Sistema de Representação para Representantes Comerciais

JORNAL             DICAS DA SEMANA DO WWW.SDR.COM.BR Nº222 ...

.

.

FUTURO             - TENDÊNCIAS   IDÉIAS             - PENSAMENTOS

. .

 

.

.

;

DECLARAÇÃO DE GUERRA AO SPAM!.

  • Você que acabar mesmo com o SPAM? 

  • Quer erradicar ele totalmente da sua internet e dar um basta final?

  • Promete seguir estes passos em nome de uma web limpa?

Chegue mais perto que vamos contar os grandes segredos e as formas de você poder distinguir entre os diferentes tipos de SPAM e como agir...

.

Toda mensagem quando chega na sua caixa, tem um nº de identificação e registro pelo qual pode ser identificado o remetente e o servidor.  - Também pode ser conferido o endereço eletrônico que envia o e-mail, o endereço para o qual deve ser remetida a resposta, erro ou cancelamento. Olhe a imagem esquerda, ela abre quando você clica com o botão direito encima da mensagem, e olhe na imagem direita, ela abre quando você clica em "detalhes":

.

 .

  • Essa declaração da imagem nº2 deve ser copiada, selecionando esse texto com o ponteiro do mouse apertado e depois dar um copiar ou CTRL C.

  • Aí você abre um e-mail, e cola ou dá um CTRL V na área de texto da mensagem.

  • Envie esse e-mail para seu provedor denunciando o SPAM.  Todo provedor tem um endereço específico para receber as denuncias. (exemplo: no terra é   abuse@terra.com.br). Consulte o seu e comece a denunciar o SPAM!

Pronto, você já está em guerra contra o SPAM e seu trabalho será compensado com uma WEB limpa e sem mensagens indesejadas.

.

Todo provedor tem obrigação de denunciar todos os servidores que enviam SPAM, e depois de um certo número de denuncias, esse servidor é publicado numa lista negra, da qual nenhum provedor quer fazer parte. Após esse apontamento, sofrerá sanções e poderá ate ser banido, seu site excluído de registro em outros provedores e será retirado do convívio da rede.

.

Agora, se você descobre por acaso... aqueles que enviam milhões de e-mails e mudam o endereço do remetente se escondendo atrás de contas de e-mails gratuitos, abertas no hotmail, msn, yahoo, ig, bol, etc., sua denuncia nada irá fazer, o único que realmente acontece é que os provedores gratuitos se defenderam dizendo que não podem controlar os que enviam SPAM e fica por isso mesmo!

.

USE AS ARMAS DO INIMIGO!

.

Para te livrar das sementes, arranca a raiz. Provérbio Mexicano. - Esta estratégia tem como objetivo, mirrar os recursos dos SPAMMERS e minar suas finanças e as de quem os contrata.

Ou seja que quando você veja que o SPAMMER se utiliza de um endereço gratuito para lhe enviar mensagens, você não deve deixar passar a oportunidade de verificar para qual site ou home page aponta o SPAM. Ou seja verifique de que endereço estão lhe oferecendo o produto e mude a direção da bala.

.

Uma forma sinistra de fazer isto, é verificar o domínio que oferece a oferta, e você mudar o endereço de "RETURN PATH (endereço de retorno)" pelo endereço do site vendedor do produto. Com essa mudança o site que irá ser banido é aquele que faz a oferta e não quem lhe envia, porque os SPAMMER, são carne de canhão que se vendem para esse serviço, e o beneficio é tanto deles  que cobram para isso, como do site que vende os produtos. Arrase sem piedade!

.

Também pode sair atrás do verdadeiro @endereço do SPAMMER ou do telefone e nome dele (ligue muitas vezes a cobrar), além da direção e cidade (mande cocô de cachorro), procurando no registro de endereços nacionais e internacionais.  - Para verificar esses dados ou verificar se um nome de domínio está registrado, entre na internet e digite: 

  • http://registro.br e verificará todos os endereços de cunho nacional (br, nom. ind, etc.). ( este site também serve para você consultar se um domínio está registrado na internet e contratar ele). 

  • Para os internacionais você deve entrar no endereço http://www.nic.com

Digite o domínio que deseja averiguar e o site lhe mostrará todos os dados da pessoa que o registrou. - Caso tenha duvidas ou precise de alguma ajuda, consulte a gente que ajudamos você a se tornar um franco atirador de SPAMMERS. Já tem gente que registra um site com nomes falsos e depois atende o site por outro site, mas é fácil ir sacando essas informações e ir derrubando site por site com denuncias de SPAM. Tem outros que nem o nome do site utilizam, inserindo o número de FTP, mas num buscador você digita ele e clica em procurar ele que aparece tudinho...

.

EQUIPE DO SDR

.

.
REVOLUÇÃO

.
As empresas vencedoras serão as que apostarem na inovação estratégica. Para tal terão de liderar uma revolução dentro da sua indústria. Quem diria que a máxima de Fidel Castro "
Revolução ou morte!" seria, um dia, aplicada ao mundo dos negócios?
.

Gary Hamel.

.

Há quase meio século, Edward Deming lançou o grande desafio da qualidade. Algumas empresas escutaram, especialmente as japonesas. Muitas ignoraram o desafio e pagaram um preço elevado por terem ficado para trás na curva da mudança.

.

Há alguns anos atrás, pensamos que a globalização era o novo desafio. Hoje, o problema já não é a qualidade, nem a globalização. O grande desafio consiste em tornarmo-nos arquitetos da revolução, ou seja, sermos os autores das mudanças fundamentais no âmbito de um novo paradigma de negócio que tem estado a transformar todas as indústrias à escala global.

.
Talvez esta metáfora revolucionária pareça um exagero de linguagem. Mas não é. O problema é que menos de
5% das empresas estão orientadas para este novo desafio. E como escasseiam os livros sobre as melhores práticas e não existem exemplos óbvios da sua aplicação, tudo se torna ainda mais complicado. 

.
Sobre esta nova economia já passamos da era industrial para a da informação. A questão já não é o que vai acontecer, mas quais serão as empresas capazes de criar valor durante esta fase de transição.

.

Creio que a maioria só agora começa a perceber a verdadeira importância que estas mudanças terão no seu negócio. Imagine que sempre que pega no telefone um programa de software começa a procurar a via mais barata para a sua chamada.

.

Imagine decidir o que é que precisa da mercearia e em seguida submeter a sua lista a um leilão, a fim de descobrir quem é que vai fornecer esta lista de artigos ao melhor preço. Estas mudanças fundamentais estão no nosso horizonte.

.

E você o que vai fazer?  Quer ser o líder ou um mero seguidor?

.

.

Dicas para recrutar gerentes

.
É muito comum médias e pequenas empresas ser enganadas por executivos no momento da contratação. Durante uma entrevista o profissional diz que pode tudo, faz tudo e conhece todo mundo. Na hora da ação...
ZERO. Aqui vão algumas dicas que podem ajudar uma média e pequena empresa a contratar o executivo correto. 
.
Tenha certeza que o candidato não é um profissional corporativo. Daqueles que só apresentavam resultados devido a marca da empresa em que trabalhavam, os seus recursos e o batalhão de assistentes e verbas disponíveis. Pergunte detalhes de um projeto que ele realmente construiu. Preste atenção aos detalhes. Se não houver detalhes..., não contrate. 
.
Procure por profissionais que tenham coragem de tomar decisões sem o apoio de um comitê de pessoas. O jogo burocrático que existe em uma grande empresa não pode ser tolerado em uma pequena e média empresa onde agilidade e velocidade são armas vitais. Procure por candidatos com um alto grau de auto-estima. 
.
Procure por profissionais que tenham sinais de empreendedorismo. Grandes empresas gostam de recrutar profissionais que trabalharam em empresas famosas etc. O mesmo vale para médias e pequenas empresas. Procure por profissionais que apresentaram resultados e realizaram projetos em médias e pequenas empresas. O candidato ideal é aquele que tem coragem de abraçar oportunidades de ganhar altos bônus ou não ganhar nada. O verdadeiro empreendedor aceita riscos e sabe conviver com isso.
.
O melhor negócio é procurar por uma pessoa que não está procurando por um emprego. Dessa maneira aumentam as chances de você encontrar um vencedor. 
Tenha cuidado com o síndrome da “empresa-familiar”. Mesmo que contratar irmãos, irmãs, primos etc seja um gesto generoso, a contratação deve ser feita apenas se o indivíduo for o mais qualificado para o trabalho. 
.
Procure por indivíduos que lideram pelo exemplo e não pela força. O esforço de equipe é muito importante para uma média e pequena empresa. Antes de contratar um gerente, cheque as suas referências. Ligue para o ex-chefe ou para outros profissionais que conheçam o trabalho do candidato. Não contrate sem antes checar referências.
NINGUÉM FAZ MAIS ISSO HOJE EM DIA. É um absurdo!.

.

SR. PROF. RICARDO JORDÃO
FUNDADOR, PRESIDENTE, SEU AMIGO
.

.
http://www.bizrevolution.com.brricardom@bizrevolution.com.br  

.

"O preço é o que você paga. - O valor é o que você leva"

.

O ponto tanto sutil quanto óbvio é que o valor é definido não pelo que a organização faz, mas pelos clientes que adquirem seus bens e serviços. O valor ,então , não apenas assume diversas formas, mas se materializa por meio de diversas fontes: .

  • Utilidade do produto , 

  • da sua qualidade,

  • da imagem resultante da publicidade e promoção, 

  • da sua disponibilidade (distribuição), 

  • dos serviços fornecidos com ele.

Para definir o preço de alguma coisa é preciso analisar o valor daquele produto ou serviço, do ponto de vista do possível comprador. Se a percepção dele registra valor irrelevante, o preço será necessariamente baixo. Portanto, se quisermos obter um preço melhor por aquele bem, será necessário procurar outro comprador ou encontrar meios de alterar a percepção de valor daquele cliente em relação ao que colocamos à venda.

Definir o preço apenas com base nos custos de produção e comercialização é um erro, pois se, por um lado, o custo serve para definir o preço mínimo para não vender com prejuízo, por outro lado não leva em conta a percepção do cliente, que pode atribuir àquele objeto um valor muito maior. 

 

Seria mais ou menos como vender um BMW pelo custo das matérias primas utilizadas e dos custos de fabricação e horas de trabalho dos operários – mais a comissão do canal de distribuição, naturalmente. 

 

Em verdade , o que vemos é o produto acabado alcançar um preço algumas centenas de vezes maior do que o custo. Como podemos alterar a percepção de valor do cliente? Introduzindo mudanças – materiais ou conceituais – que criem novos significados ou aplicações daquele produto ou serviço para o cliente.

.

SR. PROF. CLÁUDIO LENGA DE GOLDBERG

..
CONSULTOR 
.
Instituto MVC  M. Vianna Costacurta Estratégia e Humanismo

.

 

Contatos: 11 3171-1645 / 3285-2438 - costacurta@institutomvc.com.br  (Luiz Augusto Costacurta) (SP) ou 21-2518-2321 - mvcmt@uninet.com.br  (Maria Teresa) (RJ) - www.institutomvc.com.br

.

.

NOTICIAS

.

Para Lula, só o Estado não tinha percebido que pobre não dá calote 

O presidente participou hoje, no Palácio do Planalto, da solenidade em comemoração à abertura da conta de número 500 mil da "Caixa Aqui", modalidade de conta simplificada destinada à população de baixa renda. Os correntistas poderão ter acesso a credito simplificado, com juros reduzidos. Para o presidente, o microcrédito é fundamental para a retomada da cidadania da população carente. 
.
"Alguns dizem que a vida moderna é uma mistura de sonho e crédito. Eu prefiro dizer que a vida, em todos os tempos, sempre foi uma mistura de trabalho e de esperança. O que a gente está fazendo com o microcrédito é alimentar a chama da esperança para que ela ilumine um futuro melhor para todos nós", disse Lula. 
.
Ele ressaltou que um país não pode ter cidadania pela metade e que o povo não pode viver dividido entre os que comem e os que passam fome, os que moram e os que se escondem, os que têm conta em bancos, créditos, financiamentos e os pobres, aqueles que, mesmo quando ganham algum dinheiro, precisam guardar embaixo do colchão, porque banco nenhum se interessa por eles. Isso criou no Brasil, segundo Lula, dois tipos de dinheiro: o do rico e o do pobre. "O dinheiro do rico fica protegido no banco, dorme lá. Rende juros, serve de aval para conseguir mais recursos, créditos, financiamentos, coisas que os pobres não têm", acrescentou. 

.

.

.

.

Exclusão digital ainda é realidade nas empresas - http://informatica.terra.com.br 
Uma pesquisa da britânica City & Guilds revela que a exclusão digital custa ainda caro para os cofres das empresas. A informação da consultoria de recursos humanos é que metade dos entrevistados, em uma recente pesquisa sobre tecnologia, diz que faltam conhecimentos aos seus empregados. 
.
Os problemas
não estão relacionados a atividades mais complexas como programação, animações em flash ou uso da Internet com rapidez. De fato, a queixa geral é que 1 em cada 7 funcionários tem dificuldades até mesmo para ligar ou desligar o PC do escritório, o que resulta em gastos de até US$ 78 mil com suporte técnico.

.

.

.

.

Lojas usam truques para incentivar a compra por impulso - Diário de São Paulo (publicado pela Choper)
Para fazer o consumidor comprar sem pensar, os comerciantes usam estratégias variadas, desde as mais conhecidas como esconder o preço da parcela na vitrine até o uso de aromas artificiais que imitam o cheiro natural de um produto ou de um lugar. O coordenador de pesquisas do Programa de Administração de Varejo (Provar), João Paulo Siqueira, afirma que esses recursos de marketing, de fato, fazem o consumidor comprar por impulso. 
.
“Na seção de matinais, alguns supermercados colocam um aroma falso de café para aguçar a sensação do consumidor e fazê-lo comprar os produtos”, diz. O pesquisador também conta que músicas com ritmo apressado contribuem para aumentar as vendas da loja. “A música animada dá movimentação e isso faz com que o consumidor compre sem avaliar suas necessidades.” 
.

Toda vez que vai pagar o carnê na C&A, a auxiliar de compras Sueli Aparecida Rodrigues acaba fazendo uma nova compra. “Para não pegar a fila do pagamento da fatura que é demorada, acabo comprando uma roupa para passar no caixa de compras. Quando vejo, já gastei mais 60 reais.” Sueli diz que a obrigação de pagar o carnê na própria loja é uma perfeita estratégia de marketing. “Sem contar que para chegar no caixa eu tenho de passar por toda a loja, o que me atiça a comprar mais.” 
.
A C&A afirma que trabalha com dois tipos de cartão, sendo que um deles pode ser pago em qualquer agência bancária credenciada. A empresa esclarece que apenas o cartão sem anuidade deve ser pago na loja. A C&A acrescenta que autoriza o pagamento das faturas no caixa de venda para evitar que o cliente fique em duas filas.  - Do Diário de S.Paulo 
.
.
.
.

Pesquisa mostra que marca própria tem imagem ruim - Marta Barcellos - www.valoronline.com.br 
O comportamento de um consumidor, diante de uma gôndola de produtos de limpeza, intrigou recentemente o diretor comercial de uma multinacional do setor: com o carrinho repleto de vinhos importados, o cliente desviou-se da marca líder depois de perceber a promoção de um produto similar apenas dois centavos mais barato. Uma pesquisa realizada pela Ipsos confirma o que muitos executivos já intuíam: a classe A gosta mais das marcas próprias dos supermercados e é menos fiel às marcas famosas do que a classe C. 
.
Realizada em nove centros urbanos, com 13.394 entrevistas, a pesquisa mostra que a imagem da marca própria, de forma geral, ainda não é das melhores: 47% concordam com a afirmação "Marcas próprias não são tão boas quanto as conhecidas". O índice é alto, reconhece Fábio Pando, presidente do Comitê de Marcas Próprias da Associação Brasileira de Supermercados (Abras). "Essa imagem ficou fixada, porque de fato a qualidade desses produtos não era boa no passado", diz Pando. A percepção de má qualidade vem mais da classe C (49%) do que da A (41%).
.
Os supermercados, afirma Pando, já não se arriscam quanto à qualidade dos seus produtos para garantir um preço baixo na gôndola. Mas precisam lutar bravamente para mudar a imagem negativa do passado. O lançamento de linhas de marcas próprias sofisticadas pelas grandes varejistas vem atendendo não só ao objetivo de melhorar a imagem como também aproveitando a menor resistência das classes A e B em comprar esses produtos. 
.
Depois do Pão de Açúcar, que já tem 250 itens da linha Good Light, é a vez de a carioca Sendas apostar em um linha exclusiva de produtos light e diet, a Viva Saudável, que será lançada durante a Expo Abras, a partir de 15 de setembro. A Sendas já tem uma linha de orgânicos (Bio Native) e outra de produtos premium (Espaço Gourmet), além das marcas Sendas e Mais em Conta - a mais popular de todas. Na mesma linha de segmentação, o Pão de Açúcar tem as marcas Pão de Açúcar, mais sofisticada, Extra e Comprebem, além da Good Light.
.
"Já sabíamos que a classe A tinha menos preconceito com marca própria", diz Marco Quintarelli, gerente de marcas próprias da Sendas. "O consumidor mais esclarecido enxerga melhor a relação custo-benefício". Outra explicação para o maior apego das classes C e D a marcas famosas é de que, para essas pessoas, produtos como Omo ou Nescau são um sonho de consumo possível de ser realizado - um tipo de satisfação que as classes A e B podem ter com bens mais caros, como eletroeletrônicos ou até um carro. Além disso, lembra Pando, o consumidor com menos recursos não pode se dar ao luxo de errar na compra de um produto. "Se essa dona de casa comprar cinco quilos de um arroz empapado, vai ter que comer os cinco quilos", exemplifica ele.
.
A pesquisa da Ipsos confirma que a fidelidade às marcas, em geral, é menor na classe A. Entre as pessoas com melhor poder aquisitivo, 39% afirmam que "raramente mudam de marca". Já nas classes B e C, esse percentual é de 42%, enquanto na classe D é de 40%. As mulheres (68%) são mais propensas a mudar, afirmando gostarem "de experimentar novos produtos e marcas", do que os homens (59%).
.
Para os supermercados, a pesquisa revela que, quantitativamente, as classes que mais consomem marcas próprias são, por ordem, B (34% das donas de casa que afirmaram comprar os produtos), C (33%), D e E (25%) e A (9%). Quando esses percentuais são comparados, porém, ao universo de donas de casa pesquisado, observa-se a maior aceitação das classes A e B, que representam respectivamente 6% e 24% das consumidoras destes nove centros urbanos.
.
"A nossa grande divulgação é o boca-a-boca", diz Quintarelli, referindo-se ao avanço das marcas próprias. Para a Sendas, esses produtos representam 7,5% do faturamento. Pando, da Abras, acredita que em tempo de crise as marcas próprias tendem a crescer, por conta da experimentação forçada das famílias de menor renda, obrigadas a trocar de marca para conseguir abastecer a casa. Durante a Expo Abras, a AC Nielsen vai divulgar um estudo sobre o comportamento desses produtos durante o ano. 
.
A Sendas vai montar este ano um estande na feira para mostrar suas linhas de marca própria. "Acho que nunca houve um varejista na Expo Abras antes", diz Quintarelli. Além da Viva Saudável, que chegará às gôndolas apenas em outubro, a rede carioca vai exibir outra novidade, a linha Feira Viva, de legumes embalados, também voltada para consumidores de maior poder aquisitivo. Mesmo responsável por apenas 9% das compras de marcas próprias, a classe A pode proporcionar aos varejistas as melhores margens, se começar a optar pelas novas linhas sofisticadas dos supermercados.
.
.
.
.

Pesquisa diz que spam dá resultado http://idgnow.terra.com.br/idgnow/internet/2003/09/0023 IDG Now!
E-mail marketing ou spams só servem para entupir a caixa de entrada e dificilmente alcançam o objetivo de quem os enviou, certo? Errado. Uma pesquisa realizada pela WBI Brasil Assessoria de Marketing mostrou que as mensagens com propagandas nem sempre têm como destino certo a lixeira do computador, mas, ao contrário, podem trazer resultados para as empresas. Segundo o estudo "O uso do e-mail marketing nas corporações brasileiras", realizado em 357 companhias de junho a julho de 2003, 48,46% dos participantes já fizeram compras após receber um e-mail com propagandas, fosse ele um spam ou um e-mail marketing. 
.
Outro resultado surpreendente, de acordo com Paulo Roberto Kendzerski, coordenador da pesquisa, é a postura adotada pelos entrevistados ao receber um spam. Mais da metade (55,18%) afirmou que lê a mensagem quando o assunto lhe interessa, enquanto apenas 25,77% a exclui sem verificar seu conteúdo. "O usuário normal geralmente não tem nenhuma restrição contra os e-mails de propaganda, sejam eles de marketing ou spams. A maioria lê a mensagem se o assunto lhe interessa. Quem é radicalmente contra os spams são aqueles que trabalham com a tecnologia no dia-a-dia e se sentem incomodados por isso", destaca. 
.
Já a maior parte das empresas entrevistadas (81,46%) revelou também que não tem ferramentas específicas para bloquear os spams. As que declararam utilizar, citaram certos mecanismos de proteção como bloqueios de provedores, do Outlook, entre outros softwares. A pesquisa mostrou também que o e-mail marketing tem ganho um número maior de empresas adeptas ao longo dos anos, embora nem sempre seja utilizado com ferramentas adequadas. Das companhias entrevistadas, 76,19% afirmou que envia mensagens para seus clientes independentemente de ter o software específico; 57,82% disse ter ações de e-mail marketing e 28,85% afirmou estar planejando desenvolver o método. No início de 2001, a porcentagem de empresas que adotavam o e-mail com propagandas para atingir seus clientes girava em torno de 25%. 
.
"Grande parte das empresas entrevistadas utiliza seu software de correio para fazer e-mail marketing. Essa sistema não dá garantias, por exemplo, de monitorar se o cliente leu a mensagem", afirma. Na opinião do coordenador, não é a falta de investimentos em softwares próprios a principal responsável pelo mecanismo inadequado, e sim a falta de conhecimento sobre as ferramentas. O estudo revelou ainda que 50,15% das empresas envia mensagens aos seus clientes com periodicidade mensal, 21,41% semanal e 17,30% diária. O dia preferido para o contato via e-mail é segunda-feira (41,57%). 

Entre outros dados, a pesquisa apontou também que 10,36% das empresas entrevistadas integram seu banco de dados com seus websites, o que impede ações mais eficientes na geração de um data base qualificado. Em termos de tempo de acesso e tipo de conexão, 82,08% afirmaram estar conectados 24 horas por dia e 89,64% disseram ter banda larga na empresa.

.