, ocupam-se em fazer uma análise do que ocorreu, se houve alguma falha durante a entrevista, na apresentação do produto, de modo a se prepararem devidamente para o próximo contato. Estão sempre buscando o aprendizado e aprimoramento, razão por que são qualificados e se diferenciam dos demais. 

6) Os vendedores irresistíveis são especialistas em superar objeções com tranqüilidade e naturalidade, colocando-se sempre ao lado do seu cliente, de modo a entenderem as resistências de cada um, sendo normal elas acontecerem e que eles estão ali para removê-las. Para tanto, sabem o momento certo de apoiar o cliente, estimulando-o a falar mais sobre suas dúvidas, para que possam esclarecê-las em seguida e fazerem um belo fechamento, trabalho esse reservado somente aos grandes profissionais de vendas, aos vendedores realmente irresistíveis.
 
.

.

SUCESSO! 
.

.

SR. PROF. ANTÔNIO DE PÁDUA B. BRAGA

.

.
Consultor da SAGRA - Consultoria em Vendas

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

.

" UM ATO DE CORAGEM "

...

.

..
SR. PROF. EUGÊNIO MUSSAK

.

DIRETOR

SAPIENS - INTELIGÊNCIA ORGANIZACIONAL.

.

..

Quem já experimentou a emoção de surfar, de cavalgar uma onda equilibrando-se em cima de uma prancha de poliuretano, que mede entre seis e sete pés (entre 1,85 m e 2,13 m), sabe que poucas sensações podem ser mais espetaculares, e mais difíceis de traduzir com palavras. Os mais fanáticos chegam a exagerar: “entre sexo e surfe, fico com o surfe”.

O imenso prazer retirado do surfe é proporcional à dificuldade em praticá-lo. Remar montado na prancha, esperar na área adequada, escolher a onda certa, entrar nela no momento preciso, alinhar o eixo, ficar de pé, equilibrar-se, para finalmente “surfar”. Isso sem contar o preparo físico, a resistência ao frio, ao vento, ao sol, às águas vivas, aos recifes, à hostilidade de grupos nativos, etc. Cansou? Quem sabe um frescobol...

O surfe é tido como um esporte para gente corajosa. Rapazes e moças, jovens ou nem tanto, mas sempre corajosos. Por isso uma atitude de não coragem, nesse meio, é visto com desconfiança. Há até um vocabulário próprio: “amarelar” e “puxar o bico”. No entanto essas duas expressões têm significados diferentes. 

Amarelar” significa desistir de enfrentar uma situação perigosa ou difícil, por medo. “Puxar o bico” tem o significado de não enfrentar uma situação por não considerá-la apropriada, e não por medo. Imagine a cena. Você entra em uma onda, com a melhor das intenções, quando percebe que algo está errado. Alguém entrou na frente, ou você não está bem posicionado, ou está muito perto dos recifes, ou outra situação qualquer que sinaliza que não é prudente pegar essa onda. O que você faz? Desvia o eixo da prancha retirando-a da onda, “puxa o bico” e cai fora, esperando onda melhor. Nada mais lógico. Você não amarelou, apenas puxou o bico. 

Foi o que fez o Neco Padaratz, o surfista catarinense que está entre os melhores do mundo, ao anunciar que não iria participar da terceira etapa do Mundial de Surfe, o World Championship Tour (WTC), em Teahupoo, no Taiti. Neco puxou o bico de Teahupoo, mas acabou pegando a melhor onda de sua vida: a da percepção de suas potencialidades e de seus limites, dando uma espetacular lição de grandeza, pois teve a humildade de reconhecer que não está preparado para essa etapa – lembremos que a humildade é uma qualidade dos grandes. 

Em carta aberta o catarinense reconheceu: “
Todo ser humano tem seu limite, e hoje, meu limite é Teahupoo”. Nenhuma onda do mundo mete medo em Neco, nem as de Teahupoo. Ele apenas reconhece seu perigo que, em 2000 quase tirou sua vida, quando no meio de uma disputa, foi literalmente sugado pela onda e arremessado ao encontro dos corais que o mantiveram preso, tendo sido resgatado nos últimos instantes. Ele de fato entende de limites; esteve naquele que separa a vida da morte. 

Coragem não é o oposto do medo; o oposto do medo é o “
não medo”, e cumpre função contrária a ele. O medo é uma condição tão óbvia que carece de exploração, mas sempre é bom lembrar que se trata de uma necessidade da própria biologia, ligada à manutenção da vida. O medo impede a exposição do indivíduo – animal ou humano, ao perigo superior à sua condição de enfrentá-lo. Nesse sentido, o não medo é danoso à vida, é contrário à existência, é irresponsável para com a própria Natureza. Não ter medo significa não ter apego à própria condição de ser vivo, podendo, nesse sentido, ser interpretado como uma patologia. Não é bom não ter medo, é uma espécie de doença. 

Já a coragem é um estado de superação, baseado na lucidez, na percepção das próprias capacidades e limites, no auto-conhecimento. A coragem transita entre o medo e o não medo. Supera o primeiro, mas ri-se do segundo. O corajoso não é um imprudente. Ele tem medo, mas vence, não por bravata, mas por preparar-se para enfrentar as dificuldades denunciadas pelo medo. 

Voltando ao mar, todos conhecemos a história de Moby Dick, a colossal baleia, o monstro dos mares. Trata-se de um livro do escritor americano Herman Melville que, antes de ser escritor foi marinheiro, portanto escrevia com propriedade sobre as coisas do mar. A história é relatada pelo jovem Ismael, que foi o único sobrevivente da viagem que tinha por finalidade caçar Moby Dick, o que era a obsessão do comandante Acab, capitão do navio baleeiro Pequod. 

Pois bem, o capitão Acab, esse corajoso lobo-do-mar, dono de um currículo que incluía inclusive encontros anteriores com a tal baleia, ao dirigir-se à tripulação, disse: - “
Não quero no meu barco nenhum homem que não tenha medo de baleia”. 

Dizem os estudiosos da obra de Melville que a simbologia da aventura mostra o encontro do homem com seu próprio destino, que no final é a morte. Moby Dick é apresentado como uma encarnação dos medos que todos temos, e o Pequod, os meios que desenvolvemos para enfrentá-los. A filosofia do capitão, que queria homens corajosos, mas não sem medo, é o melhor testemunho da importância do autoconhecimento, que nos permite avaliar nossos limites e nossos alcances. A vitória da baleia não é a vitória da imprudência, e sim um alerta ao valor da cautela. 

A vida da maioria de nós, mortais comuns, que trabalhamos em escritórios, empresas, consultórios, parece, numa primeira análise, que pouco tem a ver com as fantásticas histórias que vimos até aqui, mas isso não é verdade. Independente do que você faça, tem lá seu Teahupoo e seu Moby Dick. E você faz muito bem em ter medo deles, o que não significa que você esteja acovardado. Se você não tiver medo, está com problemas, se não tiver coragem, também. 

O dia a dia do cidadão que pega trânsito, que faz negócios, que participa de reuniões, que fala em público, que faz entrevista de emprego, que enfrenta chefe nervoso, é, sim, cheio de pequenos “perigos”, que têm ainda a qualidade da superposição e da acumulação. Atualmente, sobrevivência é sinônimo de superação. Precisamos estar em permanente processo de melhoria, pois caso contrário somos facilmente ultrapassados pela concorrência. Às vezes temos a sensação que precisamos ser “super-homens” e super-mulheres”. 

O filósofo alemão Friedrich Nietzsche publicou, em 1892, o livro Assim Falava Zaratustra, em que ele reeditava as idéias de Zaratustra, também chamado Zoroastro, um profeta persa do século VI a.C., que teria escrito sobre a necessidade do surgimento de um “super-homem” para enfrentar as dificuldades crescentes do mundo. A idéia de Zaratustra, no entanto, como explica Nietzsche, não tem nada a ver com um homem de músculos de aço. 

Ele utilizou uma metáfora para que as pessoas comuns chegassem à conclusão de que todos nós somos “super-homens” em potencial. Isso, no entanto, não tem nada a ver com esculpir músculos ou tomar alguma espécie de elixir da inteligência. Nós nos tornamos “super”, quando vencemos nossos inimigos internos, que são os piores, e quando aprendemos a conhecer nossos medos, modificar nossos hábitos incorretos e fazer o que precisa ser feito sem deixar para depois. As principais características do Super Homem de Zaratustra não são a visão de raios X ou a capacidade de voar, mas a vontade e a coragem.

E a coragem não elimina o medo, mas cria com ele uma dualidade, e esta pode ser chamada de maturidade. Essa foi a onda que Neco Padaratz surfou. A onda da maturidade, a melhor de todas, pois é a que nos dá a verdadeira sensação de liberdade. Neco não precisa provar mais nada para ninguém. Para ele a maturidade chegou aos vinte e sete anos. E a sua, amigo leitor, como anda? 

.

.

.

.

SR. PROF. EUGÊNIO MUSSAK

EDUCADOR

..
Consultor de empresas na área de educação corporativa e desenvolvimento humano. Professor de biologia e fisiologia humana desde 1971. Docente da Universidade do Professor do Paraná. Professor colaborador do MBA de RH da Universidade de São Paulo–USP. Colunista do portal da revista Você S/A, da revista Vencer! e colaborador da revista Superinteressante. Considerado pela imprensa (revistas Veja e T&D) um dos palestrantes mais influentes da atualidade. Formado em Medicina pela UFPR, especialista pela Universidade da Califórnia (UCLA) e pelo Instituto Biosystem da Argentina, dedicou-se à Fisiologia , modalidade da medicina que aplicada ao esporte, estuda o desenvolvimento de competências críticas à prática de uma determinada atividade esportiva. Ao lado do Doutor Keneth Cooper, em Dallas (EUA), iniciou a migração desse conceito para atender às necessidades profissionais em empresas.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

....

 

.

.

" SUA MARCA NA INTERNET " ..

.

SRA. PROF. ROBERTA CABRAL

DIRETORA DA SAPIENS CONSULTORIA DE MARKETING

.

.
Pergunte a qualquer pessoa quais as marcas mais famosas na internet. As primeiras lembradas são sempre SDR, Amazon, E-bay, Yahoo!, America Online, etc. Não fazem parte desta lista as marcas mais famosas do mundo - McDonald’s, Nike e Coca-Cola - nem as empresas de alta tecnologia intimamente ligadas à internet, como a Microsoft por exemplo. Parece incrível, mas as marcas mais lembradas da Internet só existem na própria Internet.

Nos primórdios da internet - que alguns analistas chamam de a 1.ª onda - as empresas simplesmente criavam seus sites e os "penduravam" na web. Sem verba para propaganda e para qualquer outra despesa, esses pioneiros só sobreviveram graças ao estardalhaço criado, no início, pelos próprios internautas e, depois, pela mídia - ou seja, grande parte dos sites foi construído com base na novidade que a Internet representava. Mas tudo isso mudou, e grande parte deles já saíram de cena.

Hoje as empresas concorrem com dezenas de milhares de sites e precisam de mais do que um estardalhaço para marcar sua presença no mundo virtual. A tão desejada propaganda boca-a-boca já não é mais o suficiente para fazer a fama de um site.

Os fãs da Coca-Cola que perdoem a heresia, mas o site da Coca-Cola já foi considerado por Marc Johnson - analista de Júpiter - como o pior da Internet. Segundo ele, a empresa permanecia no passado, dando ênfase a jogos infantis, e não oferecendo de nada realmente útil.

A exemplo da Coca-Cola há alguns anos, muitas empresas ainda sem certeza do que fazer, agarraram-se à antiga fórmula de criar sites cheios de truques e com pouco valor real para o consumidor. Este meio compromisso com a internet tem grandes chances de dar errado.

Para construir sua marca na internet, as empresas convencionais têm de abandonar alguns conceitos do passado e perceber que interatividade na Internet não significa um jogo divertido, mas marketing de venda. Independentemente do meio - físico ou virtual - sua empresa vai continuar precisando saber o que sempre precisou saber: o que seus clientes querem. 

O que as empresas precisam perceber é que a tecnologia de construção de sites é a parte mais fácil e a mais dinâmica. É na estratégia que muitas delas tropeçam.

Aí vão 9 dicas para ajudá-lo a marcar sua presença na Internet:

1) Confirme se todos os executivos conhecem as estratégias apropriadas à internet e se todos concordam com o projeto. A instalação e a operação do site podem ser centralizadas ou terceirizadas, porém independentemente da opção de sua empresa TODOS devem conhecer os objetivos práticos do site e como ele funciona do ponto de vista prático.

2) Introduza as melhorias tecnológicas em etapas. Isso até pode parecer um absurdo, mas tenha em mente que muitas das pessoas que freqüentam o universo da internet ainda têm hardaware e software antigos e precisam muito mais de facilidade de acesso do que sinos e estrelinhas pipocando. Certamente sua empresa será mais definida pelo atendimento, serviço e informações relevantes que oferece ao cliente do que pela tecnologia que utiliza.

3) Não olhe só o próprio umbigo. Além de entrar em seu site, visite o dos concorrentes, cadastre-se para receber os serviços, analise o conteúdo, compre o produto anunciado. Analise criteriosamente todos os processos (facilidade de uso, acesso, opções de pagamento, descrição do processo de compra, pós-venda, entrega do produto, comunicações com o usuário, etc). Peça para amigos e parentes fazerem o mesmo e ouça atentamente qualquer crítica informal.

4) Procure constantemente promover melhorias na navegação e na prestação de serviços. No caso de vendas pelo site seja objetivo nas explicações e oriente rapidamente o cliente a comprar. Cada clique a mais no mouse - e a respectiva demora - significa um risco de perda de cliente. Seja obcecado pela racionalização do processo.

5) Não se deixe seduzir por todas as opções tecnológicas - sons ululantes, efeitos especiais, cores mudando - seja coerente com a identidade e a estratégia da sua empresa no mundo real. Na maior parte das vezes, menos é mais.

6) Não se esqueça de colocar o seu endereço na web em todos os canais de comunicação de sua empresa - impressos, sacola, recibos, propagandas, etc. Treine o pessoal de vendas do seu show-room para mencionar o site da empresa nas conversas com clientes.

7) Mantenha alguém dentro da empresa diretamente envolvido com os processos dentro do seu site. Todos os e-mails devem ser respondidos imediatamente. Cumprir à risca tudo o que foi prometido é um dos pontos principais para gerar credibilidade. Atenção redobrada ao gerenciamento do banco de dados. Deixe sua política de privacidade e outros procedimentos operacionais do site acessíveis de qualquer ponto de navegação. 

8) Se sua empresa trabalha com produtos de consumo, uma idéia interessante para impulsionar sua presença na internet é oferecer cupons de desconto e um sistema de conexão rápida com lojas on-line. Não deixe de checar as ferramentas que a loja oferece para que os seus produtos apareçam em destaque.

9) Se você é fabricante, a venda direta ao consumidor oferece benefícios óbvios - o simples fornecimento de informações completas sobre o seu produto pode ajudar a aumentar a venda em seu show-room. Venda de veículos são um bom exemplo. Quando oferecem informações importantes e links com concessionárias e locadoras em seus sites, as montadoras conseguem atrair um bom público.
.

.

.

SRA. PROF. ROBERTA CABRAL

DIRETORA DA SAPIENS CONSULTORIA DE MARKETING

.

www.e-sapiens.com.br    -    sapiens@e-sapiens.com.br    -   Contato: (41)3016-4347

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

PIADAS DO JORNAL "DICAS DA SEMANA" Nº216

......

PIADA DE COR AZUL = LINDINHAS
PIADA DE COR ROXA = PICANTES
PIADA DE COR MARRO = POLÍTICA
PIADA DE COR VERMELHO = PAHH
PIADA DE COR VERDE = ENJÔO!
PIADA DE COR PRETO = FEIA

Um cara quis entrar para a marinha e fizeram um teste: - Quantas âncoras tem um barco?

Espere, mmmmm, onze!

O que? Como assim, onze?

Claro, não vê que sempre dizem: Elevem âncoras?

Um cara entra em uma banca de revistas e diz ao vendedor: - Desculpe senhor, busco um livro cheio de emoção que ao lê-lo sinta uma forte atração por ele e que não possa deixar de lê-lo.

O vendedor lhe diz: - Sim senhor tenho o que busca, este é um livro que o manterá atraído do princípio ao fim, se trata de assassinatos que acontecem em uma mansão e ninguém consegue resolver o mistério de quem é o assassino.

Então o cara mostrando interesse pelo livro lhe diz: - Ótimo, me parece perfeito este livro, como se chama?

- "O Mordomo Assassino"...

Um boiola se encontra com outro que está todo arrebentado, com uma perna e um braço engessados e a cabeça cheia de suturas, em fim era um desastre, o primeiro boiola pergunta ao outro: - Que foi que te aconteceu? Pareces um verdadeiro lixo humano?

Deixe-me que te conte, vinha vindo pela rua quando de repente me aparece um cara imenso que queria me agarrar à força, comecei a correr pela rua e ele começou a me seguir, quanto mais eu corria mais ele me seguia, quando de repente as pessoas começaram a gritar: - Cuidado com o buraco e eu tapei a bunda e de imediato caí em um bueiro destampado.

Os homens e as mulheres não são iguais. 
Uma mulher sai do cabeleireiro e se encontra com uma amiga. 
-Oi querida! (smack, smack) 
-Cortou o cabelo! 
-Sim! E não imagina com quem! Com Osvaldo, esse gênio que esta com Pichin em Viena. Espetacular, não? -Ai, bárbaro! Pareces 10 anos mais jovem! Que divino! Quero fazer igual! Fez reflexos também? 
-Não! é uma nova técnica para clarear o cabelo que ele trouxe da Itália. 
-Imagina que... [blá blá] 
Uma hora e meia falando de tudo que tinham visto e comprado nos shoppings: - Bom, querida, vai para casa para que teu marido te veja como estás divina e que te coma viva. Vai se orgulhar da mulher que tem.

- Ah, você que é divina! Olha estas coisas que me dizes, meu amor!

Ao ver como a sua amiga se afasta com o novo penteado, pensa: "Está tão ridícula com este penteado novo que não se dá conta! Uma completa idiota. Não sei como o gostoso do marido segue casado com ela".

A de penteado novo vai pensando: " A coitada deve estar morrendo de inveja. Tanto que quer fazer tudo igual, feiosa do jeito que é. Que merda vai fazer, se tem o cabelo horrível que mais parece uma palha. Nem que usasse peruca se arrumaria. Ela tá mais para aeromoça do trem fantasma, imbecil!

 

Agora os homens se encontram na rua, um deles está saindo do cabeleireiro: - Que faz da vida, cara, cortou o cabelo, guapo!

- Sim, por?
- Processa esse filho da puta. Te assassinou, cara! Além de que tu já eras feio que nem pisar cocô descalço na praia, agora piorou, risadas... 

- Sim, boiola, mas a tu mãe lhe encanto. Ja, ja, ja! 
- Pois é, mas minha mãe está com cataratas seu banana, jajaja 
- Bueno, bicha, dá um chupão da minha parte a tua mulher e meus filhos, jajajaja. Cada dia está mas gostosa a alemoa!!! 
- E você a tua, seu corno, filha de uma égua, jajaja! 
Se despedem. 
Um vai pensando: - "Que tipo gente fina que é!"
E o outro vai pensando: -"Como gosto deste doente." 

Uma mulher chega na farmácia e pergunta: - Você vende camisinhas extra grande?
- Sim, claro. Quantas quer?
- Eu, nenhuma. Mas se não se importa, gostaria de me sentar aqui e esperar até que chegue alguém para comprar.

O comandante de certo barco estava cansado de encontrar esperma por todos lados, já que os marinheiros se masturbavam em qualquer lugar.

Um dia tomo a decisão de proibir a punheta e estabeleceu uma lei pela qual todos os marinheiros só poderiam saciar a sua angústia em um tonel que colocou no meio do barco e quando estivesse cheio, o fechariam, o lacrariam e o jogariam ao mar.

Um tempo depois, uma equipe de teólogos foi designado para esclarecer um mistério: em una ilha-convento donde havia centenas de freiras de clausura, onde no havia nenhum tipo de contato com o mundo exterior e onde estava absolutamente proibido o acesso de homens, quase todas as freiras apareceram grávidas.

Quando os teólogos chegaram à ilha, interrogaram a madre superiora: - Quanto tempo faz que não entra nenhum homem, além de nós, a esta ilha?

Faz quatro décadas, senhores.

Os teólogos continuaram...- Houve alguma coisa estranha, que chamasse a atenção, nos últimos meses?

Nada que me lembre... espere, houve sim, há poucos meses apareceu na praia um tonel lacrado, cheio de algo que parecia parafina, que supomos tivesse caído de algum navio cargueiro.

- E o que fizeram com esta parafina?

- O que íamos fazer, homem? Velas!!!

Uma velhinha vai á prisão no dia de visita conjugal e diz ao porteiro: - Senhor, eu venho para a visita conjugal.

O porteiro assombrado lhe pergunta: - Sim, senhora, mas com quem?

- Com qualquer um, qualquer um...

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

.

" QUEM MANDA ESTRANHOS A VINDIMA "

..

não tem amor as uvas

.

SR. PROF. DR. LUIS MARINS - Ph.D

.

DIRETOR DO INSTITUTO ANTHROPOS CONSULTING
.

anthropos@anthropos.com.br  -  http://www.anthropos.com.br

..

..

Eis aqui um grande ditado português. Os imigrantes vindos das colônias portuguesas nunca tinham visto uma parreira. Mandados à vindima, as destruíam pelo modo inadequado e errado de colher as uvas. De quem é a culpa? 
.
Da mesma forma, vejo nas empresas pessoas sendo encarregadas de tarefas e responsabilizadas por missões para as quais não têm a mínima capacitação ou competência. O resultado é sempre um desastre.
De quem é a culpa? 
.
Da mesma forma vejo chefes mandando suas secretárias fazerem coisas para as quais nunca foram treinadas ou capacitadas. Fazem tudo errado. O chefe esbraveja, grita.
De quem é a culpa?
.
Da mesma forma vejo vendedores sendo colocados à rua sem nenhum ou pouco treinamento nos produtos que vendem, na análise dos clientes que deverão buscar, na argumentação da venda, nas possíveis rejeições ao produto, nas aplicações possíveis, etc. Não conseguem vender. O gerente de vendas se desespera, chama a todos de incompetentes.
De quem é a culpa?
.
Da mesma forma vejo responsáveis pela "
assistência técnica" de produtos que são apenas "meio-treinados". O conserto não fica bom. O cliente se irrita. A empresa perde. De quem é a culpa?
.
Vejo empresas de transporte ou que tais que contratam motoristas que não conhecem um determinado trajeto ou mesmo uma grande cidade. São para lá mandados. O motorista se perde. A encomenda não chega a tempo. O cliente reclama. O chefe da logística se desespera.
De quem é a culpa?
.
Vejo lojas que contratam uma nova "
balconista" e a colocam imediatamente a trabalhar e atender clientes. Ela não sabe nada, nem da loja, nem de atendimento e menos ainda de clientes. Um cliente bom e antigo chega, é mal atendido, até desprezado. O cliente se irrita. A loja perde o cliente até então "fidelizado". De quem é a culpa?
.
Vejo oficinas que contratam mecânicos com pouca ou nenhuma experiência no tipo de veículo de tal e qual cliente. Dão a ela o serviço. O veículo sai pior do que entrou na oficina. O cliente esperneia e ameaça.
De quem é a culpa?
.
Os exemplos podem encher páginas e páginas e você, leitor deste pequeno artigo sabe disso porque já passou por tudo isso inúmeras vezes como cliente insatisfeito que às vezes até custa a acreditar no que está acontecendo. 

Você é cliente de um banco há anos. Só tem conta lá. Todo mundo lhe conhece. Muda o gerente de sua conta e ele vem perguntar: "
Qual mesmo o seu nome completo?" ou ainda "Sua empresa faz o quê mesmo?". - Dá vontade de se atirar pela janela! Você compra há anos na mesma loja, sempre pagou tudo em dia e nunca teve problema. De repente chega algum "estranho" e quer saber tudo sobre você, seu cadastro, etc. tudo o que já fez um milhão de vezes. 
.
Não precisa ir longe para achar o culpado. A culpa é do chefe que manda estranhos à vindima sem informá-los, sem treiná-los, sem ter a garantia de que sabem colher uvas. A culpa é da empresa que acha que os gastos em treinamento são desnecessários e que as pessoas "
aprendem na prática" e que as pessoas devem ter "criatividade" e "se virar" para que não errem.

.

Quanto mais essas pessoas – sem conhecimento do que fazem – erram, mais são punidas. Quanto mais punidas, mais erram pela tensão e ansiedade de querer acertar fazer coisas que desconhecem na essência ou mesmo nos detalhes importantes da operação. 
.
O problema que ocorre nos dias atuais é que as empresas têm pressa. Muita pressa. Os resultados têm que chegar rapidamente. Ontem, se possível! E a realidade da aprendizagem não ocorre à velocidade da luz. Há que se ter tempo e paciência para que a aprendizagem aconteça e o conhecimento seja realmente incorporado ao comportamento do aprendiz.

.

A paciência e a persistência dos chefes em treinar seus subordinados parece ter desaparecido. E quando o subordinado está começando a aprender, ele é dispensado. Não deu tempo de ele mostrar que estava progredindo. E tudo começa novamente com outro "estrangeiro" ou novo recrutado que nada saberá, pouco será treinado, cometerá muitos erros e quando começar a aprender, será igualmente dispensado. Novamente não deu tempo!
.
Há chefes sádicos. Sabem que o subordinado não sabe fazer. Não ensina. Manda fazer e depois cai como um verdugo sobre o subordinado chamando-o de incompetente e daí para baixo. Se você sabe (e sempre sabe) que seu subordinado não é capaz ou está capacitado para fazer alguma coisa, não o mande fazer ou ensine-o antes de passar raiva e cometer injustiças.
.
Com a competição acirrada que temos hoje, nenhuma empresa pode se dar ao luxo de sequer irritar um bom cliente. E é preciso que nos lembremos constantemente que ninguém é cliente de uma "
empresa" como pessoa jurídica. Todos somos clientes de "pessoas". Das pessoas que nos atendem ao telefone, que nos atendem nos balcões das lojas, nas recepções das oficinas, nas bilheterias dos cinemas. Somos clientes dos simples funcionários de quase ou nenhum treinamento e baixos salários e que poderão fazer a "empresa" perder seu melhor cliente de milhares de reais.

Assim, sem nenhuma poesia, o calcanhar de Aquiles das empresas está mesmo em sua gente. Treinar, treinar e treinar é a maior missão de qualquer chefia e não do departamento de recursos humanos. "
Motivar" – isto é, oferecer os "motivos" para a ação – é também tarefa de todas as chefias, em todos os níveis da empresa e não de algum departamento específico de incentivos ou produto de uma "campanha".

.

O mercado de hoje é uma verdadeira olimpíada em busca da conquista do cliente. E como com qualquer esporte ou time é preciso treinar, treinar e treinar para tentar ganhar o jogo, pois hoje não mais "amadores" no campeonato. Os amadores que porventura ainda existam não pertencem à nossa "divisão" no campeonato. Se você é da "Divisão Especial" saiba que seus concorrentes são os melhores e têm craques no time.

.

Da mesma forma se você está na "Divisão A-2" os times são do mesmo quilate do seu time e a competição será igualmente difícil para você. E para não ser rebaixado para a várzea do futebol do mercado de hoje, você tem que ter um time que treine sem parar, com técnico competente, preparador físico, massagista, etc. Enfim, uma estrutura que possa fazer do seu time, ao menos sobreviver na sua divisão no campeonato. 
.
A verdade, porém, é que as empresas parecem não estar totalmente conscientes da gravidade e da importância do momento atual do mercado globalizado e competitivo. Querem ganhar o campeonato e subir para a divisão superior sem ter jogadores competentes e sem treinamento e às vezes até economizando em bola, redes, chuteiras, coisas essenciais para que o jogo aconteça.

.

Conheço um time do interior que perde a maioria dos jogos. Mas tem um ônibus que é um super-luxo para levar os jogadores até os estádios. O orgulho do time é o ônibus!

.

.

E querem ganhar o campeonato. Pode? Pense nisso.  Boa Semana. Sucesso!


.

.

SR. PROF. LUIZ MARINS Ph.D..

DIRETOR DO INSTITUTO ANTHROPOS CONSULTING

.

Anthropos Consulting é dirigida pelo antropólogo Prof. Luiz Almeida Marins Filho, que estudou os aborígines australianos na Ilha de Bathurst (Austrália) e com larga experiência em projetos no setor privado e público inclusive internacional. - A Anthropos Consulting trabalha com um corpo de consultores do mais alto nível, vários com doutoramento e mestrado no exterior em várias áreas, e com ampla experiência em projetos empresariais de sucesso, contratados para projetos específicos. - A Anthropos Consulting é certificada ISO 9002 pelo BVQI (Bureau Veritas de Qualidade Internacional).

.

ENTRE EM CONTATO COM O HEAD-OFFICE:

.
Rua Manoel Affonso, 64 - 18090-550 - Sorocaba - SP - Brasil - e-mail: anthropos@anthropos.com.br  

Tel.: +55(15) 3331-7771 - Fax: +55(15) 3331-7772 - http://www.anthropos.com.br 

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

JORNAL DICAS DA SEMANA DO WWW.SDR.COM.BR Nº216 ...

.

.

FUTURO - TENDÊNCIAS   IDÉIAS - PENSAMENTOS

. .

.

Um contato só termina depois que você fizer um novo contato

.

Depois de terminada uma conversa inicial com um cliente em potencial, mesmo que você tenha encontrado em contato ou ele tenha entrado em contato com você, inicie o acompanhamento desse negócio imediatamente. Aproveite o momento para enviar uma mensagem a esse cliente:.

1. Agradeça a ele por ter conversado com você, por ter demonstrado interesse pelo seu produto, por ter visitado o seu web site, ou qualquer outra coisa que tenha feito esse cliente parar de fazer o que ele faz todos os dias para conversar com você. 
;
2. Diga ao cliente que você entende os desafios e oportunidades que ele está passando. Use exatamente as mesmas palavras que o cliente usou durante a conversa. 
;
3. Conte ao cliente sobre uma experiência ou projeto que você já participou e que suporta o seu argumento que diz que você é a melhor escolha para ajudá-lo. 
;
4. Coloque um link para o seu web site, artigo ou estudo de caso que seja relevante para o seu cliente. .

Veja aqui um exemplo de como seria a mensagem: 
..
“Prezado Cliente, 

Muito obrigado pelo seu tempo. Eu entendo a sua necessidade de contratar um novo profissional de vendas para atuar no interior de S.Paulo, e essa é uma área na qual eu tenho bastante experiência, por isso que eu acredito que nós devemos trabalhar juntos. Na verdade, você pode conhecer alguns casos que nós já realizamos no endereço... 

.

Eu vou enviar a você um documento que mostra todos os cuidados que você deve ter antes de iniciar o processo de seleção de qualquer profissional e ligarei para você logo em seguida para falarmos melhor sobre os próximos passos”. 
.
Um grande abraço, 
.
O seu nome, assinatura. 

.

PROF. RICARDO JORDÃO.
PRESIDENTE, FUNDADOR E SEU AMIGO

BIZREVOLUTION CONSULTORIA DE MARKETING

.

.

UMA CONFERENCIA

.

Bill Gates deu uma conferência em uma universidade americana há uns dois anos, dirigida a estudantes e pais (pais super protetores com filhos que acham que sentem que merecem tudo).

Em sua dissertação, explicou onze regras, ainda que muito duras, muito necessárias e válidas na vida real:


RegRa 0i: A vida não é justa, acostuma-se a isto.

RegRa 02: Ao mundo não lhe importará tua auto-estima. O mundo esperará que consiga algo, independentemente de que se sinta bem ou mal contigo mesmo.
.
RegRa 03: Não ganhará u$s 5.000.- mensais logo depois de ter saído da universidade e não será um vice-presidente até que com o teu esforço tenha conquistado ambos os objetivos.
.
RegRa 04: Se pensa que teu professor é duro, espera até que tenha um chefe. Esse sim não terá vocação para ensino e nem a paciência requerida.
.
RegRa 05: Dedicar-se a virar hambúrgueres não te tira a dignidade. Teus avôs tinham uma palavra diferente para descreve-lo; O chamavam de oportunidade.
.
RegRa 06: Se metes os pés pelas mãos, não põe a culpa nos teus pais. Assim não chores por teus erros e sim aprenda com eles.
.
RegRa 07: Antes de você nascer, teus pais não eram tão cansados como são agora. Eles começaram a ser ao pagar as tuas contas, lavar a tua roupa e escuta-lo falar da nova onda em que estavas. Assim antes de empreender tua luta pelas selvas virgens contaminadas pela geração de teus pais, começa o caminho limpando as coisas de tua própria vida, começando pelo teu quarto.
.
RegRa 08: A escola pode ter eliminado a diferença entre ganhadores e perdedores, na vida real não. Em algumas escolas já não se perdem anos letivos e te dão as oportunidades que necessites para encontrar a resposta correta em teus exames e para que tuas tarefas sejam cada vez mais fáceis. Isso não tem qualquer semelhança com a vida real.
.
RegRa 09: A vida não se divide em semestres. Não terás longas férias de verão em lugares distantes e muito poucos chefes se interessarão em ajudar-te a te encontrar contigo mesmo. Tudo isto teras que fazer em teu tempo livre.
.
RegRa 10: A televisão não é a vida diária. Na vida cotidiana, as pessoas de verdade precisam sair do café ou do cinema para ir trabalhar.
.
RegRa 11: Seja amável com os CDF. Existem muitas probabilidades que termines trabalhando para um deles.

.

.

Reflita um momento.

O que tem sido investido na sua empresa para aumentar a capacidade daquilo que nos dias de hoje está demonstrando ser o ponto de desequilíbrio entre as empresas modernas, ou seja, o estoque de neurônios sadios, motivados, produtivos e criativos? Atrevo-me a prognosticar que muito menos do que seria necessário.

.

O profissional, que tem no centro da sua cabeça a máquina das máquinas, é, na maioria das vezes esquecido à sua própria sorte, deixando assim a empresa de usar o que tem de mais importante, a “inteligência empresarial”, também conhecida por aqueles que preferem falar em resultados, como “capital intelectual”

Os empresários ou líderes, que ainda pensarem que os seus profissionais são pagos para executar e não para pensar, desculpem a franqueza, não merecem ter alguém trabalhando sob a sua orientação, e já deveriam ter mudado de lado há muito tempo. Se não mudar pelo amor, irá faze-lo pela dor. E não estou falando apenas de dor de cabeça, mas sim daquela que dá na parte do corpo que mais costuma doer – o bolso. 

Quantas empresas modernas você conhece, que surgiram praticamente do nada, apenas pelo ideal de alguém que acreditou no negócio e decidiu investir alguns míseros dólares? São tantas, que não vamos perder tempo dando exemplos. 

O que os empresários acima mencionados, que pensam que o profissional é pago para executar e não para pensar teriam feito, se um
Bill Gates (20), Steve Jobs (19), Jeff Bezos (31), tivessem batido na porta do seu escritório, com as idades que aparecem entre parênteses, pedindo uma oportunidade para trabalhar? 

.

Não quero nem pensar! 
.

PROF. LUIS VIEGAS 
CONSULTOR

WORKSHOP CONSULTORIAS E TREINAMENTO.

.

.

NOTÍCIAS

.

Hotéis 5 estrelas oferecem tecnologia Wi-Fi  - ( www.cnn.com )

A idéia de um hotel completamente informatizado, no qual pode-se ter acesso a internet em qualquer sala, desde a recepção até o bar, já não é coisa do futuro. Desde Austrália a Inglaterra ou Califórnia, a industria hoteleira está incorporando tecnologia sem fio para atrair a viajantes de negócios e oferecer assim uma gama de serviços que lhes permita avançar sobre competidores atrasados. 

Este tipo de inovação tem se convertido no tema do momento entre a comunidade de viagens global, conforme os hotéis com mais recursos lutam por converter-se em parte da elite tecnológica. "A resposta até agora tem sido muito boa, muito boa", assegurou Matthew Nuss, do Valencia Group, depois de acondicionar um de seus hotéis com pontos de acesso sem fios. Algumas cadeias hoteleiras se aproveitam da alta tecnologia como um serviço extra e conveniente, enquanto que outras apostam a que o viajante corporativo do amanhã a exigirá abertamente, como única forma de fazer negócios na era digital. 

Para muitos, o maior problema é conseguir se manter em vanguarda dos constantes avanços no mercado tecnológico. - Desde o Chifley On The Terrace em Perth, Austrália, ao luxuoso Kingsway Hall, em Londres, os hotéis mais avançados se promovem como oficinas totalmente conectadas aos negócios de seus hóspedes, mas sem nenhum cabo a vista. E se você não tem um cartão de conexão em rede Wi-Fi (wireless fidelity ou fidelidade sem fio), o recepcionista lhe facilitará una para que possa acessar a Internet de alta velocidade desde os espaços públicos do hotel. Um hotel no Vale do Silício tem um porteiro que permite a hóspede registrar-se com um avançado instrumento remoto. 
.

.

.

.

CBD e Wal-Mart dividem o páreo pelo Bompreço - Claudia Facchini - www.valoronline.com.br 
O Wal-Mart está se movimentando no Brasil. Segundo fontes, a multinacional americana está mesmo disposta a entrar firme na disputa pelo Bompreço, maior rede de supermercados do Nordeste e que foi colocada à venda pelo grupo holandês Royal Ahold. 

Na bolsa de apostas para aquisição dos ativos do Ahold no país, os favoritos são o Wal-Mart e a Companhia Brasileira de Distribuição (CBD), ou grupo Pão de Açúcar. O Carrefour é menos cotado, mas não foi descartado do páreo. Segundo fontes do setor, o GP, fundo do ex-sócios do banco Garantia, já teria ficado para trás na corrida. Os compradores devem entregar as ofertas firmes de preço em duas ou três semanas. 

O Wal-Mart - a maior varejista e maior corporação do mundo, com vendas de US$ 244 bilhões em 2002 - nunca fez uma aquisição no Brasil. O grupo seguiu até agora a fórmula do crescimento orgânico. Em contrapartida, anda a passos lentos. A CBD, com vendas brutas de R$ 11,7 bilhões em 2002, é sete vezes o tamanho do Wal-Mart, que faturou R$ 1,7 bilhão no passado no Brasil. 

Mas, no México, a história é bem diferente. A gigante americana fez um grande aquisição no país em 1997, quando comprou o grupo Cifra. A Walmex, sua subsidiária mexicana, é hoje a maior varejista da América Latina, com vendas anualizadas de US$ 10,2 bilhões, e passou a ser uma referência para o varejo na região. O Bompreço abre, agora, a oportunidade para o Wal-Mart repetir no Brasil a sua experiência mexicana. 

Se comprar o Bompreço no Nordeste, o Wal-Mart passará a ser um forte competidor no Brasil para os dois líderes de mercado, o Pão de Açúcar e o Carrefour, que predominam na região Sul. Mas a disputa não será fácil. Quando comparados os resultados da Walmex e do Pão de Açúcar no primeiro semestre deste ano, a rede brasileira mostra estar em pé de igualdade, com desempenhos operacionais melhores. Enquanto a margem bruta do Wal-Mart no México foi de 20,4%, a do Pão de Açúcar alcançou 28,4% . A varejista brasileira leva também vantagem na margem com a atividade. Sua margem foi de 8,1%, e a do Wal-Mart, de 4,9%. 

O calcanhar de Aquiles do Pão de Açúcar é o seu endividamento. Para o Wal-Mart, dinheiro não seria problema para compra do Bompreço. O endividamento do Pão de Açúcar, ao contrário, não lhe permite excessos. O Wal-Mart, porém, acreditam consultores, tem um perfil conservador e não entraria em um leilão de preço.

.

.

.

.

Coca com limão acirra disputa com Pepsi - André Vieira, De São Paulo -  www.valoronline.com.br 

A Coca-Cola prepara o lançamento da versão limão do seu refrigerante cola em resposta ao avanço da Pepsi Twist no mercado brasileiro, garantem fontes ligadas à multinacional. A chegada do novo refrigerante ao país deve ocorrer no mês que vem, segundo essas mesmas fontes. 

O lançamento deve agitar o mercado de refrigerantes. "Não é uma boa notícia para a AmBev", avalia Daniel Pasquali, analista do Fator Doria. "Quem bebe a Pepsi Twist o faz porque não tem essa opção no mix de refrigerantes da Coca."

Nos últimos tempos, a AmBev tem ampliado mercado com a Pepsi, marca engarrafada e distribuída pela companhia brasileira. A participação da Pepsi cresceu de 4,1% para 6,1% nos últimos 12 meses encerrados em junho. O avanço de dois pontos no mercado de refrigerantes representa uma receita adicional de R$ 200 milhões, segundo a AC Nielsen. 

Com uma longa história de percalços no país, a Pepsi tem sido uma das apostas juntamente com o guaraná Antarctica mais firmes da AmBev - que deixou a Sukita e a Soda Limonada em segundo plano. A companhia reposicionou a Pepsi, investiu no lançamento da Twist Light e entrou com um marketing mais agressivo, que inclui o patrocínio do time de futebol do Corinthians. O sistema de distribuição foi reforçado, com a inclusão de mais 140 mil pontos de vendas em todo o país. 

Em contrapartida, a Coca-Cola enfrentou problemas na distribuição de produtos em São Paulo, maior mercado no país, por conta da venda da Panamco para a Femsa. A Coca teria também desistido de concorrer em preço com as tubaínas, preferindo maior retorno nas suas vendas, avaliam analistas. 

A versão com limão tentará mudar uma tendência negativa revelada pelos números da AC Nielsen. A participação dos produtos Fanta - com a nova família de sabores citrus, maçã e morango - caiu 0,6 ponto percentual no período de junho de 2002 a junho passado, enquanto o Guaraná Kuat recuou 0,3 ponto no mesmo período. Há dez dias, a Coca lançou o Kuat com laranja nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba. A assessoria de imprensa da Coca-Cola disse não ter informações sobre o lançamento da cola com limão.

O lançamento da Coca com limão repete um enredo conhecido. Em 2001, a companhia pôs no mercado americano a Coke Diet with Lemon, reagindo ao sucesso da Pepsi Twist Light, lançada no ano anterior. O resultado, porém, não foi o esperado, e a Coca decidiu lançar a versão cola com baunilha. Esta fez a participação da companhia crescer 0,6%, para 44,3% nos Estados Unidos enquanto a Pepsi recuou 0,2%, para 31,4%.

BRASIL, MEU BRASIL BRASILEIRO... DALE FRUKI E TUBAÍNAS!

ACOMPANHEM AS DENÚNCIAS QUE A DOLLY FAZ À COCA-COLA A PARTIR DE HOJE!!!

,

,

,

O comércio eletrônico está despertando a inveja do varejo tradicional - www.istoe.com.br 
O comércio eletrônico das lojas na internet está despertando a inveja do varejo tradicional. Nos primeiros seis meses do ano, o primeiro setor cresceu quase 50% em relação ao ano passado, enquanto as vendas nas lojas convencionais caíram 5,6%. A mágica por trás desse desempenho é fruto de uma série de truques e chamarizes da cartilha das pontocom que nos últimos tempos descobriram como agradar o bolso dos consumidores. Vale tudo. Do parcelamento em dez vezes sem juros no cartão de crédito a recursos tecnológicos para estimular a compra por impulso. São ações que o varejo convencional não consegue copiar. “Os empresários de internet são rápidos e ágeis”, diz Fernando Castejon, vice-presidente da administradora de cartões de crédito Visa. 

Essa agilidade pode ser vista na velocidade que ofertas são modificadas durante o dia na vitrine dos sites. Nenhuma loja tradicional consegue alterar os preços e as formas de pagamento na mesma rapidez e de maneira tão programada como na internet. Significa que no início do mês uma loja eletrônica pode planejar quais os produtos que colocará em promoção para chamar atenção dos clientes a cada hora durante 30 dias. A tecnologia é uma parceira fundamental nessa estratégia e também pelo incentivo maior na compra por impulso, cujo consumidor é atraído pela propaganda do vendedor. Por exemplo, ao abrir determinados sites o usuário/consumidor é surpreendido com uma minitela, recurso conhecido como pop-up, que traz determinada oferta. As lojas eletrônicas também estimulam a comparação de preços em sites montados com esse objetivo, como o Buscapé ou o Bondfaro. 

É um recurso que fornece a sensação que determinada oportunidade não deve ser perdida porque está com o preço ideal. “Vender na rede é muito diferente do modelo tradicional de comércio”, afirma Flávio Jansen, diretor de marketing do Submarino, a maior loja virtual brasileira. A lição foi aprendida nos últimos quatro anos. No início das vendas on-line as lojas acreditaram que teriam de repetir os modelos dos seus concorrentes no mundo tradicional. Descobriram o equívoco e desenvolveram técnicas próprias ou copiadas de exemplos internacionais como a maior loja virtual do planeta, a Amazon. O site americano deixou de cobrar o frete para compras acima de US$ 25 no ano passado. O sucesso foi tão grande que a empresa tornou a promoção permanente. O exemplo já foi seguido no Brasil, onde a versão on-line do programa de TV Shoptime aumentou em 70% as vendas após abrir mão da cobrança do frete e aumentar o número de parcelas. 

Castejon, da Visa: Sites são mais ágeis que o comércio tradicional Há ainda outras para o bom desempenho do comércio on-line. A maioria esmagadora dos consumidores dessas lojas é integrante das classes A e B que, mesmo em tempos difíceis, mantêm um certo poder de fogo. Os sites sabem do potencial que têm em mãos e não medem esforços em educar esse público para uma nova realidade de compras distante do modelo tradicional. “Uma pessoa que acabou de entrar na rede demora em média dois anos para fazer sua primeira compra”, explica Pedro Guasti, diretor do instituto e-Bit, especializado em pesquisas de comércio eletrônico. Há no Brasil cerca de 15 milhões de usuários de internet, mas no levantamento do e-Bit os consumidores virtuais não chegam a 2,4 milhões. A preocupação do varejo virtual em ensinar e educar seu público é tanta que as lojas montaram áreas específicas para orientar clientes inexperientes. O Submarino montou uma sessão com vídeos explicando detalhadamente os passos da compra on-line. “A razão para o nosso crescimento está no nível de serviço”, afirma Jansen, do Submarino. É bem mais. Comprar on-line se tornou um grande negócio.

. 

.

Envolva os seus funcionários.

.
Envolver os funcionários de uma empresa nos negócios da empresa é a maneira mais eficaz de ter uma empresa na qual as pessoas sabem mais, se importam mais e fazem as coisas certas. 
.
O envolvimento dos funcionários na empresa acontece quando você simplesmente pergunta a eles qual é a opinião deles sobre as questões da empresa, ou quando você permite a eles desenvolver alguma idéia nova, ou liderar a implementação de algum projeto importante, ou deixá-los tomar decisões que afetam o seu próprio trabalho na empresa. 
.

Envolva os seus funcionários nos negócios da empresa e observe os resultados.

.

.

.

.

Sistema de Representação para Representantes Comerciais

.

SISTEMA DE REPRESENTAÇÃO, VENDAS E SERVIÇOS SDR

.

o sistema sdr já inclui NO PREÇO o uso em rede ilimitado sem custos extras E não tem taxa de manutenção mensal. a única taxa que o sistema sdr tem, é a anuidade de R$:120,00 para efeitos de suporte e atualização, com vencimento em março de cada ano (2007 bonificada)

.

.

Sistema de Representação para Representantes Comerciais

FONE: 51 3019 2817

.

sistema de representação comercial e vendas

.L

.

.

caso deseje alterar ou cancelar sua assinatura, clique no link a seguir:

ALTERAR ASSINATURA

.

.

ÓTIMO TRABALHO E ATÉ A PRÓXIMA EDIÇÃO!

.

SDR - SISTEMA DE REPRESENTAÇÃO E VENDAS

MIGUEL PEDRO TERRA VELAZCO

EDITOR DO JORNAL SDR

fone: 51 3019 2817.

.

Clique aqui para nós enviar um e-mail

.

INDIQUE SEU TEMA  ..-  ENVIE-NOS SUA OPINIÃO

.

Av. Caçapava 425 - sala 03 - Petrópolis -  Porto Alegre (RS) - BRASIL cep: 90460-130

 FONES: 51 -  3019 2817  -  FAX 51 3333 3553

.

.

Sistema de Representação para Representantes Comerciais

Como página inicial  Adicionar a Favoritos

Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2007 - SDR